Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Um namoro confuso e muuuitas perguntas

Pergunta:"Caro Dr. Love, tenho muitas perguntas a fazer, então gostaria de um pouco de paciência...

1. Minha namorada, faz questão de que eu fale de meus relacionamentos
anteriores, com detalhes, e eu não me sinto bem nem de falar os nomes das
garotas com as quais já me relacionei na f
rente dela.

Eu posso dizer que meu namoro foi divido em duas partes, na primeira eu
passei 9 meses com a minha atual namorada. Então tive uma recaída,
porque minha ex veio me fazer uma 'visitinha' quando eu estava só em casa,
daí não aguentei de remorso, e contei tudo à minha namorada, e ela, com
razão, terminou.

Mas eu gostaria de me explicar, a minha namorada sempre ficava perguntando
sobre minhas ex, e me pressionava a falar, e isso trazia à minha cabeça
lembranças que fizeram com que não as esquecesse completamente.

Depois de uns 4 meses, voltei a namorar com a mesma menina, mas ela continuava a perguntar das minhas ex. Das que eu tive algo no tempo que passamos separados, e isso me
deixa muito incomodado, mas eu não gostaria de negar o pedido dela diretamente, pois tenho
medo d'ela achar que tenho algo a esconder...

2. Nós temos um sério problema de horários... Eu faço 2 cursos, um pela
manhã e outro à tarde, e também tenho atividades fora da universidade, e ela,
faz somente um curso, mas os horários são quebrados, com aulas manhã e
noite.

Eu confesso que quando aparece uma oportunidade de vê-la eu largo o que
estiver fazendo para ir de encontro a ela, mas sinto como se ela não se
importasse. Já tentei 'me fazer de dificil' sem ligar ou combinar nada,
pois sempre ela dizia que tinha que estudar, e passei semanas sem noticias.

Porém, quando acontece d'eu aparecer sem avisar, ou algo parecido, ela larga o
que tiver fazendo pra ficar comigo, mesmo se remoendo por dentro, como eu
sinto. Então prefiro não fazer muitas vezes esse tipo de visita surpresa,
mas a distância me faz pensar muitas besteiras...

3. Ela é um pouco mandona, admito, mas não gosta de ser, e eu não gosto de
tomar decisões.... ou seja, quando precisamos tomar decisões, sempre aparece
uma briguinha...

Espero sua ajuda, e o sigilo também."

- Anônimo

Caro Anônimo,

Hora da chibata
"Minha namorada, faz questão de que eu fale de meus relacionamentos
anteriores, com detalhes, e eu não me sinto bem nem de falar os nomes das
garotas com as quais já me relacionei na f
rente dela."

Isso normalmente é um recurso para atacar as namoradas quando elas pisam na bola, já que a absoluta maioria não suporta ouvir casos detalhados, mesmo que das ex-concorrentes. Não acredito que a sua goste de escutar isso muito menos. Ela provavelmente acredita que faz bem deixar o homem falar do passado dele ou então pensa que vai extrair informações úteis dessas conversas.

"Mas eu gostaria de me explicar, a minha namorada sempre ficava perguntando
sobre minhas ex, e me pressionava a falar, e isso trazia à minha cabeça
lembranças que fizeram com que não as esquecesse completamente."

Olha aí o resultado de ficar conversando demais sobre o passado. Que isso sirva de lição para todos. Lugar de ex é no caixão.

"Depois de uns 4 meses, voltei a namorar com a mesma menina, mas ela continuava a perguntar das minhas ex. Das que eu tive algo no tempo que passamos separados, e isso me deixa muito incomodado, mas eu não gostaria de negar o pedido dela diretamente, pois tenho medo d'ela achar que tenho algo a esconder..."

Ahn? Ela levou chifre e *você* tem medo? Cara, essa mulher está impondo novamente um hábito que te incomoda e que foi uma das causas do primeiro término e você aceita, tão passivo quanto aquelas ovelhas prestes a serem tosquiadas.

Se ela continuar insistindo, responda:

A. Educado

- Se quiser uma nova relação é daqui pra frente, não quero mais escutar perguntas sobre o que aconteceu ou deixou de acontecer. - fale firme, olhando no olho

B. Irônico

- Assim que lançarem minha biografia vou te mandar um exemplar, lá na página 115 tem os detalhes do que fiz depois do nosso término, tá bom, meu bem? - emende um belo silêncio em seguida

Não tolere a manutenção desse hábito. Aliás, não devemos acostumar nossas namoradas com respostas detalhadas e complexas. Faça como no exército. Dê apenas as informações necessárias no momento necessário.

"Eu confesso que quando aparece uma oportunidade de vê-la eu largo o que
estiver fazendo para ir de encontro a ela, mas sinto como se ela não se
importasse."

Clássica diferença na escala de prioridades. Ela está no topo da sua. Você não está no topo da dela. Não é uma boa fórmula.

"Já tentei 'me fazer de dificil' sem ligar ou combinar nada,
pois sempre ela dizia que tinha que estudar, e passei semanas sem noticias."

É um péssimo indicativo quando passarinhos tomam seu lugar

Ela pode ser uma mulher com baixo impulso sexual. Ou quem sabe apenas é você que está abaixo do papagaio de estimação na lista de prioridades dela. Vai saber. Papagaios estão cada dia mais em alta.

"Ela é um pouco mandona, admito, mas não gosta de ser, e eu não gosto de
tomar decisões...."

Então temos mais uma mulher de perfil controlador, fruto de grande insegurança e dúvidas sobre a própria capacidade de manter e conquistar um homem, que, no entanto, vive e sonha loucamente esperando ser encontrada por um capaz de conduzí-la, protegê-la e dar a ela noites de prazer dignas do Kama Sutra. E você agindo como um banana que se recusa a assumir seu papel como rei da selva.

"ou seja, quando precisamos tomar decisões, sempre aparece
uma briguinha..."

Briguinha é coisa de amigas solteironas que tomaram Hi-Fi demais no Happy Hour da empresa e discutem sobre quem vai pagar o táxi na volta pra casa. Seja homem e comece a tomar as decisões, mesmo que não esteja certo delas. Não existe nada pior do que um homem frouxo e hesitante.

Dr. Love, espalhando o amor pelo mundo

Visite a nova sessão Dr. Love em nosso fórum !

Use o formulário abaixo para enviar sua pergunta.

[CONTACT-FORM]


publicado em 30 de Maio de 2007, 20:13
92e8d9697a8dd2faf3d0bc4f9d3a08fc?s=130

Dr. Love

Consultor amoroso e cachorrão nas horas vagas.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura