Uma mistura de sexo, cinema, solidão e maçonaria

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg
  • Asm selo png

Setembro acabou. Foi-se o inverno. Agora começa o tempo de flores desabrocharem e de camponesas saltitantes zanzarem as glebas ao redor do mundo.

Mas não é porque camponesas serelepes estão soltas por aí que deixaremos de trabalhar para caçá-las. Queremos manter o pique extraordinário do último mês aqui no QG: batemos recorde de visitantes no ano, chegamos a 16 mil "likes" no Facebook, bebemos bem e ninguém reclamou do fígado. Diz aí se não foi um puta mês bom. Fuck yeah PdH!

Amamos camponesas

Dos 85 textos publicados no mês, estes foram os dez mais acessados:

1. Sexo: algumas verdades incômodas

A , nossa leitora mais assídua e o pecado da luxúria travestido de fêmea, escreveu sobre tudo o que não falamos sobre o coito, a cópula, o cruzamento, o nheco-nheco, a metelança, a foda, a trepada, o vuco-vuco...

"(...) Se vai chupar, pelamordedeus, cuidado com os dentes. Uma raspada mais entusiasmada na cabeça do pau, fodeu. (Ou melhor, não fodeu mais.) E isso vale também para unhas compridas. Cuidado. Tudo o que não queremos nessa hora é um pau esguichando sangue. (...)"

2. Nossos dez segredos inconfessáveis

Nesta lista, resolvi escancarar aquilo que os homens não comentam. Que ignoram. Que repudiam. Que evitam. Que não falam nem sob tortura. Enfim, eu ignorei a primeira regra do clube do Bolinha: "You do not talk about clube do Bolinha."

"Somos tarados por ménage, mas muitos de nós cagam de medo quando duas mulheres realmente topam. É uma tentação, mas quem não treme na base? O maior sonho masculino: duas mulheres ao mesmo tempo. Mas a gente sabe que é preciso fôlego para aguentar um par de safadas. Não raro, passamos a vida em busca de sexo a três e, quando ele realmente se anuncia, amarelamos. (...)"

3. Solidão masculina

 fez um belo apanhado da psique masculina nos dias atuais. Fala do homem sem valores e amedrontado. Leitura obrigatória.

"(...) Numa realidade complexa e com muitas sutilezas emocionais, o homem fica paralisado, pois não foi treinado para lidar com a amplitude de identidades à nossa disposição. Ser apenas mais um macho-provedor está longe de dar conta do recado.
"Então ele desenvolve um psiquismo fragmentado. Dentro de si guarda as velhas noções de masculinidade, mas externamente se adequa a uma mentalidade livre de papéis restritos. Isso causa uma sensação de isolamento. As revistas e programas de TV voltados ao público masculino tendem a reforçar os estereótipos. Não se abrem espaços para discussões maduras e sérias sobre os dramas masculinos. (...)"

4. Top30 frases e diálogos do cinema brasileiro

, rei do bilboquê, fez um compilado em vídeo das 30 frases e diálogos mais bacanas do cinema nacional. Tem trechos de Tropa de Elite, Os Sete Gatinhos e o já clássico "é o Jô Soares, sua piranha!".

"(...) O desafio foi grande. A pesquisa foi enorme. Gostaríamos, sim, de finalizar o projeto de vídeo com 100 frases. E até conseguimos listá-las. Porém, entregar o material pronto evitaria a proposta de interação aqui tanto defendida. Queremos que o vídeo abaixo, com 30 frases selecionadas, seja apenas o start desse projeto de valorização do cinema brasileiro e tenha participação do leitor PdH. (...)"

5. Lições de um gemido

, que ouve Barry White todas as terças, às 11 da noite, relembrou a cena mais famosa do filme Harry & Sally e de como é a amizade entre um homem e uma mulher.

"(...) Mas não é por maldade. Não é egoísmo. Um homem, qualquer que seja, não consegue ter uma amiga gostosa sem vontade de comê-la. (...)"

6. Teoria quase antropológica sobre a mulher sexy

Tentei demonstrar neste texto como a mulher verdadeira sexy só é percebida depois do sexo.

"(...) Depois do sexo – principalmente depois do sexo bem feito, sem pressa –, não há mais nada a provar. Isso serve tanto para homens quanto para mulheres. Você não é pressionado a se mostrar o literal 'pica das galáxias'; ela, por sua vez, também se despoja de seus artifícios. (...)"

7. "Quero ser maçom para ficar rico"

Um autor anônimo acaba com alguns mitos sobre a maçonaria. Um texto bem coloquial e informativo, como poucos que tratam do assunto.

"(...) Para desespero dos religiosos fanáticos, maçonaria não é religião. O que deixa esse pessoal indignado é que, em uma loja maçônica, é possível ver um judeu ortodoxo e um muçulmano se reconhecendo como irmãos. O mesmo vale para todas as religiões. É nessa hora que surgem as baboseiras: 'não se pode servir a dois senhores', 'eu sirvo a Deus em minha igreja, a maçonaria serve ao demônio', 'onde tem espírita não tem Deus' – substitua o 'espírita' por qualquer outra religião, o resultado é o mesmo. (...)"

8. Orgasmo feminino, esse desconhecido

Neste texto, eu compilei alguns estudos sobre o orgasmo feminino para chegar a uma conclusão: ninguém sabe que porra é essa. Até mesmo as mulheres têm dúvidas sobre ele.

"(...) C. diz ter três relações sexuais por mês e 20 orgasmos. Mas precisamos convir, contudo, que C. talvez não seja referência. Um estudo gringo realizado em 2009 aponta que entre 10% e 15% das mulheres nunca chegam ao orgasmo. Incompetência masculina? Nem sempre. (...)"

9. Me adicione. E depois faça sexo comigo

Uma rede social destinada à traição. Eu participei da comunidade do Ashley Madison por um tempo e relatei tudo neste texto.

"(...) Afinal, o que essas casadinhas buscam no Ashley Madison? Um levantamento interno aponta que 36% quer vingança. O marido é bom numa visão geral, mas deu uma escapadinha infeliz, foi pego e, se já não se tornou um puta de um corno, logo se tornará. Olho por olho, foda por foda. (...)"

10. Quatro chutes no saco: verdades que você finge não ver

Você acha que tem amigos? Que é único? Pois  vai incomodar você com as verdades delineadas neste artigo.

"(...) O que chamamos de amizade nada mais é do que um conjunto de expectativas mais ou menos definidas. Amigo é aquele que se move dentro desse cercadinho sem reclamar qualquer liberdade além dos limites. Por isso, relações de amizade vão se dissolvendo uma a uma com o decorrer dos anos. Este fenômeno ocorre pelo simples fato de que ninguém tem a obrigação de viver em função dos nossos caprichos e desejos. Os amigos, principalmente, têm a obrigação de não fazê-lo. (...)"

A ESCOLHA DO EDITOR

Afinal, qual Independência celebramos?

Cada dia mais o PdH busca enriquecer o mosaico de temas, textos e autores. Uma seara pouco explorada aqui é política. Por isso, eu fico bastante satisfeito cada vez que leio um artigo de , que se debruça sobre política para trazer aos leitores do PdH assuntos da área de maneira didática e, ao mesmo tempo, sem cair em obviedades. Neste, Juliana fala sobre como o País não é verdadeiramente independente por conta dos mecanismos criados pelos próprios políticos.

"(...) Neste país, da maneira em como a política está organizada, é difícil dizer que algum ator político tenha, realmente, alguma independência – pelo menos não entre nós mesmos. Chegamos a um ponto em que a corrupção deixa de ser um problema político de interesse social para se tornar um problema necessário para que a presidente continue a governar e os parlamentares a trabalhar. Ainda pior do que isso é o fato de a eliminação da corrupção ter se tornado, para diversos membros da sociedade civil, um objeto de força política que não condiz, em nada, com os interesses gerais de uma nação que pretende ser independente em alguma coisa."

Quer ler outros textos de setembro? Acesse o nosso Tesouro e boa leitura.

Se não quiser ler, tudo bem. Sugiro que saia à caça de camponesas.


publicado em 05 de Outubro de 2011, 10:13
File

Rodolfo Viana

É jornalista. Torce para o Marília Atlético Clube. Gosta quando tira a carta “Conquiste 24 territórios à sua escolha, com pelo menos dois exércitos em cada”. Curte tocar Kenny G fazendo sons com a boca. Já fez brotar um pé de feijão de um pote com algodão. Tem 1,75 de miopia. Bebe para passar o tempo. [Twitter | Facebook]


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: