"Vipassana" — o primeiro curso de meditação realizado em um presídio brasileiro

"Se eu estou trabalhando com essas pessoas para que possam ter uma oportunidade ao sair de lá, eu preciso que pensem em si mesmos."

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg
  • Asm selo png

Ouvimos bastante sobre os benefícios da meditação na vida, para diversos grupos de pessoas. Há iniciativas que buscam ensinar como se familiarizar com a mente e o mundo interno em escolas, universidades, empresas, em dojos de artes marciais... a lista vai longe.

Há também muitas motivações diferentes, das mais elevadas, como as pessoas que querem utilizar-se da prática para beneficiar muitas pessoas como também quem apenas quer melhorar a performance profissional ou diminuir a ansiedade e o estresse para ter uma rotina um pouco menos acelerada e difícil.

Esses são os casos onde é relativamente comum ouvirmos falar em meditação.

Porém, o que o documentário Vipassana - O caminho da libertação mostra é algo bem raro. Dirigido por Daniel Labanca e produzido pela Sanfona Filmes, ele fala sobre a aplicação de Vipassana no presídio de Ribeirão das Neves-MG. 

Vipassana é uma entre muitas práticas de meditação existentes como, por exemplo, Shamata e Metta Bhavana. Uma das mais antigas que existe, o nome significa "ver as coisas como realmente são" e consiste em técnicas de contemplação e observação das sensações e da mente com a finalidade de gerar transformação.

Rodrigo Gaiga, diretor-presidente da Gestores Prisionais Associados (GPA), empresa que administra o complexo presidiário, afirma em entrevista ao HuffPost que “Quando falamos em meditação para os presos, estamos falando sobre a sua saúde mentalSe eu estou trabalhando com essas pessoas para que possam ter uma oportunidade ao sair de lá, eu preciso que pensem em si mesmos. E o curso foi uma oportunidade de eles pensarem em suas atitudes, no que eles queriam para o futuro deles após o cumprimento da pena."

É bem interessante observar o que afirmam os prisioneiros que participaram do curso. 

"Vem na mente a história da vida da gente, tudo. Tudo. Tudo de bom. Tudo de ruim que eu já fiz na minha vida, veio tudo à tona."

"Era ódio, raiva, vingança... hoje em dia, graças a Deus, é só paz."

"Eu fiz realmente uma retrospectiva na minha vida. Por que estou aqui? Não seriam meus atos? O que me levou a ter essa vida? Cheguei à conclusão de que eu precisava admitir que eu também era culpado pelo que aconteceu e me veio um grande arrependimento. Eu já tinha essa consciência, com certeza já tinha. Mas meditando a gente vai mais profundo."

Você pode ver o documentário na íntegra abaixo.

Link Vimeo

Quando pensamos nos presídios como espaços para a recuperação e reintegração dessas pessoas à sociedade, faz todo sentido usar a meditação como uma ferramenta para fazê-los aprender a se familiarizarem e controlarem as próprias emoções, o que potencialmente pode torná-los menos agressivos e propensos a reincidirem no crime.

E aí, o que acham da iniciativa? 

Quer começar a meditar?

Ainda em tempo, se ficou curioso sobre a prática de meditação e quer saber mais sobre, temos um belo artigo com um vídeo introdutório, ensinado pelo Lama Padma Samten. Vale conferir também.


publicado em 24 de Julho de 2018, 17:14
Logo pdh png

Redação PdH

Mantemos nosso radar ligado para trazer a você notícias, conversas e ponderações que valham o seu tempo. Para mergulhar na toca do coelho e conhecer a visão editorial do PdH, venha por aqui.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: