Pelos: onde tê-los e como fazê-los (ou 9 dicas para sair dos extremos pelado-peludo)

Eis um tema que desperta dúvidas constantes.

Algumas mulheres os acham excitantes, outras preferem os lisinhos. Sua mãe adora quando você faz o estilo babyface, já sua última namorada alucina no seu peitão cabeludo. Como em todo assunto que é relacionado a estética, este texto também não trata de certo ou errado, apenas de diferentes caminhos.

O que é possível dizer a respeito é que existem dicas preciosas que, com certeza, vão tornar a relação entre você e seus pelos muito mais harmônica e proveitosa.

Para começar, responderemos três questões cruciais sobre o assunto, vamos a elas:

Ter barba me deixa mais pegador?

Se a barba combinar com sua personalidade, ela mostrará de maneira mais rápida e eficaz a mensagem que você deseja passar pela sua imagem.

Dizer aqui, no texto, se você ficará mais feio ou bonito com ela soaria bem pretensioso. Seria necessário que eu o conhecesse pessoalmente, pois como tudo na vida, a barba só é positiva ou negativa mediante a uma referência.

Nenhuma característica estética funciona sem um referencial, portanto, reflita se as dicas são para sua personalidade e sempre desconfie de manuais de beleza.

Depilar é coisa de veado?

“Com certeza é algo bem gay, ontem mesmo raspei meu peito e hoje comecei a reparar como o cara dos correios tem um bronzeado sensual e umas pernas torneadas. Acho que estou com gaysolismo, preciso passar na farmácia pra comprar um remédio.”

Por favor, já estamos em 2014, amigo.

Você não será “mais” ou “menos” gay por causa de uma característica estética. Ser homossexual não é ruim, nem bom, é apenas o que é.

Aparei o saco com a maquininha do bróder, dei brecha?

A parceiragem pode ser total, mas esfregar as jóias da coroa na cara do camarada, mesmo que indiretamente, entra pro nível master de trairagem. Faz isso não, fera.

* * *

Respondidas essas perguntas fundamentais sobre o assunto, é hora de darmos 9 dicas (não inventarei uma a mais só pro número soar mais bonito) simples e muito úteis para que a relação entre você e seus pelos seja a melhor possível:

1. Não desenha não, campeão

desenho

Se a barba domina uma região muito vasta do seu rosto e pescoço, é natural que você apare algumas partes mais que outras. Porém se tiver fartura de pelos, ela poderá ficar com um aspecto “desenhado” e artificial.

Ao invés de podar 100% das regiões indesejáveis, uma boa alternativa é deixar as partes que ficam próximas ao limite bem curtas, ao invés de totalmente raspadas. Assim, a divisão ainda estará lá, mas vai parecer mais natural e harmônico.

2. Até onde vai meu rosto?

ate-onde

Você é adepto de pelos faciais, acha que é presença e dá um estilão, pois então trate de entender até onde eles devem ir.

Algumas pessoas preferem deixar a barba mais natural, mantendo parte dos pelos do pescoço. Outros preferem tê-la mais bem definida e optam por eliminar a parte que fica no pescoço.

Este segundo grupo costuma, por vezes, cometer um erro primordial – fazer a barba até a altura do osso do queixo ou até mais alto.

Ao fazer isso, tornam o rosto mais desequilibrado, pois alteram a sensação que temos de onde ele deve “acabar”. Isso prejudica a chance de sermos considerados atraentes, uma vez que torna nossa face menos proporcional com o corpo.

3. Eliminando o Noel Rosa em mim

noel

Ter um maxilar proeminente é uma característica importante para um rosto masculino ser considerado belo. Ele dá um aspecto mais másculo à estrutura facial e aumenta a aparência de força física (repare como a maioria dos galãs são queixudos).

Caso você não tenha nascido com um queixo campeão, não sofra. Sua barba pode ajudá-lo com isso.

Para que a solução funcione, é necessário fluidez. Portanto, nada de deixar aquele rabicho de bode só na ponta do queixo.

Se você gosta do visual da barba por fazer, o truque é simples. Apare-a como de costume, porém, na região logo abaixo do osso do maxilar deixe aparado com um número maior. Depois dela, na parte mais embaixo, volte a deixar bem curtinho, como em todo o resto.

Esse truque vai dar a sensação de sombra abaixo do queixo, deixando-o maior do que ele realmente é.

4. Seu rosto é canhoto?

canhoto

Beleza tem a ver com simetria. Quanto mais um lado do seu rosto for parecido com o outro, maior é a possibilidade de você ser considerado uma pessoa bela. O conselho a seguir é extremamente simples, porém poucos são os que o seguem.

Quando fizer a barba, é importante que a iluminação seja igual nos dois lados do rosto. Muitas vezes, utilizamos a luz de uma janela lateral para nos barbearmos. Isso acaba fazendo com que o lado mais escuro fique levemente diferente do lado mais claro.

Quando for se barbear ou mesmo aparar os pelos do corpo, faça isso diante de um espelho com luz homogênea (lâmpadas costumam estar no centro do espelho e são uma boa pedida), até mesmo se você estiver apenas passando uma maquininha geral em tudo.

Muitas vezes temos pelos que crescem em regiões sutilmente assimetricas e, ao estarmos iluminados por igual, podemos corrigir estas pequenas diferenças.

5. Tá falha? Raspa que engrossa!

jocker

Quem nunca foi jovem e, depois de raspar o bigode pela primeira vez, ouviu dizer que quanto mais raspasse, mais grosso ficaria?

Pois é, amigão, a época em que ouvimos esta informação pode ter sido crucial para acreditarmos nisso. Como estávamos na adolescência, os pelos realmente só tendiam a aumentar. Por isso, tivemos a falsa sensação de que quanto mais raspávamos, maior a barba ficava.

Outro fator que contribuiu para esse mito é que a base dos pelos é sempre mais grossa que a ponta dos mesmos, por isso, ao raspá-los e passarmos a mão para senti-los, é nítido que estamos em contato com algo mais grosso do que era antes de apará-los. Essa sensação pode nos levar à ideia equivocada de que raspar pelos os tornam mais grossos.

Conclusão: sua barba é falha e ralinha? Assuma.

Ela pode não ficar bonita estando mais comprida, mas no estilão “barba por fazer” vai ficar ótima.

6. O cavanhaque nasal

rapunzel

Normalmente, o lugar onde mais olhamos nosso rosto é no espelho do banheiro. A maneira mais comum é nos olharmos de frente ou então analisarmos alguma parte do rosto inclinando a cabeça em direção ao espelho para frente e para o lado (se você pensar nisso de verdade, aposto que irá até refazer estes movimentos agora mesmo).

O mais raro é nos olharmos inclinando a cabeça para a trás. Não fazemos isso pois não é uma posição natural do corpo e também porque, quando o fazemos, nossos olhos ficam mais distantes do espelho. Normalmente quando nos olhamos, é pra ver algo mais atentamente, provavelmente mais de perto. Por não termos esse hábito, muitos de nós acabam não checando como andam os pelos do nariz.

Se você tem mais de 20 anos e nunca cortou nenhum pelinho do nariz, é muito provável que em algum momento da sua vida, em alguma conversa bem próxima com aquela garota dos sonhos, tenha mostrado a ela um pouco mais do que somente suas intenções. E ela, provavelmente, deve ter visto pelo menos um pelinho rebelde dando “oi”, saindo do seu nariz.

Cativante, não?

7. Peludão, sim, mas com parcimônia

chwe

Ser um peludão orgulhoso é possível e totalmente aceitável. É claro que algumas garotas podem não gostar tanto, mas com certeza existem mulheres que adoram.

Feita esta escolha, é importante que você, peludão, não ache que basta deixar sua natureza aflorar cabeluda por todos os cantos que estará tudo bem. Mesmo nesta condição é importante ter atenção à harmonia corporal.

Suas sobrancelhas são um só ser? Desgrude-as! Seu pescoço faz uma ligação direta entre sua barba e seu peito? Desgrude-os! Seus pelos no pescoço se ligam lateralmente com seus cabelos? Desgrude-os! Os pelos do seu braço de repente se transformam em pelos das axilas? Desgrude-os!

Enfim, se alguma parte do seu corpo se liga a outra por meio dos pelos, tudo o que você deve fazer é evitar que isso ocorra. Não tem nada a ver com higiene ou modismo.

Existem proporções corporais que nos são inconscientemente belas. E essa beleza está, na maioria das vezes, conectada à proporção entre as partes de um corpo. Quando os pelos ligam partes diferentes, prejudicam a maneira como as outras pessoas percebem sua proporção. Isso tornará mais difícil acharem você belo, esteticamente falando.

8. Peitos e pelos, a terceira via

pelo-sim-pelo-nao

Não importa se o seu peito é aquele mar de pelos ou se faz o estilo tetas aquecidas. O fato é que ambos podem depilar tudo sem nenhum problema.

Ok, alguns podem ter problema com isso. Retirar todos os pelos tende a deixar a aparência de um gordo mais flácida ou a de um magro ainda mais franzino.

Muitas vezes pensamos que existem apenas duas opções quando se fala em pelos –  tê-los ou não tê-los – o que é um grande erro.

Existe a terceira opção: apará-los.

Ao invés de raspar geral, uma maquininha na 2 pode deixar você muito mais satisfeito. É uma maneira menos brusca de se alterar a percepção estética e, ainda assim, traz resultados significativos. Tanto o gordo como o magro irão se beneficiar desta opção, caso não desejem manter os pelos originais e nem retirá-los totalmente.

Como para tudo na vida, o bom senso é sempre uma ótima pedida.

Por fim, vamos à última dica, a pedra sacra dos conselhos, o Santo Graal da peludecência.

9. Suas bolas são do metal?

rock

Amigo, você nunca sequer aparou os pelos do seu saco? Se for este o caso, é bem provável que suas bolas estejam parecendo o baixista do System of a Down e, acredite em mim quando digo, isso não deve ser muito atraente.

Além disso, aparar as partes íntimas é um dos poucos casos onde o resultado de diminuir os pelos extrapola a estética.

A redução do excesso de pelos nessa região diminui o odor do local (ou você acha que só sua debaixo do braço?). Arrisco também a dizer que será uma medida que agradará a imensa maioria de mulheres que forem questionadas a respeito.

Não que seja necessário depilar e deixar lisinho, tenhamos compaixão. Apenas uma boa aparada e você já vai prestar um ótimo serviço à simpatia do seu camarada.

Faça o teste, meu amigo.

* * *

É isso, pessoal! Depois de um calhamaço de sugestões sobre o que fazer com seu pelos, ficamos por aqui.

Como sempre, espero que tenha sido útil ou, ao menos, divertido!

O papo segue nos comentários.


publicado em 03 de Junho de 2014, 08:50
11304492 1107811912567819 865753018 n

Bruno Passos

Pintor e dono da Conto Figueira. Ama livros, filmes, sol e bacon. Planeja virar um grande artista assim que tiver um quintal. Dá para fuçar no Instagram dele para mais informações.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura