Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Você pagaria pelo silicone de uma desconhecida?

Ontem assisti a um documentário cujo conteúdo gostaria de compartilhar com o pessoal aqui do PdH. Você já ouviu falar no MyFreeImplants.com?

Eu, particularmente, nunca tinha visto algo igual. A ideia dos caras é um tanto quanto inovadora. Eles, basicamente, criaram uma rede social que coloca homens abastados em contato com mulheres em busca de patrocinadores para suas próteses de silicone. Nessa relação, as mulheres publicam fotos e vídeos de si mesmas e trocam mensagens com caras que estejam interessados em doar uma grana para que elas tenham o corpo que sempre sonharam.

"Me dá um trocado pra tornar meus cheios deliciosamente cheios, moço?"

Fiquei um pouco intrigado com essa história. O documentário 100 Men Own My Breasts – que encontrei apenas para download na internet - mostra que os maiores patrocinadores da coisa são caras com certa dificuldade em se relacionar com mulheres na vida real. Eles ficam satisfeitos apenas com o fato de poder dizer que são amigos e receber fotos das tais garotas, que, na realidade, só querem seu dinheiro.

Tudo soa um pouco estranho, mas aparentemente os usuários do site consideram essa iniciativa em prol do silicone bem natural.

Já não é de hoje que pessoas levantam uma grana para caridade via internet. O que os criadores do site estão explorando é esse nicho bastante grande, digamos assim, de mulheres que se submeteriam a uma cirurgia plástica gratuita.

No Brasil ainda não vi nada parecido, mas, tendo em vista nossa posição como o segundo país com o maior número de cirurgias plásticas, acho que essa tendência não demora a aterrissar em terras tupiniquins .


publicado em 10 de Janeiro de 2011, 09:32
E4c14111fbfb81a75b22984e3520ada9?s=130

Thiago Rocha Kiwi

É nosso correspondente em Londres. Jornalista, nascido e criado na selva paulistana, gosta das oportunidades desafiadoras. Apaixonado por informação e conhecimento, enxerga o trabalho como uma forma de evolução e a internet como revolução. No Twitter, @thiagokiwi.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura