Leva 5 minutos. Participe de nossa pesquisa nacional sobre as questões e desafios dos homens brasileiros — os dados serão 100% públicos. Já tivemos mais de 10.000 respostas, mas precisamos de mais pessoas do Norte, Centro-Oeste e Nordeste do país, nos ajudam a chegar nelas?

Pare de negligenciar o seu universo pessoal | Ignição #13

Ou: prepare uma lista de tarefas pessoais e aja agora!

Olá, pessoal!

É quarta-feira e, portanto, dia de Ignição!

Semana passada falamos sobre um tema que se provou bem sensível: a relação de pai e filho. Propusemos que os filhos expressasse gratidão pelos pais e as respostas foram mistas, com alguns felizes por passar por cima do desafio e outros bastante arredios à ideia. Eu, particularmente, considero bem interessante observar como essa não é uma relação simples e como há um nível de tensão na coisa. Chances de explorarmos mais o tema nos próximos dias. ;)

Mas, ainda assim, os relatos mais positivos foram muito bonitos. Olha só esse:

Felicidade no coração de ler isso!

E, já que pesamos a mão nas últimas edições, hora de passar para uma tarefa mais simples e com resultados mais imediatos.

Vamos à prática da semana.

Prepare uma lista de tarefas pessoais | Ignição #13

No trabalho, você chega e há as mil demandas habituais. E-mail, telefone, entrar em contato com clientes, fornecedores, resolver buchas, a gente sabe como é.

Tanto que muitas vezes, no caminhar de volta ao lar, preferimos ignorar o que está nos esperando.

Telefone, energia elétrica, internet, carro na oficina, aluguel que não pode esquecer a data, o banheiro que está com a válvula de descarga problemática, o inverno que chegou e é bom ir atrás de uma torneira elétrica, tem que chamar um pedreiro pra consertar o piso que começou a soltar e tem uma janela ali que não tá mais abrindo direito. Ah, eu nem citei as compras de supermercado, os produtos de limpeza acabando, os projetos pessoais e, claro, a manutençao do bem-estar familiar, caso você seja casado e tenha filhos.

Quando começamos a pensar nisso, bate um cansaço. Dá vontade de desistir, fugir para uma galáxia distante.

Eu passo por ciclos assim.

Às vezes, sinto que minha vida é um caos, me perco, fico ansioso... brota em mim um sofrimento tão grande, como se estivesse sendo engolido por uma avalanche.

Porém, quando consigo sentar e simplesmente colocar as ideias no papel, é o momento no qual consigo me acalmar.

Muito das nossas aflições partem de não termos clareza sobre a natureza dos nossos problemas. Às vezes, uma questão simples se soma a muitas outras questõezinhas e formam um bolo gigantesco que mais lembra aquela cena do Indiana Jones correndo de uma pedra.

Essa mesma.

Bem, eu sei que é óbvio. Mas somos bons em negligenciar o óbvio por nos considerarmos acima dessas tarefinhas. Afinal, o pior nunca acontece com a gente, né? Só com esses outros aí, que não sabem resolver as coisas. A gente não precisa disso. ;)

Mas a verdade é que clarear as ideias e colocar esse bolo enorme de pendências em uma lista ajuda a nos dar clareza e nos deixa prontos pra efetivamente agir sobre o aquilo que, no plano meramente mental, acaba tomando uma proporção fora do razoável.

Colocar essas tarefas no papel ajuda a liberar espaço mental e isso, meu amigo, não tem preço.

Além disso, a gente dá muita importância quando o assunto são nossas demandas profissionais (afinal, né, ninguém quer ficar desempregado), e tende a negligenciar as tarefas pessoais que são tão importantes quanto. Ir ao médico, consertar defeitos na casa, fazer compras... você sabe. 

Portanto, vamos separar aqui algumas dicas pra fazer isso de um jeito eficiente.

1. Seja analógico: há quem não veja uma razão pra isso, mas eu acredito que ir pelo caminho analógico ajuda a manter as coisas simples e, portanto, mais executáveis. Além disso, o que mais venho tentando evitar na minha própria vida é perder aqueles 20 minutinhos checando o Whatsapp+Instagram+E-mail+Facebook antes de fazer uma tarefa. Manter-se analógico evita essas distrações fáceis e, na minha experiência, coloca a gente numa energia mais proativa, sólida. Afinal, sentar e escrever, usar as mãos já é uma ação em si mesma.

2. Seja específico: de novo, correndo o risco de cair no óbvio pra alguns, especialmente se você já é alguém minimamente organizado. Ainda assim, vou bater nessa tecla: seja específico. Não adianta colocar numa lista de tarefas algo como "resolver pendências". Você precisa ser honesto com o que há para ser feito e, principalmente, entender o problema. Se "arrumar os defeitos da casa" envolver "consertar torneira", "limpar calhas" e "trocar fechadura da garagem", são essas três últimas que você precisa colocar. A ideia do experimento é toda definir ações que você possa levantar-se agora mesmo e resolver. E, principalmente, à medida em que for avançando, que você possa riscar suas tarefas da lista, pra colher a satisfação gostosa de avançar em algo que estava há muito tempo te incomodando no fundo da sua mente.

3. Mova essa sua bunda da cadeira! Mais um item a não ser subestimado. Aproveite a energia positiva e aja sobre ao menos um item da sua lista. Se tiver que pedir licença do trabalho um dia, peça. Se tiver que sair pra tirar documentos, saia. Se precisar passar na loja de materiais de construção, vá! Duvido que você vá ficar só nesse primeiro item. Aposto que vai surgir uma energia pra movimentar muito mais tarefas. Siga o fluxo e aproveite!

* * *

É isso, gente! Vamos à ação!

Contem pra nós aqui nos comentários o que pretendem fazer, pra gente ir se acompanhando e vendo como cada um está avançando.

E, se andaram experimentando outras Ignições, avisem a gente também!

Abraço e vejo vocês na quarta que vem!

* * *

O que é a coluna Ignição?

Resumindo: queremos iniciar processos de transformação por meio de ações práticas.

Aqui no Papo de Homem temos trocentos textos filosofentos falando de tudo. Agora, vamos pra outra abordagem.

Menos papo, mais ação.

Você está perdido e não sabe o que fazer da vida? 

Aqui vamos oferecer um ponto de partida, ações simples que você possa usar como um aquecimento, que coloque seus "músculos" no ponto para você gradativamente começar a lidar com seus problemas de frente.

Como funciona?

Toda semana vamos sugerir ações práticas acessíveis, para que você possa sair da inércia.

Depois, pedimos que venham aqui no artigo e relatem, em detalhes, como foi a experiência. Vale qualquer coisa, inclusive e principalmente, se der tudo errado, pois é nessas horas que a gente precisa de apoio e a coisa de termos uma comunidade mais vai fazer sentido. Nos colocando em movimento vamos começar a descobrir irmãos, amigos, enfim, parceiros de transformação.

Com o tempo, vamos cultivar uma rede de parceiros, dispostos a transformar suas vidas e também conversarem sobre o processo todo como uma forma de se incentivarem e se apoiarem. 

A Ignição é incrível, onde encontro os experimentos anteriores?

Muito fácil! Basta entrar na coleção Ignição.

Um convite especial: venha para o PAI, nosso evento anual sobre paternidade

Já estão abertas as vendas de ingressos pro nosso evento anual, o PAI. Estamos super empolgados de ter a chance de fazer o evento mais uma vez e queremos transformá-lo em uma tradição do Papo de Homem. Como foi um pedido da própria comunidade, esse ano vamos focar em aspectos práticos da paternidade. Tudo o que você precisa saber pra não quebrar cabeça com a rotina da paternidade.

O corpo de palestrantes está lindo. Temos desde algumas mulheres importantes, como a Rita Monte, contando sobre o que os pais podem aprender sobre companheirismo entre pais com os grupos de mães, até o Tiago Korch falando sobre como fica o sexo após a chegada dos filhos, passando pelo Ismael dos Anjos contando sobre como a forma como somos criados afeta a forma como criamos nossos filhos. Vai ser bem bonito!

Você pode ver mais detalhes no Sympla e já garantir o seu.


publicado em 15 de Agosto de 2018, 19:53
Avatar01

Luciano Ribeiro

Cantor, guitarrista, compositor e editor do PapodeHomem nas horas vagas. Você pode ouvir no Spotify. Também escreve no Medium e em seu blog pessoal. Quer ser seu amigo no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura