Como montar um grupo de homens

Para além das mesas de bar, como podemos nos reunir de maneira construtiva?

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Logo havaianas 130x50 png
  • 47 nh 1 png

Um dos tópicos que viemos batendo recorrentemente aqui no PapodeHomem é sobre a importância dos homens se reunirem, não apenas para jogar conversa fora, tomar umas no bar ou assistir ao jogo da vez, mas também para falarem sobre aquilo que importa, para se exporem em suas dores, dúvidas e fraquezas.

Aqui, o Guilherme Valadares, fundador do PdH e professor de equilíbrio emocional que vem conduzindo rodas de homens em empresas pelo Brasil inteiro, fala sobre como criar um grupo na sua cidade de maneira bem direta e prática.

Link Youtube

Este vídeo faz parte de um conjunto de pílulas gravadas para o documentário "O silêncio dos homens", feito em parceria com @naturabroficial e @reserva. Nas próximas semanas vamos soltar todas as quintas um vídeo aprofundando as discussões sobre masculinidades contidas no documentário.

E, caso ainda não tenha assistido, o doc está disponível no Youtube do PapodeHomem.

Se quiser saber mais, temos uma lista com 129 iniciativas ao redor do Brasil e do mundo, que vale olhar com carinho. Ali, você pode ver se na sua cidade ou em algum lugar próximo tem algum grupo pra se aproximar.

E, caso não tenha nenhum, você também pode olhar o nosso guia que ensina um pouco mais detalhadamente sobre como montar um.

Neste artigo, temos um relato do Pedro de Figueiredo do Memoh, no qual ele conta o processo da iniciativa. E, além desse, temos um no qual o Paulo Miranda conta também como tem sido transformador fazer parte de grupos de homens.

Esperamos que esse material seja inspirador. Qualquer dúvida, só falar nos comentários e vamos conversando.


publicado em 24 de Outubro de 2019, 19:25
Logo pdh png

Redação PdH

Mantemos nosso radar ligado para trazer a você notícias, conversas e ponderações que valham o seu tempo. Para mergulhar na toca do coelho e conhecer a visão editorial do PdH, venha por aqui.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: