Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Testamos o novo BMW Série 5 na maior pista de aviões do Hemisfério Sul

Acabo de chegar de um dia extasiante. Passei algumas horas pilotando uma nave, ou melhor um puta carro. A convite da BMW fui testar o novo BMW Série 5. Convite feito alguns dias atrás, clima de mistério - não revelaram o destino.

A única pista, teria que estar às 7 da manhã no aeroporto de Guarulhos. Fui dormir tarde, acordei cedo, peguei meu carro e rumei, sozinho pela madrugada, até o local. Chegando lá, um grupo de selecionadíssimos vinte e poucos repórteres dos maiores portais e revistas especializadas em automobilismo.

Eu, um estranho no ninho, mas o mistério continuava no ar - para todos.

Primeira evidência de um dia fora do comum

Rumamos para a pista de jatos executivos em um jatinho da Embraer. Eu que nunca tinha estado em um jatinho, estava adorando aquele circo.

Melhor que o do Eike!

Segunda evidência

50 minutos após a decolagem a aeromoça denúncia parte da trama construída pela BMW.

- Passageiros (detalhe - nada de número de vôo, ou mesmo aquela babozeira em inglês) estamos em minutos pousando na fábrica da Embraer em Gavião Peixoto.

Eu como leigo em assuntos automobilísticos, ao lado de feras com 30 anos de história, com coberturas de Le Mans e Paris Dakar na bagagem, não tinha a menor idéia do propósito daquele destino. Só eu mesmo porque todos os jornalistas já ficaram animados comentando que lá existe a maior pista de pouso do hemisfério Sul, onde a empresa de construção de aviões testa seus aviões em uma pista de quase 5 Km.

Terceira evidência

Ao descer do jatinho, me deparo com um hangar com diversas máquinas estacionadas. Eram cerca de 10 dos novos BMW Série 5, metade couple e a outra metade Gran Turismo.

Nada mal para um dia de trabalho em plena Quinta-Feira, concordam?

Essa credencial nos enche de orgulho.

Evidências de lado, chegou a minha vez de pisar em um daqueles super carros. Fomos para a pista de decolagem e quando percebi, já estava sentado no cockpit de um BMW 535i GT, com motor 3.0 (306 cv) e 6 cilindros em linha com turbo, sistema Valvetronic e injeção direta. Essa máquina crava de 0 a 100 km/h em 6,3 segundos.

O professor de direção defensiva da BMW se debruçou despretensiosamente na janela do motorista e me deu algumas instruções:

- Na saída, segura até 3.000 rpm e tira o pé do ABS. Pisa fundo e chega até cerca de 180 km/h depois vai diminuindo aos poucos e para.
- Arranca novamente com tudo, faz o slalon e volta.
- Larga, novamente com tudo, quando o carro estabilizar em 120 km/h pisa fundo no ABS. Não fica com medo, pisa mesmo, pra ver como o ABS funciona.

Eu nessa hora, pensei, fudeu. No carro da minha frente, um repórter da revista Carro estava enlouquecido tentando fazer o que ele tinha pedido. Eu, que nunca tinha dirigido um carro que chegasse aos pés desse em todos os sentidos, suei frio.

Acho que a sensação de fazer essas manobras não vou conseguir descrever aqui. Só a conclusão de que, definitivamente, sou um daqueles apaixonados por velocidade. Comecei o trajeto como um menino assustado. Acabei todas as manobras como um homem rindo à toa, com aquele pensamento, "não foi tãooooo difícil."

Para vocês que não foram, algumas fotos exclusivas para sentirem um pouquinho da emoção que vivi.

Gostaria de saber nos comentários quem já teve a oportunidade de dirigir uma supermáquina como essa, seja da BMW ou não?

BMW Série 5

É muita máquina.

O coração.

5Km de reta, pra pisar sem dó.

Dá um zoom, agora sou eu mesmo no volante.

No slalon, botando o braço à prova.

Encerramento cinematográfico para um dia inesquecível.

Aqui, mais informações técnicas sobre o carro.


publicado em 26 de Junho de 2010, 08:46
E762eef80f0ef2dc9cf78ab1abf97ed2?s=130

Felipe Ramos

Um realizador nato, de coração sem tamanho. Transformar pedra em banquetes é a especialidade desse MacGyver gaúcho. Notório por seu apetite festeiro, nunca recuse quando for convidado a uma de suas frequentes celebrações e aventuras. O imprevisível é seu prato favorito. No Twitter, @felipemktg.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura