Entrevista com Sargento dos Fuzileiros Navais - Parte I

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

Para quem gosta do mundo militar este é um prato cheio para conhecer melhor o perfil de um sargento dos Fuzileiros Navais do Brasil. Segue a entrevista com o 3º Sgt. Muller, de 27 anos de idade.

Papodehomem: Qual é a sua patente atual?

Sou 3º Sargento.

Papodehomem: Esse sonho de ser militar vem desde quando?

Não me lembro bem a idade, mas foi por volta dos 9 anos, quando meu pai me levou ao desfile de 7 de Setembro.

fuzileiros-banda
A banda dos Fuzileiros, na formação âncora

Papodehomem: Tem mais algum militar na sua família ou foi você que começou essa nova era?

Não eu sou o primeiro da família, a única pessoa mais próxima de mim que serviu às forças armadas foi o marido da minha prima.

Papodehomem: No começo, quando você se tornou militar houve algum tipo de preocupação exagerada por parte de algum familiar?

Sim, minha mãe sempre foi muito preocupada, pois ela tinha um visão mínima sobre a profissão.

Papodehomem:  Conte-nos sobre sua trajetória .

Eu ingressei na Marinha aos 18 anos como Soldado Fuzileiro Naval, posto qual fiquei  aproximadamente 4 anos, e fui subindo gradativamente até chegar onde estou hoje.

Papodehomem: Para você, acordar cedo e fazer toda a rotina militar valeu e vale a pena ou às vezes dá vontade de parar?

Olha, acordar cedo e fazer toda a rotina militar não é o que faz um militar desistir da profissão, os que dão baixa têm motivos muito mais amplos. Não posso dizer como será o dia de amanhã, mas hoje em dia eu não tenho planos de sair.

Papodehomem: Um lado bom e um lado ruim de ser militar:

Eu acho que não existe lado ruim quando você faz o que gosta, 90% dos militares têm muito orgulho da profissão e não estão lá por ser um cargo público, e sim por vocação.

Tem um lado não muito favorável que é o fato de que a falta de segurança dos dias de hoje faz com que muitos militares escondam suas funcionais com medo de ser abordado por um vagabundo que esteja armado e aconteça algo pior.

Papodehomem: Existe uma certa aproximação por parte das mulheres quando vêem um sargento dos Fuzileiros Navais?

Bom, isso é muito relativo eu diria que impressiona muito mais do que aproxima, pois 90% da população nem sabe que o Brasil tem fuzileiros navais, e outra grande porcentagem acha que Sargento e um posto altíssimo de suma autoridade.

Papodehomem: Para todos que têm o sonho de ser militar qual é o bizú (dica) que você pode passar?

Primeiramente estejam absolutamente certos do que querem, pois as forças armadas só tem dois lados, pois quem está lá ou AMA ou ODEIA.

Mas estudem, pratiquem atividades físicas e procurem se informar sobre qual área e qual força vocês gostariam de atuar.

fuzileiros
Os fuzileiros em ação

Papodehomem: Em questão de investimento realmente está faltando isso nas forças armadas por parte do governo?

Sim, investimento e um pouco de planejamento.

Papodehomem: Conte-nos uma situação engraçada que já presenciou. E uma situação de aperto que você achou que não iria conseguir superar.

Situação engraçada foi em uma instrução de camuflagem em que um instrutor mijou na cabeça do Aluno sem sabe que o Aluno estava se camuflando na moita.

Uma situação difícil foi quando estávamos em uma manobra na qual permanecemos durante 2 horas em uma piscina de 2 metros de profundidade com todo o equipamento e me deu câimbra e ainda faltava 25 minutos para acabar o treinamento, mas deu tudo bem.

Papodehomem: Como funciona a formação dos Fuzileiros Navais? Após o período de formação este fuzileiro segue sua carreira como?

Quando o Aluno vai para as unidades de formação dos Fuzileiros navais CIAMPA ou CIAB, ele fica aproximadamente 4 meses em internato completo, após isso ele se forma Sd- Fn (soldado fuzileiro naval), e vai para os quartéis que ficam espalhados pelo Brasil.

Porém ele não é efetivo se num determinado tempo ele não chegar a cabo ou se ele não obtiver uma avaliação satisfatória ele é desligado do quadro efetivo da marinha, um Fuzileiro Naval só é de carreira quando se torna sargento.

Logo mais, a segunda parte da entrevista com o Sargento Muller. Aguardem, pessoal.


publicado em 09 de Janeiro de 2008, 09:00
146b56d45a6d1a1ec3b59be0c340a750?s=130

Vitor Spadotto

Estudante de administração de empresas e aprendiz do mercado de ações. Atualmente reside em Campinas - SP.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: