A relação entre masculinidade e espiritualidade, na perspectiva de um pastor

Uma pílula das entrevistas do documentário O Silêncio dos Homens.

Ed René Kivitz é teólogo, conferencista e escritor. Mas isso, apenas, não é o suficiente para descrever exatamente sua atuação.

Dentro do campo da teologia, é tipo como um pastor de discurso mais progressista. São famosas suas palestras que, muitas vezes, questionam e repudiam o discurso hegemônico de igrejas que apoiam atrocidades como a intolerância, o racismo, a homofobia.

Em tempos como os nossos, nos quais as questões referentes à gênero, feminismo e o papel dos homens nesse entremeio se tornaram discussões frequentes em um ambiente político cada dia mais combativo e polarizado, não é de se impressionar que ele também tenha se tornado uma importante voz, pelo seu apelo entre os cristãos, especialmente os evangélicos.

Nós o entrevistamos por ocasião da produção do nosso documentário, feito em parceria com Natura e Reserva, "O silêncio dos homens". Suas falas foram para o documentário, mas essa, sobre os homens e a espiritualidade acabou não entrando.

Aqui, ele fala brevemente sobre como a religiosidade cristã traz uma construção de séculos que talvez não seja mais compatível com os dias de hoje, mas que a espiritualidade abre margem para um masculino mais amoroso e igualitário.

Vale o play.

Link Youtube

Juntar um ano de pesquisa em um filme de 50 minutos foi uma grande batalha de concisão (e de partir o coração). Para conseguir aprofundar em alguns temas do documentário, e aproveitar ao máximo as entrevistas que fizemos, estamos publicando estas vídeo pílulas em paralelo. (Veja os outros vídeos que já saíram)


publicado em 17 de Dezembro de 2019, 15:26
Avatar01

Luciano Ribeiro

Cantor, guitarrista, compositor e editor do PapodeHomem nas horas vagas. Você pode ouvir no Spotify. Também escreve no Medium e em seu blog pessoal. Quer ser seu amigo no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura