Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

A banda mais Lado B do Brasil lança álbum novo

Violins é uma banda de rock brasileira, de Goiânia. Tão Lado B que, em quase uma década de carreira, dá pra contar nos dedos de uma mão a quantidade de vezes que tocaram em São Paulo.

Tão Lado B que a música mais ouvida do álbum novo, disponibilizado por completo no SoundCloud, tem pouco mais de 2000 plays.

Mas o que lhes falta em popularidade, sobra em talento.

Violins (2012)

Fico até meio puto. Confesso que tenho um "complexo de hipster invertido" com Violins – em vez de ficar puto porque uma banda que eu curto está ficando muito popular, eu não entendo por que mais pessoas não a conhecem e adoraria que ela tivesse mais fãs.

Tudo bem que não é a banda mais fácil de se ouvir. Não combina com dias de sol ou com muita felicidade. Não dá pra ouvir sorrindo. O rock da Violins tem um baixo tão pulsante e grave quanto os meus batimentos cardíacos.

Ouça aqui e tire a prova:

A banda mais produtiva do Brasil

Mesmo sem uma legião enorme de fãs exigindo novidades ou uma agenda lotada de shows e aparições na mídia, a Violins tem sido diligente na sua produtividade. De 2007 até 2012, tivemos um álbum por ano. Exceto em 2009, mas dá pra relevar pelo seguinte fato: o álbum de 2008 foi duplo.

Pela ocasião do disco novo, todos esses álbuns estão disponibilizados no site para download gratuito. E não são álbuns quaisquer.

A Violins tem o costume de lançar álbuns mais ou menos temáticos, cujas letras tenham uma certa coesão poética com uma determinada narrativa. O primeiro disco, Grandes Infiéis (2005), por exemplo, lida com traição, em todas as suas diferentes formas – que podem ir bem além de um mero chifre. A Redenção dos Corpos (2008) toca nas feridas da espiritualidade e das crenças humanas, e por aí vai.

Mas talvez o mais porrada de todos seja o Tribunal Surdo (2007). O mundo não é apenas podre, mas certamente há um lado feio, grotesco, agressivo e ofensivo na alma humana. Neste álbum, as letras de Beto Cupertino vão direto na veia dessa realidade, falando sem vírgulas, hesitações ou meias palavras.

A pesada música "Grupo de extermínio de aberrações", inclusive, rendeu a eles tanto a honra de "melhor música nacional" de 2007 do Scream&Yell (que também falou muitíssimo bem do álbum em si) quanto problemas com a lei, quando a letra artisticamente preconceituosa foi confundida com preconceito real.

Só clicar

Mostrei Violins para um número de pessoas. A maioria não gostou muito, confesso. Mas o curioso é a paixão desenvolvida pelos poucos que gostaram. Paixão semelhante à minha.

Se você tocar a corda Mi no seu violão, pode perceber que a outra corda Mi, se ambas estiverem bem afinadas, vai vibrar junto, porque está no mesmo tom. Acho que é uma analogia interessante.


publicado em 18 de Novembro de 2012, 12:42
File

Fabio Bracht

Toca guitarra e bateria, respira música, já mochilou pela Europa, conhece todos os memes, idolatra Jack White. Segue sendo um aprendiz de cara legal.\r\n\r\n[Facebook | Twitter]


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura