O sucesso tardio e o "nunca é tarde para aprender"

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

Sabe máxima de pessoas que não fazem curso de línguas porque estão velhas demais para aprender? A escola ensina informações consideradas básicas e sob um modelo de larga escala. Forma grupos grandes de pessoas ao redor do mundo e em etapas. Com sete anos, está na hora de aprender a tabuada. Com 12, as escolas literárias. E assim por diante.

Isso não quer dizer, em nenhuma medida, que há uma idade certa para adquirir qualquer tipo de conhecimento, desde simples regras de um joguinho passa-tempo até a arte de pintar quadros ou correr uma fucking maratona.

Eu comecei a ler livros, efetivamente, bem tarde.

Comecei a ler muito tarde, quase tarde demais pra contar pra vocês o que vou contar. Eu não li nenhum livro na época de colégio, não sentei o rabo pra folhear nenhuma das obras obrigatórias pros vestibulares. Nada. Livro era um porre, coisa de velho, Machado de Assis, cara chato. Pra ajudar, a cultura brasileira deixava a desejar – diante dos meus olhos de menino – e eu gostava mesmo era dos filmes de Hollywood, das aventuras dos X-Men nas histórias em quadrinhos, dos caminhos dos lutadores do Street Fighter no fliperama do boteco perto de casa.
Meu primeiro livro lido mesmo, de fato, na vontade da pegada, foi o 1984. Eu comprei esse livro na livraria porque eu gostava muito, lá pros idos de 2004, da banda Incubus. Nesse ano, eles lançaram um disco chamado A crow left of the murder, que tinha uma canção melosa chamada “Talk shows on Mute”. Essa música tinha um clipe que mostrava um programa de televisão feito e apresentado por pessoas com cabeça de animais. Lendo sobre o disco, sobre a manda e sobre essa música, descobri que todo o vídeo fazia referência ao livro A Revolução dos Bichos, do escritor inglês George Orwell.

Nada a ver com escola, com qualquer tipo de curso, sob qualquer regimento professoral. Era só uma vontade de conhecer. Com a leitura, veio a vontade de escrever e contar minhas próprias histórias e explicar como eu via o mundo.

Esse pessoal aqui de baixo fez o mesmo e, inclusive, obteve um sucesso descomunal. O cara que escreveu Coração das Trevas (que serviu de base para o filme Apocalypse Now), o homem que ganhou o Oscar pelo Rocky - Um Lutador, a criadora da série Harry Potter e gente que nem mexe com livros. Vincent Van Gogh, o boxeador que nunca foi derrotado, o dono do LinkedIn, o senhor que começou a correr corridas de longas distâncias com 89 anos.

Aqui embaixo, traduzimos um infográfico bem bacana da trajetória desses vencedores tardios, que mostra bem o caminho de aprender tarde e a chegada ao sucesso.

aprender(1)
Nota do editor: infográfico traduzido da publicação "Late Bloomers – Late In Life Success", do site Funders and Founders, com autorização da ilustradora Anastasia Borko.


publicado em 10 de Setembro de 2014, 06:00
13350456 1045223532179521 7682935491994185264 o

Jader Pires

É escritor e colunista do Papo de Homem. Escreve, a cada quinze dias, a coluna Do Amor. Tem dois livros publicados, o livro Do Amor e o Ela Prefere as Uvas Verdes, além de escrever histórias de verdade no Cartas de Amor, em que ele escreve um conto exclusivo pra você.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: