Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

[18+] Bom Dia, Ariel O’Black

O Ariel tem dezoito anos e foi fotografado pelo Abel Oliveira

Nota editorial: estamos em busca de Bom dias com homens e com mais diversidade de corpos e peles — aqui explicamos em mais detalhes o contexto atual da série, suas origens, obstáculos e nossa visão de futuro para ela. Se você é fotógrafo(a) ou tem um ensaio que deseja publicar, fale conosco pelo jader@papodehomem.com.br .

* * *

Quando decidimos (Abel Oliveira e eu) que realmente faríamos um ensaio fotográfico, logo pensei: “não quero só posar para uma câmera!”. Eu queria um(a) personagem, queria algo marcante que fizesse com que as pessoas sentissem diversos tipos de sentimentos, não importava qual fosse, eu queria que todo mundo sentisse que era real. E nada mais “real” do que o uso da verdade, não é? Aos poucos, buscamos referências, planejamos algumas fotos, o estilo, tons de imagem, tentamos trazer tudo que fazia parte daquilo que eu imaginava ser o(a) personagem.

No dia do ensaio eu estava bem ansioso, improvisamos muitas coisas para que tudo desse certo e, então, começamos a fotografar. Comecei usando apenas uma calça preta, sem cueca e camisa. Lembro que me senti deslocado nos primeiros minutos do ensaio, não demorou muito, já estava totalmente entregue. Ali era o meu momento, a minha entrega e eu queria passar o máximo de verdade! Quando me despi por completo, senti que retirei também toda a pressão social que já havia sentido, meus problemas de auto-estima, a não aceitação do meu corpo por ser “magro demais”, coloquei de lado tudo o que não era EU de fato.

 

 

 

 

Finalizamos as fotos, e então as olhei por alguns minutos junto ao fotógrafo e tentei captar o nome que aquele ser tinha e rapidamente se apresentou a mim: Ariel O’Black. Foi como um sopro em minha mente.

Após o ensaio, dias depois, parei para pensar o que Ariel significava, quem era ele(a)... E ele(a) era tudo o que havia preso em mim. A minha confiança, minha auto-estima, minha sensualidade, meu poder, minha coragem, meus desejos ocultos, era quem eu era, mas que era obrigado a esconder para manter uma imagem socialmente aceita (agora, me sinto completo e honesto comigo mesmo, fiz questão de mudar meu nome no RG, pois é assim que me identifico). Trazer Ariel à tona é o meu jeito de mostrar quem eu realmente sou, sem precisar ter medo do que vão achar, é ser político, é mostrar a minha militância.

Sou muito grato ao fotógrafo Abel Oliveira por me proporcionar esse ensaio e por ter feito um trabalho tão lindo. Ensaios fotográficos têm o poder de libertação, de revelar tudo que está encoberto. Ariel é a minha liberdade e eu espero que cada um encontre a sua.

As fotos são do Abel Oliveira.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Boa semana a todos.


publicado em 22 de Janeiro de 2018, 00:00
Foto ariel bio jpeg

Ariel O'Black

Eu sou Ariel. Ariel O’Black. Tenho 18 anos e já algumas boas bagagens dessa vida. Sou baiano, sou o escritor do livro de poemas “SR. PARADOXO” e um amante das artes em geral. Sou tudo aquilo contrário ao que me era imposto. Sou “ele”, às vezes, “ela”. Sou Ariel, muito prazer.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura