A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Dicionário das Crianças Colombianas

Ontem, uma amiga postou um texto no seu mural do Facebook falando sobre um professor colombiano que coletou definições feitas pelos seus próprios alunos. Achei muito interessante e fui tentar catar a origem desse negócio. Achei essa matéria na BBC Brasil:

Dicionário de crianças colombianas surpreende adultos

São definições cheia de poesia e sabedoria, apesar da pouca idade de seus autores. Ou talvez por isso mesmo.

Vão desde A de adulto ("Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro de si", segundo Andrés Felipe Bedoya, de 8 anos), até V de violência ("A parte ruim da paz", na definição de Sara Martínez, de 7 anos).

O dicionário está no livro "Casa das estrelas: o universo contado pelas crianças", uma obra que surpreendeu ao se tornar o maior sucesso da Feira Internacional do Livro de Bogotá, no final do mês de abril. A surpresa aconteceu especialmente porque o livro foi publicado pela primeira vez na Colômbia em 1999 e reeditado no início desse ano.

Segundo a própria matéria, “as definições - quase 500, para um total de 133 palavras diferentes - foram compiladas durante um período ‘entre oito e dez anos’, enquanto Naranjo [o cara que realizou o trabalho] trabalhava como professor em diversas escolas rurais do Estado de Antioquía, no leste do país.”

Enfim, a matéria e, principalmente, o resultado, expresso nos verbetes, são muito bons. Têm um quê de poesia ingenuamente infantil que possibilita um alcance muito foda (pensei em várias palavras intelectuais pra definir esse alcance, mas nenhuma me pareceu ser tão suficiente). Justamente por já termos nos afastado dessa ingenuidade, esse alcance chega a chocar às vezes.

casa-de-las-estrellas

Vamos à aula

Adulto: Pessoa que em toda coisa que fala, fala primeiro dela mesma (Andrés Felipe Bedoya, 8 anos)

Ancião: É um homem que fica sentado o dia todo (Maryluz Arbeláez, 9 anos)

Água: Transparência que se pode tomar (Tatiana Ramirez, 7 anos)

Branco: O branco é uma cor que não se pinta (Jonathan Ramirez, 11 anos)

Camponês: um camponês não tem casa, nem dinheiro. Somente seus filhos (Luis Alberto Ortiz, 8 anos)

Céu: De onde sai o dia (Duván Arnulfo Arango, 8 anos)

Colômbia: É uma partida de futebol (Diego Giraldo, 8 anos)

Dinheiro: Coisa de interesse para os outros com a qual se faz amigos e, sem ela, se faz inimigos (Ana Maria Noveña, 12 anos)

Deus: É o amor com cabelo grande e poderes (Ana Milena Hurtado, 5 anos)

Escuridão: É com o frescor da noite (Ana Cristina Henao, 8 anos)

Guerra: Gente que se mata por um pedaço de terra ou de paz (Juan Carlos Meija, 11 anos)

Inveja: Atirar pedras nos amigos (Alejandro Tobón, 7 anos)

Igreja: Onde a pessoa vai perdoar Deus (Natália Bueno, 7 anos)

Lua: É o que nos dá a noite (Leidy Johanna Garcia, 8 anos)

Mãe: Mãe entende e depois vai dormir (Juan Alzaite, 6 anos)

Paz: Quando a pessoa se perdoa (Juan Camilo Hurtado, 8 anos)

Sexo: É uma pessoa que beija em cima da outra (Luisa Pates, 8 anos)

Solidão: tristeza que dá nas pessoas às vezes (Iván Darío López, 10 anos)

Tempo: Coisa que passa para lembrar (Jorge Armando, 8 anos)

Universo: Casa das estrelas (Carlos Gómez, 12 anos)

Violência: Parte ruim da paz (Sara Martinez, 7 anos)

Fonte: livro Casa das estrelas: o universo contado pelas crianças, de Javier Naranjo


publicado em 23 de Maio de 2013, 07:00
E61303c1e38fa706100084eb6996f7bc?s=130

Thiago Belisário

Não cansa de buscar a tal da satisfação profissional. Acha que ela só virá quando conseguir viver de samba. Respira samba de verdade (não esse que toca no rádio), bebe cerveja e perde tempo em seu Facebook.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura