Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Armas de fogo transformadas em instrumentos musicais que tocam sozinhos

Pedro Reyes é um artista plástico mexicano que costuma usar suas obras para chamar atenção a algum problema social.

"Eu acredito que o propósito da arte é vir com formas de transformar os instintos mais negativos em instintos criativos." –Pedro Reyes

Dessa vez, ele decidiu combinar música, escultura e automação para falar do desarmamento no México. Ele transformou armas apreendidas de grupos criminosos – que seriam destruídas – em instrumentos musicais capazes de tocar sozinhos.

O resultado você pode conferir nesse mini-documentário feito para o The Creators Project (um canal que vale acompanhar, inclusive).

Link Youtube | Mini-documentário para o The Creator Project

De 27 de março a 15 de maio de 2013, a obra esteve em exposição da Lisson Gallery – galeria de arte contemporânea de Londres.

Aqui você pode ver os instrumentos em ação:

Link Youtube | Exposição na Lisson Gallery

"A tecnologia não é boa ou má, tudo depende do uso que você dá a ela. O trabalho espiritual aqui é como dizer: 'eu estou pegando este pedaço de metal que representa nosso instinto de matar uns aos outros e estou transformando-o em um instrumento musical, que é a forma mais sofisticada de comunicação no planeta.'" –Pedro Reyes
Instrumentos-musicais-de-armas-1-580x386
Instrumentos-musicais-de-armas-2-580x536
Instrumentos-musicais-de-armas-3-580x493
Instrumentos-musicais-de-armas-4-580x386
Instrumentos-musicais-de-armas-6-580x379
Instrumentos-musicais-de-armas-7-580x386
Instrumentos-musicais-de-armas-8-580x386
Instrumentos-musicais-de-armas-9-580x387

Instrumentos-musicais-de-armas-10-580x705


publicado em 15 de Setembro de 2013, 11:13
Avatar01

Luciano Andolini

Cantor, guitarrista, compositor e editor do PapodeHomem nas horas vagas. Você pode ouvir no Spotify. Também escreve no Medium e em seu blog pessoal. Quer ser seu amigo no Facebook e Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura