Você não precisa sofrer tanto assim para trocar as tomadas da sua residência

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Muita gente reclamou, esperneou. Tudo sem motivos. O novo padrão de tomadas adotado pelo Inmetro em 2010 se mostrou uma decisão certeira.

Ela é mesmo muito mais segura que suas antecessoras e melhor: a padronização evita aquele bacanal de modelos de plugues.

Todos os aparelhos eletrônicos vendidos hoje no país já vem sob a nova norma. Mas se sua casa ou apartamento foi construído há mais de 5 anos, é certo que suas paredes ainda devem estar no padrão antigo. Bem, nesse caso, talvez seja hora se atualizar. O mesmo procedimento também pode ser usado para substituir uma tomada defeituosa, desde que o problema esteja mesmo nela, e não na fiação ou quadro de distribuição. A real é que, na maioria das vezes, você mesmo pode trocar com muita facilidade e segurança.

Porque trocar

tomada-capa

Mudar para o novo padrão pode resolver problemas de compatibilidade em equipamentos novos, que estão te obrigando a utilizar adaptadores ou benjamins (que são mais perigosos e mais feios que uma conexão feita diretamente à tomada).

A maioria dos aparelhos antigos funcionam normalmente no novo padrão.

A atualização já te deixa preparado para as compras futuras de aparelhos.

E também pode render um agrado à namorada, calar as queixas de sua mãe de que a nova sanduicheira não funciona, ou mostrar para o sogro que você não é assim tão inútil quanto ele pensava.

Quando trocar

Se você se casou a pouco tempo (portanto tendo eletrodomésticos novos) mas não se mudou para um imóvel construído recentemente, é provável que esteja usando alguns adaptadores pela casa. O mesmo se houve a troca de somente alguns equipamentos, como aquela TV de tubo enorme que deu lugar uma LED pendurada na parede. Nesse caso a atualização vai ser muito bem-vinda.

Embora nada impeça que você troque todas as tomadas do imóvel, o que pode ser bem desejável (e torno a repetir, te deixa preparado para futuras aquisições), em alguns casos ou é melhor deixar como está ou não haverá muitos benefícios.

As hipóteses

Se sua geladeira tem sua idade e usa o padrão americano (conectores achatados) e se encaixa muito bem na tomada que já existe, e se você não pretende trocá-la por uma nova a curto prazo, não faz sentido atualizar essa tomada para o novo padrão, pois os plugues se tornariam incompatíveis e exigiria um adaptador (a menos que fosse substituído o macho também). É o mesmo que caminhar para trás.

Alguns equipamentos novos, mesmo estando no padrão atual, continuam funcionando nas tomadas antigas, como muitos de vocês já devem ter percebido. Nesse caso a atualização, apesar de recomendável, é facultativa.

Quando não trocar por conta própria

Caso a instalação elétrica de sua casa seja muito velha (mais de 15 anos), talvez esteja na hora de chamar um eletricista para uma revisão ou até mesmo para substituí-la por inteiro. Nesse caso ele próprio atualiza as tomadas.

Caso sua instalação dê problemas com frequência (mal funcionamento de lâmpadas e tomadas, disjuntores ou fusíveis desarmando ou queimando com frequência, fogo no chuveiro, diminuição muito intensa do brilho da luz ou até aparelhos como TVs desligando quando você liga o ferro de passar ou a ducha) está passando da hora de chamar um profissional. É um gasto necessário que garante sua integridade e a de tudo que você levou tanto tempo para comprar. E, nesse caso, ele próprio atualiza as tomadas.

O terceiro pino do novo padrão de tomadas é o fio terra. É um dispositivo de segurança que evita choques elétricos e serve como referência para o completo funcionamento de alguns aparelhos. Boa parte dos prédios antigos (e muitos dos novos também, mesmo que as tomadas sejam as atuais) não possuem o aterramento. A instalação do fio terra só pode ser executada por um profissional qualificado. Não tente bancar o corajoso.

Na prática, muitos aparelhos não usam o fio terra (os equipamentos que naturalmente só possuem dois pinos), e quando usam, ele geralmente não é, de fato, necessário. É por isso você liga um plugue de 3 pinos numa tomada de 2 usando um adaptador e o aparelho funciona normalmente.

Nesse caso você deve optar: ou troca a tomada mesmo assim, algo que dificilmente vai te trazer algum problema ou chama um profissional para atualizar sua instalação elétrica e aterrá-la, deixando-a dentro da norma e aumentando a sua segurança.

Obviamente a segunda opção é mais cômoda. Mas pode ser cara e levar alguns dias. Aí vale a boa e velha equação custo x beneficio.

A troca não muda a tensão, uma tomada que era de 127V continuará sendo de 127V. Da mesma forma, uma tomada de 220V continuará sendo de 220V. Portanto, cuidado se em sua casa você possui tomadas e aparelhos de ambas tensões.

Nunca se esqueça disso

Lembre-se que eletricidade não é brincadeirinha. Embora esse guia seja algo simples e seguro, não vacile. Execute qualquer reparo ou modificação com os disjuntores desligados. Na dúvida desligue todos eles ou, se possível, o medidor. Isso vale mesmo quando for apenas abrir a tomada para fazer verificações.

Mão na massa

1. A loja

Vai haver basicamente dois tipos de tomadas para você escolher: de até 10A (dez ampère) e de até 20A. A única diferença visual é que o diâmetro do furo da de 20A é maior. Basicamente esses valores indicam o quanto uma tomada suporta de corrente. A escolha depende do que vai ser conectado e, principalmente, da infraestrutura da rede. Eletroeletrônicos geralmente possuem plugues de 10A. Secadores de cabelo, ar-condicionado, micro-ondas, fornos e fogões elétricos usam as de 20A.

Bem, antes de comprar, analise as tomadas que pretende modificar e os aparelhos que pretende conectar.

2. Aquela conferida

A ABNT diz que para tomadas comuns devem sempre ser usados fios de no mínimo 2,5mm². Essa bitola é capaz de conduzir até 21A de corrente. Portanto, se o imóvel estiver dentro das normas técnicas, você poderá trocar suas tomadas pelas de 20A com tranquilidade (elas são compatíveis com os aparelhos de 10A, não de preocupe). Mas como nem sempre se pode confiar que as coisas foram feitas como deveriam ter sido feitas (e isso tudo envolve riscos, lembre-se), vale a pena verificar.

3. Uma coisa de cada vez

tomada1

Abra a tomada, desconecte um dos fios da tomada (não os do interruptor, que geralmente são mais finos) e procure escrito nele quantos mm² ele possui de seção transversal. É provável que não consiga, nesse caso meça o diâmetro da parte metálica do fio, usando um paquímetro ou mesmo uma régua simples. Se o diâmetro for de aproximadamente 1,8mm ou mais, a fiação está dentro da norma e podem ser usadas as tomadas de 20A. Se o valor encontrado for menor, use as de 10A; mas nesse caso pode valer a pena repensar em contratar um profissional para reformar a parte elétrica e colocá-la dentro das normas, principalmente quando sua necessidade é de uma de 20A mas a fiação não suporta e precisa ser substituída. Além disso há tomadas duplas, tomada com interruptor de luz e por aí vai.

Primeiro, o que era tomada e interruptor deve continuar a ser, da mesma forma em caso de duas tomadas. E não se esqueça de só comprar as certificadas pelo Inmetro (dificilmente uma loja séria de material para construção vai vender alguma que não seja).

tomada2

Eventualmente pode haver modificações: tomada mais telefone, tomada dupla + interruptor etc. Nesse caso sempre compre a mesma configuração. Também pode remover a tomada completamente e levá-la até a loja, pedindo uma igual (mas desenhe os fios antes e proteja as suas pontas com fita isolante antes de tornar a ligar os disjuntores).

Outro ponto importante é existem dois tipos de interruptores de luz, simples e paralelo. A diferença é que o paralelo possui três conectores em vez de dois, e é usado para ligar ou desligar uma lâmpada de vários lugares diferentes (na porta do quarto e perto da cama, por exemplo). Se não tem certeza, desparafuse a tomada e verifique quantos fios estão conectados no interruptor (não na tomada!), se três ou dois.

4. Upgrade

tomadas3

Você pode querer transformar uma tomada simples numa dupla ou até tripla. Isso evita a necessidade de usar um T. Mas preste atenção. Como aqui estamos trocando apenas as tomadas, e não a fiação, é preciso cuidado.

Se você usa uma tomada com um benjamim para ligar a TV e o DVD, por exemplo, é uma ótima ideia colocar uma tomada dupla (ou tripla, outra para o receptor ou console). A mesma coisa se você quer uma tomada dupla perto da cama para ligar o abajur e o carregador do celular. Fica mais seguro e mais clean.

Mas em nenhuma hipótese duplique uma tomada por conta própria para usar ao mesmo tempo mais de um equipamento potente, como ferros de passar, fornos elétricos, micro-ondas e processadores de frutas (a menos que você tenha conhecimentos um pouco mais avançados de dimensionamento de cabos e tem certeza que vai fazer a coisa direito). Nesses casos é sempre recomendável uma tomada simples para cada aparelho. E se for fazer essa multiplicação de tomadas também recomendo usar as tomadas de 10A, independente da espessura do fio.

Em resumo o que você não deve fazer ao aumentar as tomadas, é jamais “puxar” mais corrente do que o fio é capaz de suportar. Pegue a potência em Watts do aparelho que será ligado à tomada ou no caso das duplas e triplas a soma da potência dos aparelhos (essa informação está nos manuais ou em adesivos atrás deles) e divida pela tensão nominal da tomada (127V ou 220). O resultado é a corrente que eles consomem, em Ampère. Nunca o valor encontrado pode ser maior que a corrente que o fio é capaz de suportar (no caso do de 2.5mm², 21A). No final do artigo há uma tabela, caso o seu fio seja de outro calibre.

5. A troca

tomada4

Primeiro certifique-se e torne a se certificar de que os disjuntores estão desligados e a tomada em questão está mesmo desenergizada. Desparafuse o espelho (tampa de acabamento) da tomada. Em alguns modelos são apenas encaixados, nesses casos normalmente basta inserir a ponta da chave de fenda entre ele e parede e levantá-lo com cuidado para não estragar a pintura da parede em locais visíveis. Embaixo estará a tomada em si, que também deverá ser desparafusada.

6. Tomadas sem interruptor de luz

Se a instalação seguir a norma, haverá um fio azul claro e outro de outra cor, geralmente preto ou vermelho. Se houver aterramento, haverá um terceiro fio, verde (ou nu, sem proteção plástica).

Se as cores forem outras ou for tudo de uma cor só, não se desespere. Na verdade, não confie cegamente nas cores.

O fio que vai conectado ao furo do meio da tomada é o fio-terra. Sempre. Mesmo que ele seja azul claro e exista um fio verde noutro dos dois, o do meio que é o fio-terra. Se ele não tiver cor diferente dos outros, marque-o (marcador, pedaço de fita, esmalte de unha, corretivo de caneta). Desparafuse os fios, desconectando-os da antiga tomada.

Corte a parte deles que está desencapada. Depois desencape novamente, deixando uma ponta de 1cm ou pouco menos. Agora é só conectá-los na nova tomada, apertando bem os parafusos. Lembre-se mais uma vez: fio terra no meio. Se não existir aterramento, deixe o terminal do meio vazio. Os outros dois fios vão cada um num terminal lateral. É indiferente o lado.

No caso de tomadas duplas ou triplas, faça basicamente a mesma coisa, mas vá puxando o mesmo par (ou trio) de fios em todas elas, conforme imagem.

tomada5

Revise se os fios foram conectados corretamente. Revise se não há partes desencapadas dos fios se tocando ou sobrando pontas.

Parafuse a nova tomada e o espelho dela na parede. Pronto. Você pode querer deixar o espelho por último, depois de ter testado, caso precise voltar a desparafusar a tomada em caso de problemas.

7. Tomadas com interruptor de luz

O circuito nesses casos é um pouco mais complexo, e exige no mínimo conhecimentos sobre circuitos elétricos em paralelos e em série para compreendê-lo bem. Sem precisar de me aprofundar no assunto nem colocar aqui esquemas elétricos, eu poderia dar orientações bem objetivas com base nas normas. Mas como em muitos casos vocês não estarão diante de uma instalação completamente dentro delas, com cores e espessuras de fios respeitadas, o modo mais simples e garantido de realizar a troca em qualquer caso é conectando os fios exatamente como estavam.

Antes de desparafusar qualquer um dos fios, faça um esboço num papel, indicando onde cada fio está conectado (se as cores não forem todas diferentes entre si, pegue pedaços de fita crepe e identifique cada um deles com um número). Haverá algum ou alguns que estarão conectados na tomada e no(s) interruptor(es) ao mesmo tempo. Desenhe isso também.

Só então desconecte os fios, corte as pontas com alicate e também com o alicate as refaça com cerca de 1cm.

De maneira geral, não existem diferenças entre a tomada antiga e a nova (a não ser a presença do orifício do fio terra, que vai ficar vazio caso o prédio já não tenha aterramento). Conecte os fios na nova conforme estavam na outra: o fio que era ligado exclusivamente em determinado interruptor continuar assim; o que era exclusivo da tomada também, e o que era comum aos dois continue sendo. Corte pontas que sobrarem, confira se as conexões estão como em seu esboço, tenha certeza que partes desencapadas dos fios não estão fazendo contato entre si. Aperte os parafusos bem. Feche a tomada.

8. Ligue os disjuntores

Se tudo tiver sido feito corretamente, não vai acontecer nada. Agora saia testando as tomadas e as lâmpadas, que deverão funcionar normalmente. Caso alguma não funcione, abra-a e revise as suas conexões.

É isso.

Mas lembre-se: Cuidado, meu chapa...

Link Youtube | Fiat lux.


publicado em 17 de Maio de 2014, 06:58
7a63142ca3abb8e626f81d34640319a2?s=130

Flávio de Lima

Estudante de engenharia eletrônica, provocador incorrigível e apaixonado pelo cinema. Escreve no O que assistir hoje à noite? e um dia, quando parar de procrastinar, vai terminar um livro.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: