A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Um dia nas dunas do Ceará

7:15 da manhã em São Paulo, botei só a pontinha do pé pra fora da cama. Congelou.

Decidi que ia ficar mais 2 minutinhos ali, no quentinho das cobertas.

Estiquei os dedos até o criado mudo para pegar o celular. Meu cachorro me ouviu acordar, logo se aproximou pra pedir carinho.

Ah, desencana! Vou levantar.

Entrei no chuveiro quente e estava difícil sair.

Começou a pipocar aquelas notícias e imagens do sistema cantareira em níveis baixíssimos na minha cabeça. Meu banho, que tinha tudo pra durar uma eternidade, durou 2 minutos.

As toalhas da minha casa, eu comprei numa promoção. A sensação que tenho é de elas não secarem, apenas espalharem a umidade pelo corpo, o que faz ser dolorido o pós-banho em dias frios.

Rapidamente me vesti, coloquei meu casaco de couro favorito e um cachecol – paulistano, quando bate menos de 11°C, acha que a qualquer momento o prefeito vai declarar estado de calamidade e mandar caminhões removerem a neve e o gelo das avenidas.

Peguei um táxi até o aeroporto. O PapodeHomem havia sido convidado para o lançamento da mais recente criação da Troller: o Novo T4.

O destino era Fortaleza-CE.

Assim que pisei em solo nordestino, percebi que, lá, o casaco de couro e cachecol seriam tão úteis quanto uma bicicleta é para um peixe.

Depois de guardar aquele monte de roupa, o Ceará me deu boas vindas ao seu "inverno". Sol, areia, vento e um frescor que só aquelas belas praias podem proporcionar. É isso que é o "inverno" no Ceará.

Tivemos oportunidade de testar o carro no terreno onde ele nasceu e aprendeu a andar: nas dunas de areia do Ceará, mais especificamente na cidade de Cumbuco, que fica a mais ou menos 30Km da capital, Fortaleza.

20140717_165556
O bichinho em seu habitat natural

A Troller é uma marca 100% brasileira, idealizada por Rogério Farias engenheiro e empresário nascido em Fortaleza em 1995, foi vendida para a Ford em 2007. Mas ainda preserva suas raízes brasileiras.

Capa

20140717_172221
No evento, não foram convidados apenas jornalistas, mas também, proprietários de Troller. Na foto, as 3 últimas gerações enfileiradas

Nossa expedição incluiu uma visita à fábrica da Troller. O carro ainda é produzido no mesmo local desde 95: Horizonte-CE. Ali, cerca de 500 funcionários são empregados. Sem contar os milhares de empregos indiretos que também são gerados.

Fábrica
A fábrica acabou de receber uma ampliação e modernização. A estimativa da empresa é duplicar a produção em até 1 ano

Fábrica 2
Apesar de utilizar o motor 3.2 diesel da Ranger, o chassi do T4 é um projeto diferente

20140717_171450
O porta malas pequeno é um item que deixou a desejar

20140717_172757
O cliente tem a possibilidade de encomendar o carro na cor que quiser por um valor adicional que varia entre R$ 1.500 a R$ 3.000. Dentre as histórias que os concessionários contam, há o inusitado caso do cliente que pediu o carro na cor de um videogame e da cliente que encomendou o carro numa cor de esmalte chamada: "Deixa beijar". A Troller fez.

20140717_172334
Os carros eram das mais variadas cores, mas durante o pôr do sol, eles ficaram assim, bem parecidos

20140717_172533
Nesse momento, desencanei do test-drive, passei o volante para o Rafael Rosa do Hypeness, pulei pro banco do passageiro e curti o pôr-do-sol

Ainda que no test-drive de imprensa a gente não tenha explorado 10% do potencial do carro, se a Troller tem hoje a fama de possuir um veículo parrudo-pau-pra-toda-obra, em grande parte foi graças aos bugueiros e jipeiros cearenses, que meteram esse carro nas situações mais extremas e fizeram os engenheiros da marca suarem para atender esse público.

Obrigado, Ceará, pelas lindas imagens e pela enorme hospitalidade.


publicado em 24 de Julho de 2014, 13:02
Fa6216a91d207a00d48a0f1c69f44eb9?s=130

Rodrigo Cambiaghi

é especialista em mídia programática e monetização de sites. Reveza o tempo entre filha, esposa, cão, trabalho, banda, moto, games, horta de casa, cozinha e a louça que não acaba nunca.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura