Estou gamado em uma mulher casada - Parte II

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Asm selo png
  • 130x50 jpg

Pergunta:"Olá a todos!

sou o camarada apaixonado por uma mulher casada!
bom o Dr. havia me perguntado qual local que frequentamos? O local é uma
universidade estudamos o mesmo curso! E também nos cruzamos durante o
horário de almoço.
Nossa, sua resposta Dr. Love foi a mais inteligente que já vi perante esse
assunto, mas um problema! Aqui não tem como marcar nada com ela, a cidade
é muito pequena e já tem muita gente comentando antes de eu concluir o ato!
Tanto que ela começou a ficar diferente, não sei se por esse motivo mas
ela mudou um pouco!
Aguardo comentários!"

- Júlio

Pessoal, a primeira parte dessa história está aqui, leiam pra ficar por dentro do caso.

Caro Júlio,

Agora a situação começa a se desenhar de forma mais clara. Os dois são jovens, em um ambiente pra lá de convidativo ao flerte(universidade) e, o principal, moram em uma cidade do interior.

Em cidades pequenas, a reputação é muuuuito valorizada. Nada é pior para uma mulher do que pegar fama de puta ou fácil. Ou seja, não dê bandeira. Se o pessoal já está comentando, não é bom sinal. Evite dar mais lenha, porque fofoca em cidade do interiro espalha igual fogo, sei exatamente como é. Como que falei na resposta anterior, você tem que dar um jeito de isolar essa mulher dos olhares alheios.

Fofoca é foda.

Pegue o telefone dela. Deixe para jogar seu charme longe da vista de outras pessoas. Convide-a para sair, para algum programa qualquer. Se ela topar, a resposta está dada. Se ela ficar hesitante, é porque quer mas ainda está em dúvida, preocupada com as consequências. É sua obrigação pensar no programa, para que seja algo onde possa ficar com ela sozinho e não haja risco de serem vistos.

Dr. Love, consultor amoroso e cachorrão nas horas vagas

Deixe sua pergunta, caro leitor, todos são bem-vindos em meu consultório!

[CONTACT-FORM]


publicado em 11 de Março de 2007, 19:50
92e8d9697a8dd2faf3d0bc4f9d3a08fc?s=130

Dr. Love

Consultor amoroso e cachorrão nas horas vagas.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: