Converse com alguém sobre seus hábitos nocivos | Ignição #6

Uma das tarefas mais difíceis que existem: se abrir e jogar a real.

Olá, pessoal!

Chegou a quarta-feira! Portanto, sejam bem vindos a mais um Ignição!

O último empurrão foi um daqueles clássicos, tanto que, surpreendentemente, apareceu muita gente dizendo que, na verdade, já está com a prática de atividade física em dia. Que legal, não?

Outro fenômeno super bacana tem sido o de ver as pessoas se reunindo pra tocarem seus desafios da Ignição em conjunto. Não posso deixar de ressaltar o quanto isso é incrível. 

Por isso, a prática da semana também vai bater nessa tecla.

Converse com alguém sobre seus hábitos nocivos

Aqui no Papo de Homem, uma grande parte dos comentários, e-mails e mensagens que chegam relatam problemas com relacionamentos difíceis, situações financeiras complicadas ou uma sensação de estar atrás do próprio potencial de uma maneira mais generalizada. Vemos, muitas vezes, aquela reclamação: "estou perdido e não sei o que fazer da minha vida".

"Ah, mas aí é fácil, é só dar um jeito em tudo que resolve", diria nosso intrépido leitor.

Mas como resolver, então, a questão de um outro extremo que também surge com uma certa frequência? A do "tenho tudo mas não estou feliz"?

Se fosse fácil, com certeza não veríamos tantas pessoas caindo vezes seguidas nesses buracos.

Uma das nossas apostas é que há, nos homens, uma solidão generalizada (eu arriscaria dizer que não só nos homens, mas isso é assunto pra uma outra conversa).

Eles podem não estar sozinhos no sentido literal da palavra, mas estão, sim, isolados. Mesmo quando têm uma vida agitada, sucesso e relacionamentos, há uma falta de profundidade nessas relações.

É super fácil desenhar uma caricatura, basta imaginar aquela cena. Você chega pra conversar com um amigo com quem sempre sai pra tomar uma cerveja. Está com problemas em casa, não consegue se organizar financeiramente, não vê como sair do mar de procrastinação, está se vendo cada dia mais afundado em videogames ou redes sociais e parece que tem uma depressão batendo à sua porta. A reação dele se resume a um "sai dessa, cara", ou envolve um dos conselhos que mais agrava problemas, "vamos sair pra tomar uma e esquecer disso".

Assim, aí está armada a bomba-relógio que, mais cedo ou mais tarde, explode fazendo um belo estrago.

Normalmente, aqui na Ignição, focamos na construção de hábitos positivos que podem gerar reações em cadeia como algumas que já vimos nos comentários.

Agora, vamos dar um passo dificílimo pra muita gente. Vamos tentar nos abrir sobre nossos problemas.

1. Faça uma lista com alguns hábitos nocivos

Uma parte de gerar mudanças é saber quais partes você pode melhorar. Algo importante, pro nosso momento na coluna, é focar em hábitos e não apenas em problemas vagos. Por exemplo, às vezes, você pode estar se sentindo um verdadeiro lixo humano que é incapaz de fazer qualquer coisa. Essa sensação é válida e pode apontar para algo super profundo e pode gerar uma ótima conversa. Porém, não é lá tão útil pra agirmos em cima. 

Agora, se você é capaz de ver que esse problema é intensificado por um hábito nocivo com redes sociais que faz você perder muito tempo durante o dia, aí sim. Então, o tópico da conversa pode mais ir nessa direção, especificamente sobre o hábito nada saudável de perder tempo demais em redes sociais.

2. Reuna-se com uma pessoa e fale sobre isso

Essa parte pode ser bem difícil.

Afinal, se você está se sentindo isolado, certeza que não deve sentir essa abertura com ninguém ou quase ninguém ao redor.

Agora, é a hora que existir um espaço como o PdH faz toda diferença. Aqui embaixo, na caixa de comentários, está cheio de gente que adoraria seguir junto nessa jornada. 

Eu daria preferência pra alguém que você possa encontrar presencialmente, mas se não for possível, apresente-se aqui na caixa de comentários e tente marcar com alguém por Skype ou Hangout. Já tem gente fazendo isso há algumas semanas e, pelos relatos, parece que está funcionando. ;)

Depois, adicionem-se e sigam se acompanhando o mais de perto quanto for possível. 

Recursos úteis

Cuidados importantes

1. A ideia é oferecer parceria, acompanhar de maneira cuidadosa e, claro, abrir-se, falar sobre o que incomoda. Com o tempo, isso gera uma conexão que vai além do "tudo bem" e vocês têm a oportunidade de se aprofundar também em outras questões. Porém, ninguém é delegado da vida alheia. Pessoas falham em seus compromissos e tudo bem. Parceria é saber que a relação segue, independente se você consegue ou não oferecer uma ajuda transformadora logo de cara. Às vezes, vai demorar anos pra pessoa manifestar apenas um pequeno avanço (aos seus olhos) e tudo bem. O importante é seguir oferecendo apoio.

2. Tem gente que não consegue se abrir, mesmo quando quer. Portanto, tente não bancar o paizão cheio de conselhos. Ouça. Não interrompa. Acredite, é um treino mais difícil do que parece.

3. Eventualmente, a reação da outra pessoa sobre os seus problemas vai ser frustrante. Não tem como prever. Uma parte da coisa também é saber que o outro não pode fazer nenhum milagre. Ele não é responsável por você. A prática é de abertura, mas também é de saber lidar com o imprevisível, com a frustração e com a responsabilidade sobre si próprio. Afinal, diante de todos os problemas é a gente quem tem que agir.

* * *

É isso, pessoal, a gente se vê nos comentários. Conversem entre si, reunam-se e não esqueçam de vir contar pra gente como tem sido.

Até quarta que vem!

* * *

O que é a coluna Ignição?

Resumindo: queremos iniciar processos de transformação por meio de ações práticas.

Aqui no Papo de Homem temos trocentos textos filosofentos falando de tudo. Agora, vamos pra outra abordagem.

Menos papo, mais ação.

Você está perdido e não sabe o que fazer da vida? 

Aqui vamos oferecer um ponto de partida, ações simples que você possa usar como um aquecimento, que coloque seus "músculos" no ponto para você gradativamente começar a lidar com seus problemas de frente.

Como funciona?

Toda semana vamos sugerir ações práticas acessíveis, para que você possa sair da inércia.

Depois, pedimos que venham aqui no artigo e relatem, em detalhes, como foi a experiência. Vale qualquer coisa, inclusive e principalmente, se der tudo errado, pois é nessas horas que a gente precisa de apoio e a coisa de termos uma comunidade mais vai fazer sentido. Nos colocando em movimento vamos começar a descobrir irmãos, amigos, enfim, parceiros de transformação.

Com o tempo, vamos cultivar uma rede de parceiros, dispostos a transformar suas vidas e também conversarem sobre o processo todo como uma forma de se incentivarem e se apoiarem. 

A Ignição é incrível, onde encontro os experimentos anteriores?

Muito fácil! Basta entrar na coleção Ignição.

Já conhece o ebook "As 25 maiores crises dos homens — e como superá-las", produzido pelo PdH?

 
 

 


publicado em 20 de Junho de 2018, 12:57
Avatar01

Luciano Ribeiro

Cantor, guitarrista, compositor e editor do PapodeHomem nas horas vagas. Você pode ouvir no Spotify. Também escreve no Medium e em seu blog pessoal. Quer ser seu amigo no Instagram.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura