[18+] Bom Dia, Julia Razuk

A Julia Razuk é fotógrafa também, e foi clicada pelo Fabs Grassi

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Nota editorial: estamos em busca de Bom dias com homens e com mais diversidade de corpos e peles — aqui explicamos em mais detalhes o contexto atual da série, suas origens, obstáculos e nossa visão de futuro para ela. Se você é fotógrafo(a) ou tem um ensaio que deseja publicar, fale conosco pelo jader@papodehomem.com.br .

* * *

Fotografei a Julia Razuk e ela me contou isso aqui:

"Minha vida com a fotografia começou ainda bem menina e adorava "brincar" de me fotografar e até produzia cenários, figurinos, fazia amigas de modelo. Com o tempo, a coisa da fotografia como expressão artística foi ficando cada vez mais forte e acabou virando minha formação.

Passei a fotografar várias amigas e a expressão do feminino e sua sensualidade natural, sempre foi uma via fácil pra mim, tanto retratar quanto ser retratada, fosse por outros, fosse em autorretratos.
Quando parto pra uma sessão de fotos, a coisa que mais me preocupo, que mais me deixa ligada, é como vou trabalhar a expressão corporal da menina que esta ali para ser retratada e fazer esse ensaio com o Fabs foi a oportunidade de por em prática tudo que eu peço e tento extrair como fotografa das meninas que clico; atingir liberdade através da lente, se sentir segura, confortável, feliz e tantos outros sentimentos que somente ao ser fotografada alguém consegue atingir, me senti muito bem e brinquei, me soltei, deixando minha cabeça viajar por mil lugares."

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Boa semana a todos.


publicado em 18 de Maio de 2015, 09:00
File

Fabs Grassi

Fotógrafo paulistano interessado na condição humana, tanto em retratos/ensaios quanto nas ruas. Entusiasta da fotografia móvel/mobgrafia, acredita totalmente na fala de Ansel Adams sobre o ato de fotografar : "você não tira uma foto apenas com a câmera. Você traz para fotografia, todas imagens que viu, todos livros que leu, as músicas que ouviu, as pessoas que amou".


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: