"Tenho 25 anos e tudo parece estar indo por água abaixo. O que faço?" | Mentoria PdH #1

A cada semana, uma pergunta. E a comunidade responde e ajuda coletivamente, com base em suas vivências pessoais com o tema. Assim vamos cultivar mais parcerias, na prática.

"Eu jamais peço ajuda. Só faço isso em último caso."

Perdi a conta de quantas vezes escutei essa frase nas rodas de homens que tenho conduzido ao longo dos anos. Não costuma ser dita com pesar, quase sempre vem acompanhada de certo orgulho, como quando contamos de um traço de personalidade que apreciamos.

Roda em nosso evento Homens Possíveis 2017

Outra frase bastante comum é:

"Não falo isso pra ninguém, mas me acho um homem pior do que deveria ser."

Ontem, no Twitter, Dwayne "The Rock" Johnson disse assim:

"A depressão não discrimina. Me levou bastante tempo pra me dar conta disso, mas a gente é não ter medo de se abrir. Especialmente nós, os caras, temos uma tendência a guardar dentro. Você não está sozinho."

Hoje, na capa do GloboEsporte, mais um caso de atleta lidando com problemas de saúde mental:

Baixa auto-estima clássica, andando de mãos dadas com com o silêncio e resistência a pedir ajuda, em tempos nos quais faltam referenciais saudáveis de masculinidade. 

Essa é a receita para termos exércitos de homens solitários e confusos.

São os mesmos que nos enviam emails com perguntas quase todos os dias.

Nos questionam sobre como lidar com divórcios, paixões, traições, trabalho, demissões, promoções, dinheiro, falência, investimentos, luto, doenças, amizades, sucessos, fracassos, paternidade, velhice, espiritualidade, sexualidade, a mente, suas emoções, o próprio corpo e tudo mais que cerca nossas vidas. E não apenas jovens. Recebemos questionamentos de homens com cinquenta, sessenta, setenta. Só ainda não veio dos com mais de oitenta.

Não à toa vemos cada vez mais se abrindo em relação a problemas que enfrentam ou já lidaram. 

Já tivemos colunas variadas de perguntas e respostas com experts (alô, Drs. Love, Money, Health, Drinks, Fitness!) em diferentes abordagens. Mas agora queremos experimentar outra coisa.

A proposta da coluna Mentoria PdH, que se inicia hoje, é abrir as perguntas recebidas por nós para toda a comunidade responder, coletivamente.

Roda no "PAI: os desafios da paternidade atual"

Quem ajuda recebe tanto quanto quem é ajudado, ou mais. Aspiramos estimular relações de mentoria e apoio mútuo surgirem para além dessa tela de computador. E que as posições se revezem — afinal, o mentor de hoje pode ser o aprendiz de amanhã, em uma área na qual não domina.

Como vai funcionar?

Selecionamos as perguntas recebidas em nosso email e vamos publicar um novo artigo, toda semana.

A autoria vai ser mantida em anonimato, sempre que requisitado.

E aí vocês entram nos comentários e ajudam o autor da pergunta.

Há alguma sugestão de formato sobre como deixar meus comentários ajudando o autor da pergunta?

Pedimos que se foquem em relatar as próprias experiências, em primeira pessoa, ao invés de adotar um tom professoral ou caga-regras.

Que jamais ridicularizem, humilhem ou façam piada com as dores e questionamentos expostos. O que pode parecer bobo para você é a dor de muitos. 

É bastante complicado para muitos homens se colocar vulnerável. Vamos respeitar o estágio no qual cada pessoa se encontra. Até porque você pode ser hábil em vários campos e extremamente inepto em outros.

Sejam acolhedores, como fariam com um amigo ou irmão. Já existe agressividade demais circulando na web, a proposta aqui é outra.

Se puderem detalhar e oferecer referências específicas sobre como lidaram com o obstáculo, melhor ainda.

Os comentários que saiam desse foco podem ser apagados, para mantermos o eixo da conversa.

Quero ajuda, como envio minha pergunta?

Pelo email posts@papodehomem.com.br .

No campo assunto/subject do email, use o seguinte padrão:

"PERGUNTA | Mentoria PdH"

É importante escrever "Mentoria PdH" pois assim facilita nosso trabalho de filtrar e encontrar as mensagens.

Só vamos dar retorno para as perguntas selecionadas para a coluna. As demais vão ficar sem resposta, mas não nos odeiem por isso. Abaixo sugerimos um caminho pra conseguir apoio sem depender de nós.

Como posso cultivar relações assim fora da caixa de comentários do PdH, sem soar arrogante ou como um fracote confuso?

Escrevi um texto só sobre isso, chamado "Cultive mais relações de parceria".

Mas em resumo, trata do cultivo de laços nos quais o movimento de um beneficia o movimento do outro, de maneira ampla.

Muitas vezes perguntar, de coração aberto, "como posso te ajudar?" ou "posso te pedir uma ajuda?" é transformador.

A primeira pergunta do Mentoria PdH:

"Oi, pessoal.

Não sei se devia enviar esse e-mail pra vocês, mas como não tenho ideia melhor, lá vai.

Tenho 25 anos. Minha vida parece estar se tornando adulta, só que sinto estar errando mais do que devia.

Concluí a faculdade de administração e consegui um bom estágio e depois fui efetivado. Fui promovido rápido e passei a ganhar mais. Saí da casa dos pais, fui morar sozinho, comecei a namorara mulher dos sonhos, ela veio dividir o apartamento comigo. As coisas pareciam estar indo bem.

Esse ano fui demitido sem entender bem a razão disso (meu chefe disse que é por conta da crise), já que me considerava um dos melhores funcionários da área e com salário relativamente baixo. Isso me deixou bem mal, porque até agora não consegui outro emprego. Passei a brigar mais com a namorada e terminamos um relacionamento de 2 anos. 

Minhas economias estão encolhendo. Só não acabaram ainda porque comecei a dirigir pela Uber.

Continuo fazendo entrevistas de emprego toda semana. 

Comecei a tomar cerveja sozinho em casa e jogar videogame com mais frequência do que fazia antes, com a desculpa de que nunca exagero demais, mas a real é que minha saúde piorou, minha alimentação piorou, estou dormindo mal e tudo que não quero é voltar pra casa dos meus pais. 

Olho no espelho e vejo um homem de barba, que fala grosso e mete medo (sou grandalhão). Mas no fundo ainda me sinto meio moleque. Nem sei direito por onde começar, mas preciso de apoio e confio no PapodeHomem.

Será que podem me ajudar nessa coisa de ficar adulto?"

— Carlos, 25 anos

* * *

Lembrando:

  • comentem em primeira pessoa, contando da sua experiência direta com o tema — e não só dizendo o que a pessoa tem que fazer 
  • não ridicularizem, humilhem ou façam piada com o outro
  • sejam específicos ao contar do que funcionou ou não para vocês
  • estamos cultivando relações de parceria de acordo com a perspectiva proposta aqui, que vai além das amizades usuais (vale a leitura)

* * *

Mentoria PdH é uma coluna por meio da qual vamos ajudar coletivamente outras pessoas da comunidade, compartilhando relatos de nossas vivências, em primeira pessoa.


publicado em 03 de Abril de 2018, 09:48
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura