A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Jamie Oliver, brigadeiro e revolta. E teve quem caiu

Jamie Oliver é um chef de cozinha inglês que ficou conhecido pra cacete com sues programas de culinária. O cara tem receitas deliciosas e um jeitão despojado de enfiar a mão na comida e fazer tudo sem complicação.

O revolucionário da cozinha
O revolucionário da cozinha

Depois disso, conhecemos o cozinheiro também por seus projetos por uma melhor alimentação. Ele entrou de cabeça em uma campanha para melhorar a alimentação de crianças nas escolas, com intuito de substituir as porcarias industriais ricas em sódio e açúcar por produtos mais naturais, mas ainda interessantes.

Disso, surgiu o Food Revolution Day, data criada por ele justamente para incentivar uma alimentação mais saudável. Para se ter ideia de até onde ele chegou, o chef britânico mostrou em seu programa que o MacDonalds usava hidróxido de amônio para converter sobras de carne gordurosa em recheio:

"Basicamente, estamos falando de comida que seria vendida por um preço muito baixo para produzir comida para cães, e que, depois desse processo, é vendida como alimento para humanos."

Depois da denúncia, a rede de fast-food mudou a receita de seus hambúrgueres.

E aí ele me vem pro Brasil e é abordado pela repórter do GNT -- canal a cabo que transmite seus programas -- que maldosamente lhe apresenta algumas guloseimas da culinária brasileira, contendo apenas itens com exagero de acúcar: caldo-de-cana, açaí, quindim e brigadeiro. Ao provar tudo, ele separou o que era doce demais, mas natural -- o açaí e o suco da cana --  e reprovou os  outros dois, dizendo serem horríveis.

Digo que o ato foi maldoso porque é de conhecimento que o cara luta contra sobrepeso e obesidade infantil. De toda a infinidade de alimentos que temos aqui em nossa terra e que poderiam ser mostrados, apenas bombas calóricas, para o bem ou para o mal, foram mostradas. A ideia era pegar o inglês de calças curtas.

Deu certo.

A negativa do chef para um doce inventado no Brasil e quase exclusivo nosso foi prato cheio para causar revolta nos patrióticos.

Repara só na agressividade da chamada.
Repara só na agressividade da chamada.

Claro que dá pra acreditar. O que não falta é gente que não gosta de comer brigadeiro por ser muito doce. Ademais, eu gosto de brigadeiro e não me importa a validação do Jamie Oliver.

Há o problema em propositalmente provocar o lado belicoso das pessoas com picuinha da menor importância e existe um montante bem grande de pessoas que caem na provocação e se engajam contra.

E, aqui, a ideia não é nem defender a afirmação da estrela da culinária, mas esse comunicação provocativa e a postura arrufadiça de quem confunde brigadeiro com pátria com casa com lar com apontamento contra seu caráter.

É tudo uma questão de postura, de quem comunica e de quem recebe a fala e absorve o que realmente vale o tempo.

E brigar por docinho de festa não vale esse tempo.


publicado em 22 de Julho de 2014, 06:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura