Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

O que ninguém conta sobre trabalhar de casa

Trabalhar de casa é o sonho de muita gente, mas antes de mergulhar nisso, é melhor conhecer as armadilhas das quais ninguém fala

Demorei muitos anos da minha vida para conseguir fazer tudo o que eu preciso a partir de um escritório que montei em minha casa.

Tudo parecia lindo e pronto, mas como sempre, a vida tem daquelas verdades que ninguém espalha. Durante este último ano me encontrei esbarrando em diversos problemas que jamais imaginei. Sempre me considerei naturalmente organizado e com disciplina o suficiente para produzir no conforto do lar, mas olha, não é bem assim.

Os pontos que seguem são minha percepção pessoal, obviamente podendo variar para cada indivíduo, modelo de trabalho, tarefas que precisam executar e estilo de vida adotado.

Você vai se tornar escravo das atividades de casa

É isso mesmo, não tem para onde fugir. Mesmo dividindo a arrumação geral da casa com minha namorada, acabo tendo muito mais tarefas da casa para fazer. O simples fato de estar presente em casa quando o outro membro da relação não está, já te deixa propenso a este tipo de tarefa. A cama do quarto está desfeita, sapatos espalhados pela sala, copos espalhados pela casa. Tudo isso acaba se tornando atividade de quem está mais tempo dentro de casa. É completamente compreensível.

O problema acontece quando as atividades caseiras acabam tomando tempo demais. Você acorda e começa a arrumar uma coisa aqui, outra ali, e quando se deu conta já passou o dia inteiro aparando arestas. É muito importante saber o que, e quando arrumar.

Tenha uma organização de tarefas para que sua vida em casa não acabe prejudicando seu trabalho.

Sua casa é um antro de distrações

Por essa eu não esperava. Sempre acreditei que trabalhando em casa teria mais tranquilidade e calma para produzir. Achava que o fato de não existirem colaboradores ao meu redor transformaria minha vida num modelo ideal de produtividade.

Inocência minha.

Como não tenho ninguém vigiando e controlando meus resultados, é muito fácil ceder a estímulos externos. Meus videogames estão na sala, minha cama no quarto do outro lado do corredor. Minha geladeira está esperando com coisas para serem comidas e fazer um cafezinho é a desculpa perfeita para deixar o trabalho de lado e ficar algum tempo parado.

Também estamos propensos a receber visitas no meio do dia, já que todos sabem que estamos em casa sempre. A qualquer hora podemos ir até a padaria rapidinho, passar no shopping para ver alguma coisa e sentar com um livro no sofá, só para esperar a motivação aparecer.

Para evitar esse tipo de coisa, siga aquele nosso papo de estabelecer rotina e cumpra com rigor.

O mundo acha que você não faz nada o dia todo

Este ponto é apenas um alerta, para não ser pego de surpresa.

Uma coisa bem difícil de mudar é a percepção externa sobre seu trabalho. Ficar em casa gera a impressão de que você não faz nada, que está ocioso o dia inteiro. Até acostumar-se com este estigma e aprender a transcender alguns comentários, você acaba se irritando um pouco.

Primeiro porque você não sai vestido de terno caro, não é visto pela cidade dentro do seu carro importado e, por não ter um escritório com porta de vidro e nome na mesa, ninguém dá a mínima para o que você está fazendo.

Você se torna menos importante.

Se você está fora das métricas sociais, tecnicamente é um vagabundo. O segredo é não se apegar muito e saber como relevar esse tipo de coisa. Normalmente vão te perguntar “Trabalha de casa? E dá pra ganhar dinheiro assim?”.

Não tem muita saída, o jeito é ignorar os comentários e seguir trabalhando.

Você vai acabar se isolando

Os dias passam, seus contatos se tornam janelas do Facebook, ligações do Skype e uma interminável lista de emails. Você sai cada vez menos de casa e pessoas acabam ficando de lado. No cotidiano tradicional, almoçamos com amigos, interagimos com colegas de trabalho e batemos aquele papo com o pessoal do escritório quando vamos buscar água na copa. Num cenário de home office a coisa muda bastante.

O silêncio e a calma são vantagens importantes de não trabalhar num escritório lotado, mas se não tomarmos cuidado podemos nos isolar e perder contato com pessoas que nos importamos e oportunidades cruciais para nosso negócio.

Tente marcar um almoço por semana com amigos, chamar o pessoal do antigo trabalho para tomar um café e manter-se atualizado das coisas. Convide pessoas que compartilham da sua linha de trabalho para conversas e troca de experiências.

É importante manter as conexões sociais crescendo e atualizar-se das coisas que acontecem fora da bolha caseira.

Num ambiente com muitas pessoas, informações sobre tendências, futuros eventos e oportunidades aparecem numa velocidade assustadora. Não se acomode com o isolamento, ele pode ser tão bom quanto ruim.

Às vezes o melhor é sair de casa

Existem dias que não dá para trabalhar de casa. Não sei explicar exatamente o que acontece, mas a monotonia parece que grita aos ouvidos. Precisamos ouvir gente conversando, carros passando e sentir que estamos envoltos por pessoas fazendo coisas ao nosso redor. É ai que cafés e espaço de coworking se tornam uma excelente opção para variar o ambiente. 

Quando isso acontecer, não ache que existe algo errado. Apenas temos essa necessidade clara de socialização que pode variar de um para outro, mas que certamente surge em algum momento.

Você vai comer muito

Este sintoma apareceu para mim logo nas primeiras semanas.

Começava a trabalhar e sentia uma necessidade de comer algo. Não era fome, apenas vontade de mastigar algo na frente do computador. No começo fui deixando, mas em pouco tempo já precisava comprar uma barra de chocolate e pacotes de salgadinho para sentar na frente do computador e trabalhar.

Como me preocupo com a saúde e forma física, pude perceber o impulso e trabalhar para mudar, mas ainda hoje tem dias que paro o que estou fazendo para comprar alguma guloseima e mastigar. Não se deixe levar por isso, ou pode ganhar alguns bons quilos facilmente.

O mesmo serve para o exagero com refrigerantes e bebidas cafeinadas. Sempre queremos algo para nos acompanhar e matar o leve tédio cotidiano. Sem algum nível de consciência e um pouco de disciplina é bem fácil perder a linha e acabar viciado em algo extremamente prejudicial.

Estes são apenas alguns dos diversos problemas que encontramos ao migrar do ambiente de trabalho comum para um local mais confortável.

Sabemos que nem tudo é ruim. Ao trabalhar de casa não precisamos fingir que estamos produzindo, nosso tempo fazendo coisas que realmente importam acaba sendo bem maior e muito dos gastos que envolvem trabalhar fora são eliminados da equação.

O que faz toda diferença é entender que seu escritório de casa deve ser tratado como um escritório normal, mantendo uma disciplina para não bagunçar sua rotina e estabelecendo horários para conseguir concluir tudo o que precisa.

Muita gente imagina que tudo é simples e fácil, mas a verdade é que nem todo mundo consegue se adaptar a este cenário.

Compartilhe conosco sua história de home office.


publicado em 19 de Janeiro de 2015, 17:29
12596172 10153389055960906 1551523976 n

Alberto Brandão

É analista de sistemas, estudante de física e escritor colunista do Papo de Homem. Escreve sobre tudo o que acha interessante no Mnenyie, e também produz uma newsletter semanal, a Caos (Con)textual, com textos exclusivos e curadoria de conteúdo. Ficaria honrado em ser seu amigo no Facebook e conversar com você por email.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura