A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Eu sou um sustentabiliogro

Discutir qualquer assunto cujo conceito se inicia com sustenta... é um porre. Quem domina não deseja apenas compartilhar posição. Gosta de se mostrar no alto de algum território moral. "Olha, eu faço o que é certo. Você pode escolher se quer fazer o certo, como eu, ou seguir sendo um idiota irresponsável. Simples."

Encontrar pessoas em posições mais lúcidas é uma raridade. O José Pascowitch, presidente da consultoria Visão Sustentável, é uma delas. Venho conversando aqui e ali com ele desde o ano passado, quando o entrevistamos para o SWU. Esse ano ele me convenceu a ir lá acompanhar o Fórum de Sustentabilidade do SWU novamente. E digo com tranquilidade: valeu muito a pena.

O infográfico abaixo veio de lá, de umas das palestras mais objetivas que já assisti sobre energia sustentável.

Ele foi feito para ogros, sem saco para escutar ladainhas, mas bastante dispostos a agir.

Repasse esse artigo, caraleo

Para cada 100 likes e/ou retweets obtidos com esse artigo, vamos sortear um prêmio da Loja PdH entre todos que deixarem um comentário por aqui, dizendo "eu sou um sustentabiliogro". Queremos descobrir se essa abordagem sobre um tema complexo faz sentido ou se é um delírio nosso.

Leia, aja e repasse. Sem lenga lenga ou frescuras.

É essa a filosofia dos sustentabiliogros. Junte-se a nós.

Mecenas: Shell | Energia 2050

A população mundial poderá atingir 9 bilhões de pessoas em 2050. Isso equivale à adicionar a China e a Índia ao planeta. Além disso, mais pessoas deixam a pobreza e compram seu primeiro refrigerador, carro ou computador. O resultado: a demanda por energia aumenta, assim como as preocupações com o meio ambiente. Em 2050 provavelmente precisaremos do dobro da energia consumida atualmente, mas com metade do CO2, se quisermos evitar uma séria mudança do clima.

O objetivo da Shell é contribuir de forma responsável para este futuro energético por meio da entrega de:

Mais energia: estamos investindo pesado no desenvolvimento de novas fontes de óleo e gás, assim como em novas tecnologias para obter mais de nossos poços de petróleo, alcançar maiores profundidades e operar em ambientes desafiadores. Em 2010, a Shell investiu US$1 bilhão em tecnologia de pesquisa e desenvolvimento, mas do que qualquer outra companhia internacional de petróleo.

Energia mais limpa: estamos produzindo mais gás natural, o que representará metade de nossa produção em 2012. Esse é o combustível fóssil mais limpo, produzindo de 50 a 70% menos de CO2 que o carvão em usinas de energia.

Energia mais inteligente: oferecendo produtos que ajudam os consumidores a “obter o máximo de cada gota” da energia que eles usam. Isso inclui o investimento em biocombustíveis, que se destacam como uma das opções de baixa emissão de CO2 mais acessíveis a curto prazo e em eficiência energética, com combustíveis como o FuelSave, que ajuda os motoristas a economizar até um litro de combustível por tanque.

Estas são algumas das maneiras com as quais estamos trabalhando para contribuir para as demandas energéticas do futuro.

Envie suas ideias, sugestões e dúvidas pelo Twitter com a hashtag #Energia2050.


publicado em 22 de Dezembro de 2011, 14:38
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura