Sou homem, forte e negro, e as pessoas pensam que sou violento ou limitado por isso | Caixa-preta #21

O Diógenes é um cara tranquilo que frequentemente é confundido com alguém mais truculento por ser grandão e negro. Dos estereótipos que embaçam nossa visão

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Asm selo png
  • 130x50 jpg

Link YouTube

Ser um cara negro e grandão, forte, "parrudo", faz do Diógenes um estereótipo. "Bom, já que ele é assim, aposto que é um tipo machão, que sabe se impor nos locais e na rua, que usa seu tamanho para naturalmente intimidar as pessoas, além de alguma ferocidade que os negros carregam consigo". 

Que pensamento maluco.

O Diógenes é web designer e das pessoas mais doces e tranquilas. Tem sua fala eloquente, serena...

Até uma colega de sua esposa uma vez falou: "ah, mas você não é um negão negão, né?" e, quando ele perguntou o que era ser um "negão negão", teve a resposta: "Você não é mano, né? Você até fala de alguns outros assuntos, às vezes".

A expectativa é que um cara gradalhão seja mais agressivo no jeito de lidar com as coisas, que tenha um comportamento mais bruto e uma linha de raciocínio mais limitada.

"Ainda é uma questão pra mim, de vez em quando, de ser machão, de ser o viril, de ser o cara mais agressivo porque, às vezes, isso me incomoda e para as pessoas até assusta eu não ser esse cara mais machão, talvez por causa do meu tamanho".

E mais:

"As pessoas esperam que eu tenha atitudes mais expansivas, mais agressivas. E eu não consigo".

A complicada situação de não ser o que as pessoas esperam de você no simples ato de te olhar. O Diógenes segue sua vida com o lema de que não tem que agradar todo mundo, que não dá pra forçar algo que não é natural.

Ainda bem. Que bom podermos ser quem simplesmente somos.

E ainda tem uma segunda parte

É tanta coisa para se absorver de uma fala como esta que preparamos uma segunda parte da conversa com o Diógenes, em que ele fala de quando seguranças de um carro-forte acharam que ele tinha intuitos de assaltar um banco e da relação dele com sua mãe, uma mulher negra e nordestina que trabalha há mais de vinte e cinco anos no sistema prisional.

Vale cada minuto:

Link YouTube

* * *

Para ler mais:

Serão os negros criminosos?, escrito pelo Alex Castro;

Como seria o mundo se você não estereotipasse ninguém?, escrito pelo Bruno Passos;

Senzalas & campos de concentração, escrito pelo Alex Castro.

Você conhece homens com histórias que poderiam virar relatos do Caixa Preta? Conta pra gente!

Não é de hoje que o PdH quer construir uma relação aberta e de colaboração com a comunidade. Pensando nisso, e buscando aumentar o alcance de relatos, nós queremos sua ajuda nesse projeto. Com certeza você convive com diversos homens que carregam vivências construtivas. Não seria incrível se essas histórias pudessem ser compartilhadas com mais pessoas?

Caso você tenha alguma sugestão para a nossa série do Youtube, deixa nesse formulário. É bem simples.

A casa agradece. 

Mecenas: Natura Homem

Natura Homem acredita que existem tantas maneiras de exercer as masculinidades quanto o número de homens que existem no mundo. Sem modelos a serem seguidos, sem colocar ainda mais pressão sobre os nossos ombros.

As nossas verdades, os nossos ritmos, os nossos jeitos de ser e estar no mundo. Seja homem? Seja você. Por inteiro. Natura Homem celebra todas as maneiras de ser homem.


publicado em 27 de Julho de 2017, 11:30
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: