Tenho 23 anos e sou virgem | ID #26

Bom Dia, Fred
Sempre leio seus posts no PdH e também no Sobre a Vida e vejo que você tem muito tato para tratar de questões ligadas a relacionamentos e vida amorosa. Embora veja que seus posts sejam muito voltados para mulheres, eu, mesmo sendo homem, quis enviar esse email pra ouvir algum conselho ou alguma palavra de um expert no assunto.
Tenho 23 anos e sofro com um problema muito grande na minha vida que é a ausência de experiência emocional com as mulheres. Quando digo ausência é zero mesmo. Nunca fui pra cama com mulher alguma e sequer beijei. Sim, pode parecer vergonhoso para um homem admitir algo assim, principalmente nos dias de hoje, já que beijar e fazer sexo são tão fáceis quanto comprar um cacho de banana na feira.
O fato é que eu não tenho nenhum tato para lidar com as mulheres e isso acabou me privando de aprender a lidar com elas, o que acaba por se tornar um ciclo vicioso. Não tenho nenhum relacionamento, logo não aprendo a me relacionar, fica mais difícil de conseguir um relacionamento, e eu continuo sozinho. Não sou feio, fora de forma, estranho, ou qualquer coisa do tipo. Apenas não tenho experiência nessa área.
Sempre quebro a cara quando se trata de relacionamentos. Primeiro que, não sei se por carência, ou qualquer outro motivo, acabo gostando de mulheres com quem ainda não tive nenhum contato amoroso. Sabe aquela música: "E a gente nem ficou/ Mesmo assim eu não tiro você da cabeça". Pronto. Meu lema!
Quando as coisas não rolam, acabo sofrendo por um bom tempo sem sequer ter motivos para isso. Meus amigos sempre falam: "Ah cara, larga de besteira, existem 7 bilhões de mulheres no mundo e você aí sofrendo por uma." Mas não adianta, o coração não segue a razão.
Assim eu vou vivendo, completamente frustrado com minha vida amorosa (se é que pode-se chamar de vida, algo que sequer existe).
Espero que possa ouvir algum conselho que me leve, de alguma forma, a sair desse buraco no qual me encontro. Desculpa se isso pareceu um desabafo. Sei que você deve receber centenas de emails todos os dias e que minha história não é mais importante que a de ninguém, mas eu gostaria que você pudesse dar atenção ao meu apelo.
Agradeço desde já a sua ajuda.
P.T.

Caro P.T.,

Sinto a sua dor, de verdade.

Passei um longo tempo me debatendo com minhas virgindades. Até os 15 anos não tinha beijado nem laranja ou água de torneira (métodos consagrados para aprender mobilidade lingual) e, por pura compaixão, uma amiga resolveu minha angústia. Mas ficou nisso, nem a iniciativa eu consegui tomar.

Fui beijado e depois passei um novo período de seca de mais ou menos 7 anos. Sim, meu caro, beijei somente com 22 anos, na faculdade, com minha primeira namorada – fase em que me descobri sexualmente, aos trancos e barrancos.

A sensação de ser o último da fila e não ter absolutamente nada para trocar quando o assunto é sexo realmente é perturbador. Vale entender que a atividade sexual começa muito antes de levar alguém para a cama e tem a ver com a vida, de um modo geral.

É nesse ponto que quero me apoiar.

Para quem se acha mestre no assunto, o texto pode parecer óbvio, entendiante e didático. Então, se esse for o seu caso, sugiro recomendar para algum amigo que está passando por essa aflição.

Alerta: Sexo não é pornografia

É importante fazer uma ressalva sobre o sexo: ele é bem diferente do que acontece num filme pornô.

O que acontece nos Pornhubs da vida é o mesmo que em qualquer filme ruim: um retrato caricato da realidade. Não quer dizer que não exista boquete, sexo anal, vaginal e nem que não se possa ter a intensidade e a duração dos filmes, mas o contexto em que as coisas acontecem no mundo está longe de ser tão óbvio.

O sexo é uma engrenagem que conta com o corpo, a mente e todo o mecanismo do desejo. Reduzi-lo à penetração é uma perda sem tamanho.

353-O Virgem de 40 Anos

Sexo: Antes

Muito antes de pensar no sexo é bom entender que há um preparo para que ele aconteça. A menos que você contrate um(a) profissional, precisará gerar em alguém o desejo de se relacionar com você.

O sexo já começa, portanto, no tipo de vida que você leva. Todo o "marketing pessoal" na hora da paquera vai partir disso.

O poder pessoal vem da vitalidade e isso é o que deixa uma pessoa acesa por você. Portanto, deixe qualquer palidez de lado, pegue sua vida nas mãos e faça algo interessante com ela. Comece buscando coisas que fazem seus olhos brilharem, que deixem você feliz e façam correr energia.

Não se deixe levar pela inércia. Quando a apatia já está implantada, cada minuto é hora de virar a chave e dar a partida na direção da mudança. Se você ainda mora com seus pais, vá morar sozinho, pare de esperar dos outros respostas mágicas, cuide dos seus próprios problemas, pague suas contas, lave sua roupa, não deixe acumular louça suja, literal e metaforicamente.

Essa ousadia deixa você disponível para encarar o desconhecido, pois se tiver sempre acostumado a ficar no ninho, protegido, jamais enfrentará situações inusitadas ou contrariedades pessoais.

As garotas não são seres devoradores de homens inseguros. Elas estão, como qualquer pessoa, buscando sua própria felicidade e bem-estar. Ninguém é tão perigoso quanto parece e, como você, elas também se sentem inseguras, entediadas em algumas situações, esperando por algo diferente acontecer. O medo da rejeição, em geral, é mútuo e o fato delas terem seios não muda isso.

Sexo é enredo e contexto

Você tiraria a roupa diante de uma pessoa que não confia, não se interessa ou sem ver sentido em compartilhar tesão, fluido corporal e prazer? Faça essa pergunta antes de ficar inconformado com a seletividade feminina em relação ao sexo. Se você quer transar com outra pessoa, a última coisa que deve acontecer entre vocês é existir aquele clima de elevador.

Isso quer dizer que o contexto em que uma abordagem começa é fundamental para que, no fim, vocês se divirtam juntos e tenham experiências enriquecedoras para ambos.

Saber conversar com curiosidade, criando interesse mútuo é uma arte que você vai ter de desenvolver. Treine isso em contextos não-sexuais, se facilitar seu caminho. Tenha amigas e perca o medo de conversar com elas. Assim perceberá que elas, para sorte da maior parte dos homens, são mais amistosas e queridas do que uma mente mais insegura pode pensar.

O interesse pelo sexo costuma surgir em decorrência de um bom clima emocional e, nesse campo, é preciso equilibrar desejo e ternura, força e vulnerabilidade, ação e mistério. Só uma coisa ou outra não facilita o encontro sexual. Você precisa ter a mínima capacidade de perceber o clima presente.

Ficar preocupado só com o que você quer não vai ajudar a detectar se as coisas estão fluindo ou não. Isso também é treino. Comece reparando em contextos não-sexuais como as pessoas se olham, conversam e movimentam para identificar quando elas estão interessadas, agitadas ou apáticas.

Veja essas três cenas e identifique o clima (se não souber inglês é ainda melhor, pois não é o que falam que importa).

Link Youtube

Link Youtube

Link Youtube

Logística

Para que tudo isso aconteça é importante pensar também em logística. Na maior parte das vezes a primeira transa acontece em qualquer buraco, do jeito que dá. Mas se ele for fruto de um encontro bacana, você pode considerar o contexto do antes, durante e depois.

Conheça lugares como parques, restaurantes e, se quiser matar a curiosidade, vá a um motel, pague um horário só para conhecer. A surpresa pode ser um elemento estimulante para alguns, mas para outros pode travar ainda mais.

Mesmo que o sexo aconteça no carro ou num sofá velho de casa, ter o máximo de familiaridade com o ambiente pode ajudar.

Sexo é mental

A maior queixa de homens que broxam, têm ejaculação precoce ou qualquer outra disfunção sexual, é que perderam a percepção de que o sexo é essencialmente uma manifestação, uma concretização do que acontece na mente. Ansiedade, tensão, preocupação e distração criam um sexo fraco, sem foco, acelerado.

Se você tem pouco conhecimento de como sua mente funciona, pode começar reparando no seu dia-a-dia, na forma com que se movimenta, come, conversa com os outros, trabalha e vive. Seu desempenho nessas atividades é uma manifestação do estado da sua mente. Se você come como um maluco acelerado, conversa de forma truncada e confusa, se relaciona de maneira aflita e egocentrada, seu sexo será ruim. Ou seja, você dificilmente vai conseguir explorar a riqueza de possibilidades disponíveis.

40-anos

Se você é o tipo de pessoa que só faz aquilo que gosta e vive enclausurado no seu mundinho imaginário, sem se relacionar com as outras pessoas e suas diferenças, sua forma de transar será apenas ejaculatória, sem brilho. Você precisa estar disponível, aberto e energizado. Não é se masturbando que você desenvolverá isso, mas melhorando a qualidade de sua mente.

Aqui tem um link com 13 dicas de textos para explorar suas possibilidades.

Sexo é corpo relaxado e vivo

Apesar de envolver um jogo mental, seu corpo está diretamente envolvido no sexo – e não é por causa do seu pinto, antes que pergunte.

Prepare-se para isso, cuide de sua alimentação, durma com qualidade e faça algum exercício para ter fôlego, força e ritmo. Na hora, lembre que precisará ter força nos braços, pernas e abdômen para fazer os movimentos e sustentar posições, mesmo as mais básicas. Sem nenhum preparo aeróbico, perderá o fôlego na primeira chacoalhada e não conseguirá seguir em frente.

Para ficar pelado na frente de alguém é preciso que goste do que vê, mesmo que não faça parte de um ideal de beleza, pois isso também (não exclusivamente) excita e alimenta fantasias.

O mais importante é entender que o seu desejo é um poderoso mobilizador do corpo e, se não tem o hábito de reparar como sua energia oscila, não saberá como lidar com ele.

A maior parte dos homens está tão focado no pinto que se esquece que a conexão com a parceira acontece na combinação entre o movimento sutil e concreto. Na preocupação com a ereção, às vezes o cara fica tão autocentrado, cheio de medo e reprimido que não sente o fluxo da energia que sobe e desce pelo corpo desde os olhos, mãos, boca, tórax, quadril, pernas, pênis, nádegas. Repare como isso acontece de forma truncada na masturbação simplesmente porque a trata como uma mera descarga de gozo.

Um bom experimento pode ser tirar meia hora para se masturbar com calma, imaginando todo o enredo do sexo, desde a hora que conhece a garota, conversa com ela, brinca, se entrosa, se diverte, depois levando ela para o local onde tudo acontecerá, a chegada, os beijos e carícias preliminares, a roupa sendo tirada (com força e/ou delicadamente), a penetração, o orgasmo, o carinho pós-sexo e aquela conversa meio estranha e meio íntima.

Nessa masturbação completa, repare o que aumenta e diminui a energia e o que desconcentra você. Isso já são pistas de que se não consegue ficar meia hora sem se distrair loucamente, talvez precise treinar a estabilidade da sua mente.

Habilidades sexuais

Ao deixar que seus desejos sejam bem-vindos, eles também conduzirão suas mãos, sua boca e todo o resto na direção do outro corpo. Se tem tabus quando à legitimidade do sexo, isso vai bloquear o livre fluxo dessa sinergia e sua sensibilidade corporal ficará comprometida por uma mentalidade castrada, reprimida e medrosa de se soltar frente ao próprio desejo.

A falta de "pegada" surge desse conflito externo.

O sexo é uma prática paradoxal, pois envolve habilidades mentais e físicas aparentemente contraditórias, ou seja, se você for uma pessoa metódica, obsessiva, incapaz de aceitar aparentes contradições tem maiores chances de ficar bloqueado na hora H.

Se achar que só força resolve, perde o poder da delicadeza, do toque afetuoso que desliza pelo corpo da outra pessoa. Se só consegue intensificar os estímulos não saberá a hora de relaxar e afrouxar o ritmo. Se você não está familiarizado com essas operações mentais no dia a dia, elas faltarão a você na cama.

Tentei falar do modo mais básico de questões sutis. Há uma imensidão de aspectos para abordar. O sexo, apesar da aparente complexidade, também é muito intuitivo e simples de vivenciar. Animais fazem isso sem muito córtex cerebral, mas como somos humanos e interceptados pela nossa mente, o sexo virou algo mais que puramente biológico.

Em essência, seja uma pessoa de coração simples e sonhos incríveis. Sempre se dê uma segunda chance para cada tropeço. O desejo que acontece no sexo começa antes de tudo pelo desejo pela vida. E as pessoas fazem parte disso. Se estiver suficientemente conectado a elas, em algum momento, uma bela trepada acabará surgindo.

* * *

Nota:  A coluna ID não é terapia (que deve ser buscada em situações mais delicadas), mas um apoio, um incentivo, um caminho, uma provocação, um aconselhamento, uma proposta. Não espere precisão cirúrgica e não me condene por generalizações. Sua vida não pode ser resumida em algumas linhas, e minha resposta não abrangerá tudo.

A ideia é que possamos nos comunicar a partir de uma dimensão livre, de ferocidade saudável. Não enrole ou justifique desnecessariamente, apenas relate sua questão da forma mais honesta possível.

Antes de enviar sua pergunta olhe as outras respostas da coluna ID e veja se sua questão é parecida com a de outra pessoa e se mesmo assim achar que ela beneficiará outras pessoas envie para id@papodehomem.com.br.


publicado em 17 de Julho de 2014, 15:58
File

Frederico Mattos

Sonhador, psicólogo provocador, autor dos livros "Relacionamento para Leigos" e "Como se libertar do ex". Adora contar e ouvir histórias de vida. Nas demais horas cultiva a felicidade, lava pratos, oferece treinamentos online em A Mente Humana e escreve no blog Sobre a vida.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura