Deus não vai resolver o problema do Estado Islâmico – ao menos é o que diz Dalai Lama

Humanos criaram a questão e são eles que devem resolvê-lo

Minha professora da quarta série tinha um bordão:

“Ema, ema, ema. Cada um com os seus pobrema.”

Foi só ontem, quando o Dalai Lama falou algo parecido, que eu percebi que, se todos os mestres estavam dizendo, é porque deve ser verdade.

Sabemos que o Estado Islâmico promoveu um ataque terrorista na França no fim da semana passada. A comoção geral reacendeu o debate sobre a organização terrorista e correntes de oração foram organizadas por todo o mundo.

Mas o maior líder espiritual do mundo disse que Deus não vai nos ajudar a sair dessa. Assim fica fácil e na, na, não, esse problema não é dele.

Veja só: somos sete bilhões de filhotes aqui no mundo. Ai, se todas as professoras de quarta série nos ensinassem que temos que resolver nossos próprios problemas! Mas não é o caso. Sabemos também que Deus é onisciente, mas vá lá… É preciso ensinar a cria a ter autonomia. Segundo Dalai Lama, Deus não deve nos resolver porque “humanos criaram o problema”.

Sem mais delongas, apreciem o puxão de orelha:

“Não podemos resolver esse problema somente através de orações. Eu sou budista e acredito nas orações, mas humanos criaram esse problema e agora estamos pedindo que Deus o resolva. Não tem lógica. Deus diria: ‘resolva você, que o criou, em primeiro lugar.’

Precisamos de uma abordagem sistemática que seja baseada em valores mais humanos, de coesão e harmonia. Se começarmos a fazer isso agora, há esperanças que este século seja diferente do último. É do interesse de todos.

Então, vamos trabalhar pela paz dentro das nossas próprias famílias e sociedade, e não esperá-la de Deus, Buda ou dos governos.”


publicado em 18 de Novembro de 2015, 14:24
10710799 10152759290008996 1807417555040828999 n

Marcela Campos

Tão encantada com as possibilidades da vida que tem um pézinho aqui e outro acolá – estuda Jornalismo na Universidade de São Paulo, mas também cursa Saúde Reprodutiva Holística no Justisse College. Compõe a equipe de conteúdo do PapodeHomem, modera uma comunidade de quase dez mil mulheres e não tem preguiça de bater um papo bom.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura