Transformação pelo encontro | 26 a 28 de abril de 2013

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Vocês todos estão convidadas e convidados para o último encontro nacional da Cabana e o primeiro evento dO LUGAR. Veja detalhes abaixo e faça sua inscrição!

O fim da Cabana

A Cabana como a conhecemos ("Dojo de crescimento coletivo para homens") durou 5 anos. O projeto começou em janeiro de 2008, sem grandes pretensões, com poucos homens bem interessados em falar sobre sexo e relacionamentos. Com o tempo, ampliamos nosso foco para descobrir como viver melhor, como superar obstáculos, trabalhar em rede, transformar nossas relações, corpo, mente, trabalho…

Há mais de um ano, sem pressa, estamos observando que o movimento por si só está tornando possível receber todo mundo no trabalho de exploração e treinamento que temos feito. Hoje simplesmente não faz sentido falar em “Cabana Papo de Homem”, já que o melhor do que tem acontecido não é mais direcionável para homens apenas – qualquer pessoa pode encontrar utilidade e se beneficiar. Se quiser entender melhor como será a transição, leia este texto que publicamos recentemente.

Link YouTube | Qual o sentido em deixar isso tudo restrito aos homens?

 

A Cabana vai virar O LUGAR

Em paralelo, há quase um ano, estamos cultivando (minha namorada, eu, Fabio e alguns entusiastas) a ideia de fazer um outro projeto, um lugar em São Paulo que não fosse café, livraria, centro cultural ligado a alguma filosofia, mas um lugar, apenas um espaço de encontro, disponível para quem quiser dar um curso, bater um papo, ouvir, ser ouvido, dançar, tomar um café, meditar, ler… Um lugar como uma praça do interior, sem programação divulgada na internet.

 

–Vai onde hoje?
–Vou no lugar, vamo aí? Cara, ontem foi animal. Teve uma roda de tambores, do nada, depois descobrimos que um cara era barman e ele ficou ensinando alguns truques pra nós, isso depois da meditação…
–E hoje vai ter o quê?
–Não faço ideia, mas vou passar lá.

Hoje os lugares estão fixos, parece que a cidade não acompanhou nossa plasticidade: precisamos sempre nos mover para meditar numa sala e depois conversar em um bar e depois dançar em outro local... Além disso, pense como a dinâmica de uma mesa de bar limita nossas conexões: só ouvimos alguém por 15 minutos sem interrupção quando a pessoa têm a sorte de ser convidada para palestrar num TEDx da vida.

Enfim, estávamos bem empolgados mas sem nenhuma pressa de concretizar esse lugar. Deixamos a coisa guardada. Certo dia, surgiu a ideia: “E se a Cabana virar O LUGAR? O lugar precisaria de uma comunidade, de um eixo, de uma linguagem consensual… E a Cabana está quase conseguindo ter seu primeiro lugar físico… Que tal juntar os dois projetos?”. Mil conversas se seguiram e todo mundo achou uma bela ideia: a Cabana vai virar O LUGAR.

Para onde vai a Cabana? Para lugar algum. A Cabana nunca foi a “A Cabana”, sempre foi um lugar, online e muitas vezes presencial, de encontro e transformação.

Para O LUGAR, igual fizemos com a Cabana, estamos pensando numa expressão bem simples de definir: “Transformação pelo encontro”. Não é um grupo, mas um espaço para se encontrar com outras pessoas, outras visões, outras práticas, e ao mesmo tempo oferecer o que já encontramos por aí, cultivar qualidades, viver melhor.

 

Encontro com a música

 

Encontro com as artes marciais

 

Por que se encontrar?

 

“O que eu tenho a oferecer sou eu, o que você tem a oferecer é você, e se você se oferecer com autenticidade e generosidade eu serei movido.” --Charlie Kaufman

Quando observo o funcionamento das famílias em uma rotina diária, mesmo quando estão todos de férias no interior em um local sem internet ou TV, fica nítido que não há um momento de respiro no qual todos se encontram e ficam ali, tranquilos, abertos, deixando qualquer conversa surgir -- e é assim que brotam as melhores conversas. Depois do café todos vão para a piscina, depois tem churrasco, a gente se perde em meio a detalhes de organização, bebidas e brincadeirinhas, depois tem pizza, mas nunca a gente senta tomando, sei lá, um chá, algo que nos deixe ali, parados, sem entretenimento, só com nós mesmos.

Do jeito que nos estruturamos atualmente, as pessoas não param, nunca realmente chegam em algum lugar (o corpo chega, a mente demora e só chega quando o corpo já está se levantando para ir embora). Parece até estranho dizer isso assim, mas é verdade: a gente quase não se encontra mais.

 

Encontro com a polifonia

 

Encontro com o silêncio

 

Como se transformar?

As transformações que a gente aspira, em geral, se resumem em dois tipos: horizontal (habilidades nas várias frentes da vida cotidiana: escrever melhor, viajar mais, investir, ser mais culto, aprender isso, melhorar naquilo) e vertical (sabedoria, questões existenciais, compaixão, liberdade, consciência das dinânicas profundas, inteligências e qualidades pervasivas, que se aplicam a qualquer experiência). Melhorar o sonho e, em paralelo, começar a acordar -- melhor que um sonho bom é um sonho lúcido.

No entanto, como estamos fazendo isso? Sozinhos? Lendo livros? Tomando remédios para dormir ou diminuir a ansiedade sem que ninguém saiba? Confiando apenas em psiquiatras e psicoterapeutas? Seguindo nossa própria salada espiritual na qual misturamos um pouquinho do que gostamos dessa tradição com outro pouquinho que gostamos em várias outras?

Será que podemos falar abertamente sobre isso tudo? Podemos compartilhar nossas experiências em diferentes treinamentos e encontrar eixos e linguagens em comum para aprofundar nossa comunicação? Quais as linhagens vivas que, geração após geração, transmitiram até nós métodos sofisticados e detalhados de transformação do corpo, da mente, de nossas relações e de nossa atitude? Como operar mais e mais em rede de modo a transformar nossas duas vidas?

 

Encontro com a ancestralidade

 

Encontro com a ludicidade

 

Se há encontro, nossa transformação é a própria transformação dos outros

Nossa vida não é nossa. Nossa vida inclui todo mundo. Para dar alguns poucos exemplos do que estamos acompanhando bem perto:

Guilherme Valadares, Denìlson Lacerda, Vítor Barreto estão testando novos modelos de trabalho e negócios, diariamente, na prática. Eduardo Amuri está se propondo a melhorar a relação das pessoas com o dinheiro.

Fábio Rodrigues fará o treinamento Cultivating Emotional Balance, com Alan Wallace e Paul Ekman no México, que, juntamente com seu treinamento sob orientação do Lama Padma Samten, o habilitará mais a conduzir encontros focados em desenvolver relaxamento, estabilidade, vivacidade (sem contar de seu treino de Wing Chun com seu professor Gil Eanes, seu trabalho musical com a banda Vacine, suas incursões pela natureza...)

Gil Eanes Vivekananda segue dando aulas de Wing Chung por todo o Brasil, sob orientação de seu professor Cemil Uylukçu, e está testando como as artes marciais podem se integrar ainda mais com o treinamento da mente.

Gustavo Gitti concluiu sua formação de 3 anos com Reinhard Flatischler, que o habilita a conduzir intensivos de TaKeTiNa (desenvolvimento humano pelo ritmo) pelo Brasil. Marcos Bauch, Isabella Ianelli, Fábio Valgas, Elder Martins, João Marcos, Jeanne Pilli, Felipe Ramos, Stela Santin, Jader Pires, Martinha Linhares, Rodrigo Cambiaghi, Luiza de Castro, Inez Campos, Daniel Oshiro, Alex Castro, Fred Mattos, Eduardo Pinheiro, Julia Ropero, Alê Marcuzzi, Luciano Ribeiro, Anna Haddad, Veronica Gunther, Felipe Franco, Ana Thomaz, todos os atuais caseiros da Cabana, você que está lendo agora... É sem fim a lista de pessoas fazendo coisas incríveis e beneficiando muitas pessoas com diferentes experiências.

Isoladamente alguns desses movimentos seriam bem mais fracos e outros sequer teriam acontecido. Porém, quando estamos sempre nos encontrando, pra valer, o crescimento de um é inseparável do crescimento de todos.

A ideia é tornarmos mais acessíveis muitas inteligências, sabedorias, tecnologias, métodos e ferramentas por meio de pessoas que se engajaram em longos treinamentos ou bateram cabeça em um percurso específico (fazer móveis com pallet, gerenciar empresas, reduzir ansiedade, melhorar a postura...) e já têm algo a compartilhar. Quanto maior essa rede, mais fácil de alguém se beneficiar quando colocar os pés nO LUGAR.

 

Encontro com a natureza

 

Encontro com o Louie

 

"Transformação pelo encontro" | Programação

No último encontro nacional tivemos mil atividades em várias frentes. Foi intenso e inesquecível para várias pessoas, mas sobrou pouco espaço de respiro. Dessa vez a proposta é fazer menos e focar nas bases e nos sonhos para o nascimento dO LUGAR. Será algo experimental destinado a quem vê sentido e potencialidade nessa movimentação.

Sexta, 26 de abril

20:00 às 23:00 | Primeiro encontro, conversa, celebração, quebra-gelo

Sábado, 27 de abril

10:00 às 13:00 | Felicidade genuína e equilíbrio emocional (com Jeanne Pilli)

13:00 às 15:00 | Almoço nos arredores

15:00 às 16:00 | Transformação pelo encontro

16:00 às 17:00 | Aula de alongamentos e consciência corporal (com Aline Micelli)

17:00 às 18:30 | Conversa de coração e roda de embate experimental

18:30 às 19:30 | Intervalo

19:30 às 21:00 | Aula de forró e samba

21:00 às 01:00 | Celebração e dança

Domingo, 28 de abril

10:00 às 13:00 | Instrução e prática de silêncio, relaxamento e conversa sobre o treinamento da mente e da atitude (com Fábio Rodrigues e Gustavo Gitti)

13:00 às 15:00 | Almoço nos arredores

15:00 às 17:00 | As possibilidades dO LUGAR e como operar em rede

18:30 às 21:00 | Despedida

Divulgaremos o local por email para os participantes.

 

Encontro com a morte

 

Encontro com a arte

 

Valores, inscrição e processo de seleção

Os valores são:

 


  • R$ 160,00 para quem é da cidade de São Paulo

  • R$ 60,00 para quem vem de fora da cidade de São Paulo (desconto simbólico considerando que a pessoa já vai gastar com transporte)



  •  
  •  

Dessa vez, como queremos favorecer a participação de quem nunca esteve em um encontro da Cabana, das mulheres e também de quem mora em outros estados, faremos um processo de seleção parecido com o do TEDx. Não precisa ser prolixo, mas fale um pouco dos seus sonhos, interesses e habilidades.

* Ainda que os encontros já sejam abertos a todos, estamos preparando o site para receber todo mundo. Pedimos às mulheres interessadas que aguardem o lançamento oficial dO LUGAR para poder se cadastrar.

Quer colocar isso em prática?

Para quem está cansado de apenas ler, entender e compartilhar sabedorias que não sabemos como praticar, criamos o lugar: um espaço online para pessoas dispostas a fazer o trabalho (diário, paciente e às vezes sujo) da transformação.

veja como entrar e participar →


publicado em 12 de Março de 2013, 09:00
Gustavo gitti julho 2015 200

Gustavo Gitti

Professor de TaKeTiNa, colunista da revista Vida Simples, autor do antigo Não2Não1 e coordenador do lugar. Interessado na transformação pelo ritmo e pelo silêncio. No Twitter, no Instagram e no Facebook. Seu site: www.gustavogitti.com


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: