John Fahey: músico, excêntrico e gênio

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Asm selo png
  • 130x50 jpg

Eu gosto muito de música. Devo ter ouvido milhares de álbuns nos últimos 10 ou 15 anos e, entre isso tudo, calha de ter uns 20 músicos ou bandas pelos quais acabei desenvolvendo uma preferência especial, que sempre acabo voltando a ouvir. São algumas das coisas que fazem parte do meu inventário de referências estéticas – aquelas que todos temos, sabendo disso ou não, e que nos ajudam a dar sentido pra vida e pro mundo.

Outro dia falei do argentino Atahualpa Yupanqui, e o Vítor Barreto falou do inglês Nick Drake.

Agora eu queria mencionar John Fahey – ainda que não saiba nem por onde começar a escrever, e apesar do medo velho de reduzi-lo a um post como este.

Fahey foi violonista, guitarrista e compositor norte-americano. Além de um estudioso de filosofia e religiões (graduado na American University), pintor, desenhista, escritor e excêntrico de plantão.

Acho bem difícil classificar o tipo de música que ele produziu. Certamente é uma referência essencial na música folk americana, ainda que tenha feito um folk meio esquisito, diferente, com uma beleza inesperada. Fahey estava sempre às voltas com um country blues – no melhor estilo fingerpicking – misturado com ragas indianas e experimentações dissonantes, e com pitadas eventuais de música filipina, recitações tibetanas, canções natalinas e hinos de igreja.

O resultado é uma música muito original, muito honesta e visceral, e ainda assim, completamente despretensiosa.

Fahey morreu em 2001 com quase 62 anos, vítima de compliçações que vieram de uma cirurgia cardíaca. Apesar de ter produzido uma riqueza incalculável em forma de música, é dito que passou seus últimos anos bem pobre, penhorando seus instrumentos e revendendo álbuns raros.

Sua música influenciou e segue inspirando muita gente. Ela serviu de substrato até para o surgimento de toda uma legião de shoegazers, indie e alternative rockers como Sonic Youth, Six Organs of Admittance, Calexico, The Decemberists, e mesmo para os lendários Canned Heat e The Who.

Há pouco fiquei sabendo do documentário "In Search of Blind Joe Death: The Saga of John Fahey", que foi lançado agora em novembro. O trailer está bem bonito:

Trailer: In Search of Blind Joe Death - The Saga of John Fahey from JohnFaheyFilm on Vimeo.

Estas são algumas das músicas que gosto. Sugiro dar play apenas se tiver calma, tempo e alguma qualidade nos seus autofalantes. Agito e entretenimento rápido passam bem longe da proposta de Fahey.

E aí, conhecem outros gênios quase desconhecidos como John Fahey?


publicado em 01 de Novembro de 2012, 12:52
Ww jpg

Fábio Rodrigues

Trabalha em espaços onde se pode aprender como melhorar as relações, cultivar o mundo interno e florescimento humano — sem oba-oba, com os pés no chão do cotidiano. Coordenador do lugar, tutor no CEBB Joinville, professor do programa Cultivating Emotional Balance, artista visual, pai do Pedro.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: