Você já comprou a granel? Nosso modo de consumir e como podemos transformá-lo

No Biocoop 21, você compra só o quanto precisa e fica responsável pela própria embalagem

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Há um tempo, conversamos sobre iniciativas pra alimentar quem tem fome, desperdício de comida e a relação indissociável desses dois problemas com o nosso modo de consumir: supermercados tradicionais estão vomitando embalagens mais caras que seu próprio conteúdo e as notas fiscais dos nossos carrinhos de compras somam números bem mais altos do que o de nutrientes ingeridos por dia.

E é no mínimo curioso quando a gente se depara com iniciativas bem diferentes, como esse supermercado da França.

Tudo está armazenado em vidro, e você leva a quantidade que precisar

O Biocoop 21 está em Paris, oferecendo pra galera da cidade uma opção de consumo mais consciente em alguns sentidos. Todos os seus produtos são vendidos a granel – inclusive os líquidos –, o que significa que famílias grandes e jovens solteiros podem comprar, da mesma forma, a quantidade necessária de comida para si, evitando jogar fora sacos inteiros de pão de forma mofados.

Além disso, embalagens não estão inclusas na sua compra. O mercado até conta com potes de vidro e sacolas de algodão orgânico pros esquecidos – que deve ser comprados à parte –, mas se há liberdade de escolha nas quantidades, a responsabilidade pelo armazenamento e transporte do alimento para casa é de cada um.

Não dá pra deixar de apontar, aqui, o efeito interessante que isso pode gerar: cuidar de nós mesmos e amar nossos corpos também pode significar se dar a generosidade de reservar alguns minutos do mês ou da semana pra refletir e planejar não só o que vamos consumir, mas quanto vamos consumir e também se isso é adequado pra que a nossa nutrição seja cuidada.

A oferta de produtos exclusivamente orgânicos só corrobora com a proposta! E a preferência por produtores locais levanta uma outra discussão importante: a nossa geração de lixo.

Claro que o uso de embalagens reutilizáveis e próprias reduz drasticamente o descarte de produtos de reciclagem difícil como alguns tipos de plástico e, consequentemente, a quantidade de lixo por compra. Mas essa noção se torna muito mais poderosa quando pensamos também na economia de combustível queimado no transporte dos produtos.

A consequência disso são produtos mais baratos – com menores custos de transporte e, quiçá, produção – e mais perecíveis, o que, não se engane, é ótimo! Comida de verdade estraga. E comida que estraga não está infestada de conservantes e leticinas de soja (que, um dia, hei de descobrir a que servem).

A iniciativa da loja é da Biocoop, uma sociedade anônima francesa especializada na distribuição de produtos verdes e cosméticos que registrou crescimento de 13,4% em 2014. O seu presidente, Claude Gruffat, atribui o fato ao engajamento da marca com valores de interesse da sociedade civil, como o comércio justo e de proximidade e o consumo responsável.

Está em francês, mas eu prometo que as imagens são autoexplicativas

A loja ainda é só uma experiência, e deve fechar no dia 30 desse mês, mas não deixa de despertar a fagulha de um novo tipo de consumo, assim como fez a inauguração do mercado Original Unverpackt, em Berlim, no ano passado.

Aqui no Brasil, ficamos na vontade de mais iniciativas assim, mas, graças a nossa boa imaginação e vontade, cito algumas parecidas como o Armazém da Dezoito, em Caxias do Sul, RS; a Casa Pedro, no Rio; e a Zona Cerealista, em São Paulo, além, é claro, das diversas feiras livres espalhadas pelo país.

Me chama nos comentários pra contar o que tem de consumo responsável na sua região. É muito pretensioso querer traçar um panorama colaborativo por aqui?


publicado em 06 de Dezembro de 2015, 00:05
10710799 10152759290008996 1807417555040828999 n

Marcela Campos

Tão encantada com as possibilidades da vida que tem um pézinho aqui e outro acolá – estuda Jornalismo na Universidade de São Paulo, mas também cursa Saúde Reprodutiva Holística no Justisse College. Compõe a equipe de conteúdo do PapodeHomem, modera uma comunidade de quase dez mil mulheres e não tem preguiça de bater um papo bom.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: