A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

As consequências da adolescência prolongada: o que houve com o elenco de "Jackass"?

Você é mais um homem desperdiçando a vida em uma adolescência sem fim? Cuidado, a conta pode demorar, mas chega — e com juros

"Jackass" foi uma série de TV famosa, transmitida entre 2000 e 2002.

Fama, festas, álcool e loucuras além da imaginação. Vivendo o sonho (de muitos adolescentes). Será?

Seus integrantes, todos homens, eram protagonistas das mais variadas e bizarras manobras auto-punitivas e pegadinhas. Enfiavam objetos no próprio ânus, eram arremessados, cortados e até mesmo mutilados. 

Realizavam trotes entre si, com seus familiares e estranhos na rua.

O tremendo sucesso deu origem a três filmes. Os membros do elenco eram aparições constantes em entrevistas e eventos com celebridades pop, se tornando "ídolos" juvenis. Inúmeros produtos de merchandising e atrações paralelas — ou inspiradas na mesma proposta — surgiram do fenômeno "Jackass".

Pelo que um telespectador comum poderia deduzir acompanhando as entrevistas do elenco, suas aparições públicas e reality shows, a maior preocupação dos integrantes seria qual o ato mais insano e chocante a realizar em seguida — como adolescentes.

Mas o que aconteceu com eles dezesseis anos depois, vivendo desse modo?

Link YouTube

Não foi bonito. Cirurgias, vícios, álcool, dependências, distúrbios emocionais, divórcios conflituosos e até mesmo morte. São comportamentos irresponsáveis e tóxicos, alguns dos quais disseco aqui. Listo abaixo as piores consequências abordadas no vídeo acima, produzido pelo canal "Looper".

Ryan Dunn: constantemente lidando com alcoolismo, enfileirou multas e advertências por infringir a lei no trânsito.

Morreu ao bater seu Porsche num poste a 220km/h, bêbado. Dois amigos que estavam no carro, incluindo um produtor de "Jackass", também faleceram. O acidente foi próximo de sua casa, a ponto da esposa ouvir o barulho do impacto.

Sua morte afetou todo o elenco e foi uma das causas do programa ter sido encerrado.

Jonny Knoxville: o criador do show. Em 2007, fraturou seu pênis nessa manobra para o programa. Hoje é casado e pai de família, segue precisando usar uma sonda para urinar, duas vezes por dia.

Bam Margera: também enfrenta o alcoolismo e admitiu que estava alcoolizado durante muitas das gravações do programa, para tornar as manobras ainda mais insanas. Lidou com bulimia e disse não ter superado a morte do amigo, Ryan Dunn, em um reality show.

Hoje pai e casado, foi preso por dirigir bêbado recentemente.

Segundo seu mãe, "ele está bravo consigo mesmo por ter sido estúpido. Agora só quer juntar os pedaços e seguir adiante, por si mesmo e por sua família."

Steve-O: preso por obscenidade em 2002. Preso várias outras vezes por questões relativas a drogas e comportamento arruaceiro.

Foi internado diversas vezes, por representar um risco a si mesmo, em instituições psiquiátricas enquanto lidava com as consequências de anos de comportamento abusivo com drogas e álcool.

Hoje está sóbrio e se tornou vegano, parece também estar em busca de uma vida mais saudável.

Ehren McGhehey: admitiu que a competição entre o próprio elenco pra ganhar mais tempo nos programas o estimulava a fazer coisas que preferia não feito.

Após arrancar o dente, durante um programa

Conhecido por arrancar violentamente o mesmo dente para as gravações, foi submetido a 25 cirurgias por conta dos diversos ferimentos sofridos durante outras manobras extremas.

Em uma entrevista, afirmou que seu corpo dói todos os dias por conta das sequelas.

Chris Raab: não era uma das estrelas, mas enfrentou problemas similares. Vício em álcool, drogas e remédios para dor, por conta dos ferimentos sofridos nas gravações. 

Se afastou do programa, mas o vício cresceu. Lidou com paranóia e pensamentos suicidas. Hoje sóbrio, tem buscado se recuperar trabalhando como garçom e ator.

Brandon Novak: viciado em heroína por 21 anos, entrou e saiu de processos de reabilitação durante anos, inclusive enquanto gravava "Jackass" — até seus colegas de elenco achavam seu comportamento além dos limites.

Chegou a ficar sem teto e se prostituir para manter o vício.

Hoje sóbrio, escreveu a autobiografia "Dreamseller", sobre como sobreviveu a esse processo. Seu livro é bem recomendado, em especial para pessoas que lutam contra vício em drogas.

* * *

"Jackass" inspirou toda uma geração que segue viva até hoje, infelizmente, em canais de YouTube com pegadinhas, trotes e violências com estranhos e com os próprios protagonistas.

Esse vídeo lista dez adolescentes que morreram ou sofreram severos danos após imitar manobras vistas no programa. Segundo um estudo global, entre março de 2014 e setembro de 2016, 127 pessoas tiveram "mortes por selfie" — ou seja, faleceram ao realizar algo extremo e tentar registrar o feito numa foto.

Querendo ou não, homens com grande visibilidade midiática inspiram outros, por mais imbecis que sejam suas atitudes. É uma tristeza termos pouquíssimos referenciais saudáveis de masculinidades nos holofotes.

Isso tudo pode parecer extremo, mas é cada vez mais comum vermos homens de 20, 30, 40 ou mesmo 50 anos em adolescências prolongadas, bastante imaturos, agindo de forma inconsequente em seus trabalhos, famílias, círculos de amigos e relações amorosas.

Escuto histórias assim com frequência nas rodas e grupos que conduzo. Ainda que seja sempre possível se transformar, não importa qual sua idade ou condição atual, é favorável perdermos menos tempo com o que não faz sentido algum.

Viver um dia após o outro, postando frases motivacionais com expressões como "carpe diem" e "you only live once" (só se vive uma vez) em busca da próxima experiência prazerosa, não é algo zen ou espiritual de quem realmente "se conecta com o agora".

É muleta para um comportamento infantil e autocentrado.

Um bom jeito de avaliar se está desperdiçando sua vida é proposto no vídeo abaixo por Gustavo Gitti:

Link YouTube

Você tem amigos vivendo processos auto-destrutivos, sofrendo pesados danos por não avaliarem as consequências de suas escolhas a curto e longo prazo?

Compartilhe esse artigo ou algum dos links sugeridos lá embaixo com ele ou ela. Diga que está lá como parceiro, para apoiá-lo.

Ser parceiro é mais do que ser amigo, é estar disposto a ajudar mesmo em meio a momentos duros, é ter coragem para puxar conversas desconfortáveis. E seguir lá, paciente, mesmo quando a reação inicial for ruim.

Desejo o melhor a todos os membros do elenco de "Jackass", esse não é um texto urubu, que se delicia nos restos de quem está sofrendo. Que eles possam se transformar e inspirar outras pessoas a fazerem o mesmo pelo caminho.

Vivemos num mundo no qual a idade média da população é cada vez alta. Entretanto, o número de pessoas que se recusa a sair da adolescência parece crescer ainda mais rápido.

Torço para mais adultos surgirem entre nós.

Alguns recursos para ajudar, na prática:


publicado em 26 de Maio de 2018, 14:04
File

Guilherme Nascimento Valadares

Editor-chefe do PapodeHomem, co-fundador d'o lugar. Membro do Comitê #ElesporElas, da ONU Mulheres. Professor do programa CEB (Cultivating Emotional Balance). Oferece cursos de equilíbrio emocional e escreve pequenas ficções no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura