Tempo não é mais desculpa: conheça o canal culinário mais curto do mundo

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Quando o rádio surgiu e a sua programação foi se definindo, acabou sendo convencionado que as músicas de três minutos seriam o formato padrão para a mídia. Os puristas, já nessa época, descabelavam-se, por considerarem essa uma limitação que empobrecia a música. Afinal, como uma pessoa poderia expressar a profundidade de suas emoções e levar uma mensagem importante em tão pouco tempo?

Não à toa, a música popular demorou muito tempo para ser considerada uma verdadeira forma de expressão e arte – vale frisar que, ainda hoje, temos discussões a respeito disso com o funk e o tecnobrega, só pra citar dois exemplos.

Hoje a gente vive dilemas parecidos com as plataformas de conteúdo disponíveis pela internet. O twitter, quando surgiu, veio com os seus 140 caracteres e levou críticas até mesmo de Saramago, o maior maratonista de parágrafos que a humanidade já viu. E, agora, o Instagram e o Vine passaram por situações semelhantes, ao disponibilizar a possibilidade de pessoas publicarem microvídeos para seus seguidores.

“[O Twitter] Nem sequer é para mim uma tentação de neófito. Os tais 140 caracteres reflectem algo que já conhecíamos: a tendência para o monossílabo como forma de comunicação. De degrau em degrau, vamos descendo até o grunhido.” - José Saramago

Se a gente for um pouquinho mais curioso, é provável que, a despeito do que as lamúrias iniciais possam dizer, percebamos que dá pra gerar conteúdo útil e de qualidade, mesmo com tais limitações.

As restrições podem, elas mesmas, ser grandes catalisadores do aspecto criativo. Afinal, você tem de jogar dentro daquelas linhas claras. Não se pode passar desse tempo, não se pode usar muitos recursos, você não tem dinheiro e o deadline é curto. Como proceder, então? Qual o melhor que eu posso fazer para ter um resultado que brilhe os olhos, seja interessante, relevante?

Bart van Olphen não é chef, mas um comerciante de peixes apaixonado por tudo que dá pra fazer – em especial cozinhar – com frutos do mar. Isso o levou a criar esse canal no Instagram, chamado Fish Tales, com a premissa  de ensinar um prato completo por vídeo em apenas 15 segundos. Recebi pelo e-mail, sugestão do amigo Ismael, a indicação desse que, não à toa, se autointitula o canal de culinária mais rápido do mundo.

Olha só que fenomenais os vídeos:

Pesquisando aqui, acabei descobrindo que temos um canal semelhante no Brasil, mas sem a limitação a pratos com peixes e frutos do mar, chamado Receitas Em 15s. Talvez, sem o mesmo charme, mas é importante frisar: o brasileiro é mais antigo que o gringo.

Bem legal ver gente abraçando esses formatos e produzindo com qualidade. Soa pra mim como uma bela forma de mudar a opinião das pessoas em relação à possibilidade de lidar criativamente com limitações.

Pra entrar na brincadeira, eu mesmo me impus algumas regras ao escrever esse texto. A ideia era escrevê-lo inteiro de memória, sem pesquisar no Google e em menos de duas horas. Falhei com o tempo. Mas pelo menos me diverti um pouco.

E vocês, conseguem lidar criativamente com as limitações que surgem no dia a dia?


publicado em 28 de Fevereiro de 2014, 12:01
Avatar01

Luciano Andolini

Cantor, guitarrista, compositor e editor do PapodeHomem nas horas vagas. Você pode ouvir no Spotify. Também escreve no Medium e em seu blog pessoal. Quer ser seu amigo no Facebook e Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: