Transformando história em presente

O bom presente é aquele que arranca lágrimas dos olhos

  • Nossos atuais Mecenas:
  • 130x50 jpg
  • Asm selo png

Dizem que o ato de presentear foi disseminado pelo romanos, quando o rei Rômulo recebia galhos que seus auxiliares colhiam nos bosques, simbolizando votos de boa sorte a cada novo ano que se iniciava.

Ao longo da história, os presentes foram desenvolvendo um papel importante dentro dos relacionamentos humanos. Estão presentes em diversas relações – amorosas, afetuosas, políticas e econômicas. Eles reforçam laços, simbolizam afeto, reforçam datas e fazem as pessoas se sentirem especiais. Presentes são carregados de significados.

Hoje em dia, porém, presentear virou um ato automático, o que resultou em obrigação e shoppings cheios. Triste fato, por que dentro de um presente é possível termos muito mais do que laço e papel bonito. Dentro de um presente está a possibilidade do olhar verdadeiro de uma pessoa sobre a outra, há a possibilidade de um gesto de oferta, de amor, mostrando que uma pessoa estava atenta à essência de uma outra.

Dentro de um presente há sempre dois mundos: quem entrega e quem recebe. Um presente pode, e deve, simbolizar a intersecção daqueles dois mundos e histórias.

Mas presente assim, cheio, só é possível quando o olhar e a vontade estão presentes. Para presentear é preciso enxergar, mergulhar, ler as entrelinhas, se atentar aos detalhes. Pois presentes contam histórias que por sua vez são feitas de pequenos detalhes: um olhar, uma fala, um gesto, uma brincadeira.

Muitas vezes não nos damos conta da importância desses detalhes até parar para pensar, colocando-os pra fora, e com surpresa perceber as palavras saindo naturalmente, de forma genuína, como se já estivessem ali há muito tempo. E estavam. 

 Abrir os olhos para os detalhes é praticar, ver e agir de outra forma, com mais afeto, gentileza e presença. Presente é um código de afeto, que se diferencia em cada relação.

Tenho, na minha família, uma boa história para ilustrar: Meu avô era autêntico e cheio de atitude, andava descalço pelo chão de terra o dia inteiro e só colocava o sapato para entrar em casa. Em uma época escassa, ele inventou um código para ele e minha avó: todos os dias, presenteava-a com dentes de leão, aquela plantinha simples, que nasce em qualquer canto de jardim e voa aos pedacinhos quando gente as assopra. 

Comum e nada duradoura, não era somente a planta em si que tinha significado, mas também o gesto do presentear.

 Tão forte era esse código que um dia, anos depois da morte do meu avô, minha irmã, desavisadamente, entregou um dente-de-leão à minha avó. Esse gesto emocionou-a e a fez lembrar de muitos momentos, sentimentos e fatos da sua vida. Hoje, para toda a família, não há a menor possibilidade de vermos um dente de leão e não lembrarmos dos dois.

Essa história conta muito sobre o valor que damos aos objetos: Afinal, tudo pode contar uma história, tudo pode pertencer a uma história. Aquela simples plantinha tinha história, principalmente para a minha Avó.

Esses gestos podem também ser criados: Um anel de diamante não significava noivado antes do século 20, até que campanhas de marketing contaram a história romântica “digna” de amor eterno.

Uma história, uma vez sentida, passa a fazer sentido. Presentear com significado é, acima de tudo, reforçar esse sentido através de objetos e experiências, criando um ciclo encantador. Pois quando faz sentido, a gente sente e se conecta através de olhares e sorrisos, transformando nosso entorno e deixando tudo mais humano e verdadeiro.

Acredito que envolver-se nas histórias ajuda a concretizá-las e deixá-las vivas, para dessa forma lembrar, emocionar e encantar, transformando vidas dentro desse processo. Nós valorizamos o afeto e a conexão. Logo, o presentear não é um gesto raso, tampouco um gesto que requer uma carteira cheia, mas pode ser um gesto profundo. Um gesto que envolve olhar o outro, entender o outro, buscar o outro, verdadeiramente.

Aprenda a dar significado aos seus presentes

"Amor que é amor vem com laço. Vem embalado em histórias. É fita que não aperta. Abraça. É surpresa que transforma. É presente para a vida toda. Não é seu, nem é meu.... Amor que é amor pertence a nós."

O dia dos namorados está chegando, veja exemplos inspiradores que transformam nossas próprias histórias em momentos marcantes e especiais, conheça nosso programa, Nós em Laços.


publicado em 20 de Maio de 2015, 14:39
File

Silvia Strass

Designer, ilustradora, artista e artesã. Inspirada por afeto e histórias reais, gosta de colorir coisas e vidas. Cria produtos, presentes e decora espaços através do design handmade.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: