Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Tome uma Atitude Contra a Aids, rapaz

Sei andava meio sumido, admito, mas cá estou de volta. De volta por uma causa nobre. Mais nobre que a minha causa anterior de ficar milionário vivendo de renda nas Ilhas Gregas.

Bom, é o seguinte cambada. O Ministério da Saúde acabou de concluir a maior pesquisa já feita sobre o comportamento sexual do brasileiro. Vão se aquietando aí, porque não vou falar sobre número de relações sexuais por semana nem o tamanho médio do, digamos, orgulho dos homens brasileiros. O buraco é mais embaixo. Sem trocadilho.

Bom, a pesquisa, dizia eu… Depois de anos e anos de conscientização, campanhas e (milhões de) mortes pelo mundo todo, parece que muita gente – mas muita mesmo – ignora o perigo das DSTs, e principalmente da AIDS.

Números nada óbvios

image
Preste muita atenção onde anda enfiando seu sabre de luz, padawan…

Somente 51% dos homens e 35,6% das mulheres usou camisinha em TODAS as relações sexuais nos últimos doze meses com parceiros CASUAIS. Eu disse casuais. Não parceiros fixos. Ou seja, metade dos homens brasileiros e mais três quartos das mulheres correram sério risco de contrair Aids ao longo do último ano. A boa e velha repensada na vida antes de abrir o resultado do exame de sangue ocorreu algumas milhões de vezes no ano passado, para milhões de brasileiros.

E você acha que o maior problema são os jovens? Afoitos e ávidos por uma noite de sexo casual, ou várias noites, sem ter que se preocupar com camisinha? Ledo e Ivo engano, camarada.

Ainda segundo a pesquisa, 30,7% dos jovens entre 15 e 24 anos usou camisinha em todas as relações sexuais com parceiros fixos nos últimos doze meses, e 49,6% o fizeram com parceiros casuais no mesmo período. Achou pouco?

Entre a população na faixa etária de 50 a 54 anos, somente 10%, eu disse DEZ POR CENTO, dos brasileiros utilizaram camisinha em todas as relações com seus parceiros fixos no último ano. E com parceiros casuais, foram só 32%.

Isso quer dizer que não é a “desinformação dos jovens” a grande responsável pelas camisinhas serem preteridas pelo brasileiro.

Informação se tem, mas então falta o que? Vergonha? Machismo? Orgulho? Um fato a ser levado em consideração é que algumas décadas atrás, o problema das DSTs mais graves, como a Aids, praticamente não existia, então hoje temos uma geração de adultos que não tiveram esta preocupação em sua juventude.

A pesquisa mostra que nós, jovens que já crescemos ouvindo falar sobre Aids e outras DSTs mais graves, já nos conscientizamos. Os mais velhos ainda parecem reticentes à esta precaução. E some-se a isso o fato de que, de 2004 para cá, caiu o número de pessoas que utilizam preservativos.

Quem trai, ainda por cima o faz de maneira irresponsável

Mas aí você poderia alegar que entre as pessoas casadas o uso da camisinha é praticamente inexistente. Afinal, casados não usam camisinha.

Veja este dado sobre os casados que se relacionam com outras pessoa:

57% dos homens e 75% das mulheres que possuem parceiro fixo NÃO usaram preservativo em relações extra-conjugais durante os últimos 12 meses.

Ou seja: elas utilizaram com os parceiros fixos e não utilizaram com os outros parceiros, o que abre uma considerável porta de entrada para DSTs em geral, e principalmente para a Aids.

image
Campanha contra a AIDS na Suiça, registrada em um outdoor. O marido infiel e irresponsável leva – querendo ou não – todas as demais mulheres para dentro de sua casa.

Bom, e o que você tem a ver com isso? Porque em lugar de mulheres gostosas, carros sensacionais ou histórias engraçadas vim ao PdH pregar sobre conscientização? Porque é importante. Mais do que isso, diz respeito a todos.

Se você usa camisinha com o seu namorado ou maridoe ele não usa com as outras – caso ele tenha, não estou insinuando nada – você está exposto ao vírus.

Se você usa com a sua namorada e não usa com as (suponhamos) outras, está expondo a pessoa que você ama ao risco. Não é uma questão individual, é uma questão coletiva.

O que podemos fazer além de usar camisinha?

Ajudar a divulgar esta campanha, assim como o nosso chefe Guilherme está fazendo, ao deixar de ganhar algumas dezenas de milhares de dólares e abrir espaço para este texto totalmente de graça aqui na Papo de Homem. Seguem atitudes práticas:

1. Participe da comunidade oficial “Atitude contra a Aids” no Orkut, convide seus amigos. Lá será um espaço para debates, troca de informações e novidades sobre pesquisas, campanhas etc.

2.Aqui você pode ver a pesquisa completa e nesta página você pode ter acesso à todas a informações que precisa sobre a Aids.

3. Divulgue em seu blog, site ou apenas via Twitter mesmo.

Link direto da pesquisa, caso prefira: http://portal.saude.gov.br/portal/aplicacoes/noticias/default.cfm?pg=dspDetalheNoticia&id_area=124&CO_NOTICIA=10326

4. Ou dar uma nota sobre a pesquisa e botar a fitinha vermelha, que é o símbolo mundial da luta contra a Aids, no seu blog, como um selo. É só clicar na fitinha aí embaixo e pegar a sua.

aids_fita_165x240

---

Vamos nos mobilizar para esta causa como nos mobilizamos ao repassar vídeos ou posts interessantes – ou de mulheres peladas.

E só pra acabarmos de vez com o pensamento de que certas coisas só acontecem com o vizinho, escute essa. Há, no Brasil, estimadamente 630.000 pessoas infectadas com o vírus da Aids.

Porém, dessas, 255.000 possuem o vírus e NÃO SABEM. Ou seja, o perigo é ainda maior do que se imaginava. Preserve a si mesmo, preserve as pessoas que você ama. Faça como eu e o Guilherme (sem piadinhas, engraçadinhos...), ajude a divulgar estas informações.

Tome uma Atitude contra a Aids. Ela pode estar do seu lado.


publicado em 06 de Julho de 2009, 07:00
34f0e9da1c49e2251874f04908fb5e96?s=130

Leonardo Luz

Fã de polêmicas, adora cutucar onça com vara curta. Também detona no blog "Eu e Meu Ego Grande".


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura