[TEDGlobal] Notícias de Edimburgo - parte 3

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Uma das conversas preferidas no TED é sobre qual teria sido a melhor sessão dentre as 12 do evento. Para mim, a melhor foi  a sessão chamada Feeling ("Sentimento"), realizada no dia 3 deste TEDGlobal, na Escócia. As palestras que foram curadas tinham o objetivo nada modesto de transformar em algo científico aquilo que não conseguimos sequer explicar na maior parte das vezes: nossos sentimentos.

Paul Bloom e o valor das coisas. (Foto: James Duncan Davidson/TED)

Começou com o psicólogo Paul Bloom e seu estudo sobre valorar o prazer. Quanto vale o intangível?  Bloom apresentou logo no início uma pesquisa com um suéter de George Clooney. A pergunta era: "quanto você pagaria por um suéter do ator?" A média de resposta foi US$ 135, um pouco mais caro do que o normal. Foi dada também a opção de comprar, mas não poder contar para ninguém que era do George Clooney. Aí, o valor da peça caiu para US$ 122. E se tivesse sido lavado, quanto pagariam pelo suéter? Neste caso, o preço caiu para US$ 105. Ou seja, sem o suor do George Clooney, o suéter não vale tanto. Mais interessante do que esta foi outra experiência feita com o violinista prodígio Joshua Bell. Ele ficou tocando violino perto de uma estação de metrô durante 15 minutos e arrecadou pouco mais de US$ 30. Ninguém o reconheceu. Exceto uma pessoa, que achou que era ele mesmo, voltou e deixou uma nota de US$ 20.

Depois de Bloom, falou Paul Zak, que estuda um hormônio chamado oxitocina, responsável por promover contrações musculares uterinas durante o parto e a ejeção do leite durante a amamentação. Também é um hormônio ligado ao que as pessoas sentem ao, por exemplo, abraçar seu parceiro de longa data. Zak começou a medir as situações em que as taxas deste hormônio sobem. A curiosidade de Zak o levou a tirar sangue antes e depois de noivos e familiares em um casamento. Os exames mostraram que as maiores taxas de oxitocina estavam presentes na noiva e na mãe da noiva. O ponto é que oxitocina está diretamente ligado à confiança, como Zak descobriu em seus estudos. Quando sua filha casa, a mãe ganha confiança sobre o futuro da família.

Paul Zak: mais abraços para mais felicidade. (Foto: James Duncan Davidson/TED)

O estudo de Zak é complexo – ainda em 2011, ele deve lançar um livro sobre o assunto aqui no Brasil. Entre os principais achados está o fato de que o uso das mídias sociais aumenta em mais de 10% os níveis de oxitocina.

"Adam Smith nos definiu como animais sociais e, não à toa, uma conexão maior entre as pessoas aumenta os níveis de oxitocina."

Veja só: Zak descobriu que o melhor jeito de aumentar a oxitocina é por meio de abraços. Isso mesmo:

Mais abraços =  mais oxitocina = mais confiança = mais felicidade.

Zak quer levar os estudos adiantes para possivelmente interferir nas políticas públicas. Em conversa com ele, comentei brincando que o Brasil é o país da oxitocina.

Este bloco já poderia acabar aí e já seria bom, mas ainda falaram dois palestrantes excelentes. O engenheiro biomédico Todd Kuiken desenvolve incríveis próteses que trabalham conjugadas com a transferência de nervos. Por conta disso, os pacientes que tiveram braços e pernas amputados conseguem, com as próteses, adquirir sentidos como o tato.

Ao final, o médico Abraham Verghese fez uma fala inspiradora sobre a importância dos ritos na medicina, principalmente em casos terminais. A importância de ouvir os pacientes sem interrompê-los. Um estudo mostrou que, em média, os médicos americanos interrompem o paciente nos primeiros 14 segundos em que ele está contando seu caso.

“Se eu for para o céu algum dia, terá sido porque fiquei tranquilo e ouvi meus pacientes por 45 minutos."

Verghese também é escritor e acabou sua fala contando como terminou o relacionamento com um dos pacientes. Sem conseguir mais falar, ele pediu que Verghese encostasse a cabeça no seu peito e ouvisse seu coração. E foi assim que cumpriu o último rito com seu paciente.

Ainda neste dia, palestrantes como Bunker Roy, educador criador do projeto Barefoot College, no Paquistão, e o filófoso Alain De Botton também fizeram falas que merecerão registro assim que forem publicadas  no site do TED.

Nota do Editor: As palestras do TEDGlobal 2011 aconteceram entre os dias 12 e 15 de julho. O PdH já publicou os melhores momentos do primeiro e do segundo dia, e faz updates nos textos sempre que os vídeos oficiais vão ao ar. Acompanhe.


publicado em 16 de Julho de 2011, 13:29
Rodrigo cunha

Rodrigo Vieira da Cunha

Estuda movimentos contemporâneos de evolução da humanidade para interpretar e compartilhar conteúdos em diferentes formas: palestras, textos, apresentações, artigos e conversas. Rodrigo é embaixador-sênior do TED no Brasil e sócio das agências de comunicação LiveAD e ProfilePR. Também organiza retiros sobre desenvolvimento de consciência com líderes de diversos países, está escrevendo o livro "Humanos de Negócios" e organizando o "Flow" – um festival para trazer ferramentas e aumentar o nível de consciência das nossas relações.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: