O poder das micro soluções

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Já reparou como muitas vezes fritamos o cérebro atrás da solução de algum problema?

Só que, depois que alcançamos esse objetivo, vemos que todo esforço usado foi desperdiçado para algo que, na verdade, era muito simples.

Quando criança, algumas vezes acompanhava meus pais nas reuniões e palestras da empresa que trabalhavam. Em uma dessas palestras, uma figura se destacou demais para mim por uma história que contou a todos no auditório. Era o filósofo Mario Sérgio Cortella. Ela falava justamente dessa cegueira que apresentamos em quase todas as ocasiões.

Link YouTube | Mario Sérgio Cortella falando sobre ética

Para grandes problemas, grandes soluções?

Uma multinacional, que comercializa diversos produtos, inclusive materiais de higiene, passava por um problema na sua linha de produção de pastas de dente. Na esteira final, por onde chegavam as caixas já com os tubos, algumas chegavam vazias. Isso, obviamente estava gerando várias reclamações dos clientes e prejuízos.

Para solucionar o problema, contrataram dois conceituados engenheiros e dentro de 3 meses projetaram uma máquina magnífica. Próximo ao final da esteira foi instalada uma balança com precisão cirúrgica. A ela, estavam ligados vários sensores que transmitiam os dados para um programa desenvolvido especialmente para este caso. Caso alguma embalagem passasse vazia, seria detectada pela balança a diferença de peso, a esteira pararia, um braço mecânico retrátil então vinha e retirava a caixa e todo o processo continuaria. O custo total do projeto foi de R$ 3.000.000,00.

Após 3 meses, não foi registrada nenhuma outra reclamação. Porém, observando os relatórios, viram que a máquina estava desligada há 2 meses. Ao serem consultados, nem gerentes, nem supervisores sabiam o que estava acontecendo. Foram então até a linha de produção para saber se os operários tinham alguma resposta.

O que segue abaixo é um resumo do diálogo:

Operário: Fomos nós que desligamos a máquina sim.
Engenheiro: Mas por qual motivo?
Operário: Aquilo atrapalhava demais o nosso serviço. Toda hora a esteira parava para alguma caixa ser retirada e isso atrasava a todos.
Engenheiro: Então como vocês fizeram? Pois não temos mais reclamações.
Operário: Nós resolvemos do nosso jeito.
Engenheiro: Que seria...?
Operário: Fizemos uma vaquinha entre todos. Juntamos R$ 150,00, compramos um ventilador daqueles mais fortes um pouco que esses de casa e colocamos na perto do final da esteira. Quando vem uma caixa vazia...
Fonte | Invenções inúteis: isso que dá ver problema onde não tem

Antes de tentar resolver, tire o peso e mude o olhar

Eu tinha 9 anos quando ouvi essa história que abriu minha mente para um ponto importante: a ânsia em solucionar questões críticas na nossa vida só atrapalha o nosso raciocínio, nos tira do foco, reduz as chances de sucesso e, por consequência, nos deixa exaustos.

Levamos muito a sério alguns problemas simples,imaginando pois que precisam de soluções de igual tamanho à nossa alucinação, igual aquele cara da empresa que sempre quer fazer uma reunião para decisões que poderiam ser resolvidas em apenas alguns minutos ao telefone. Parece que precisamos desse exagero para mostrarmos que estamos trabalhando ou, fora da empresa, para mostrarmos que estamos vivendo algo importante.

Não importa o quão ruim que seja o problema, toda situação, por pior que pareça, sempre tem pelo menos dois lados ou dois tamanhos. Pessoas que enxergam nuances, detalhes, são as que obtêm sucesso na vida. Enxergam diamantes em carvões, conquistas mesmo nas derrotas, problemas simples onde existem grandes problemas.

Até quando você vai exagerar o tamanho de seus dramas e ficar remoendo as situações ao invés de procurar causas e simplificar as soluções?

Suas micro soluções inusitadas...

Agora gostaria de ouvir dos leitores PapodeHomem quais micro soluções vocês já usaram para problemas que se inicialmente foram apresentados como grandiosos, seja numa empresa ou em relacionamentos, com questões materiais ou humanas, tanto faz.


publicado em 14 de Maio de 2010, 15:59
1630bc2e09ae39ecb94a0ecc671dc474?s=130

Abner Almeida

Abner Almeida é aluno de computação da UFF. Co-proprietário e fotógrafo do www.gironasbaladas.com.br, gosta mesmo é da boa vida de solteiro, montanha, cachoeira e festa. Twitter: @abneralmeida.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: