A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Quando uma torcida renova nossa esperança no futebol | Mais que um jogo #1

Liverpool e Borussia Dortmund unem as torcidas para entoar a canção "You'll never walk alone" e depois protagonizam uma partida histórica

Há alguns meses, nós publicamos por aqui um lista de 15 times europeus para torcedores de primeira viagem. Se você ainda não leu, leia, mas já vai aqui um spoiler daqueles.

Essa lista, publicada por nós em setembro de 2015, assim como qualquer outra pode ser questionada, mas a verdade é que em sua essência ela permanece super atual. Até porque, um dos critérios para defini-la foi a história e a tradição dos clubes. E isso, amigo, não se constrói de uma hora pra outra. Mas se reforça.

A prova de que nosso autor de obra solitária estava certo foi dada na semana passada quando o primeiro e o segundo colocados da lista se enfrentaram e protagonizaram um dos momentos mais bonitos do futebol na temporada.

Esse esporte que, para nós brasileiros, costumava ser sinônimo de alegrias – mas que hoje flerta com a definição mais fiel de decepção – anda precisando de momentos como este.

Em Liverpool, mais precisamente no estádio Anfield Road, o time da casa recebeu o alemão Borussia Dortmund para a partida de volta das quartas de final da Liga Europa – a segunda divisão da Champions League, uma espécie de Copa Sulamericana dos europeus.

A partida, repleta de contextos históricos, marcava o reencontro do treinador Jürgen Klopp, atualmente no Liverpool, com o seu ex-clube do lado de sua nova torcida. E apesar de ainda se tratar de uma trajetória curta no time inglês, já dá pra perceber quão amável esse profissional pode se tornar para os fãs das equipes por onde ele passa.

Mas o elo do treinador não era o único entre as duas equipes. Liverpool e Borussia compartilham algo muito maior e mais impressionante do que o alemão de 48 anos. Eles compartilham "You'll never walk alone".

A música criada para um musical da Broadway em 1945 é uma espécie de hino extra-oficial do time da terra dos Beatles.

Antes de todas as partidas do time, os torcedores entoam a canção que já embalou vitórias históricas da equipe como o último título da Champions League, vencido pelo time em 2005 numa virada histórica contra o Milan. Após chegar ao intervalo da partida perdendo por 3 a 0, a torcida não abandonou o time e começou a cantar a canção.

Seja lá qual seja o motivo que você queira acreditar, o Liverpool encontrou forças para empatar a partida e vencer nos pênaltis.

Link Youtube

E depois dessa ocasião outras centenas de vezes a música foi entoada, até que chegamos no fatídico 14 de abril.

Por vias tortas de tempos remotos onde a internet ainda não existia, a canção foi se espalhando pelo mundo e, assim como em Liverpool, se tornou muito comum entre torcidas de times como o Celtics, da Escócia, o St. Paulis e o Bayer Leverkusen, da Alemanha. Até que a melodia caiu na boca dos torcedores do Borussia Dortmund na temporada de 1992-1993.

Desde então, tem sido cada vez mais comum momentos em que torcidas de clubes rivais se unem para roubar o protagonismo da partida do gramado para as arquibancadas e entoarem a canção juntas. Foi exatamente o que aconteceu no jogo de ida das quartas-de-final da Liga Europa, na Alemanha, e voltou a se repetir na partida de volta, desta vez na Inglaterra.

Link Youtube

A cordialidade e o tom amistoso entre torcidas rivais numa partida tão decisiva prevaleceu antes, durante e até depois da decisão. Chegando ao ponto de um torcedor alemão, publicar uma nota no jornal de Liverpool desejando boa sorte ao time inglês na caminhada rumo ao título da Liga Europa.

Mas talvez você não esteja plenamente convencido de que esse momento era digno de nota. Acontece que, depois desse canto, ambos os torcedores foram coroados com uma das melhores partidas que já tivemos em 2016.

Depois de um empate na primeira partida por 1 a 1, esperava-se que o Liverpool tivesse certa facilidade de desbancar os alemães e voltar a disputar a semifinal da competição. Mas não foi bem assim.

O Borussia abriu 2 a 0 no primeiro tempo, fora de casa, e exigiu muito mais da equipe inglesa do que se imaginava. E o segundo tempo merece todos os créditos.

Voltando do intervalo, a equipe inglesa diminuiu a vantagem logo aos 3 minutos, mas viu o time alemão resistir e voltar a ampliar para 3 a 1. Então,  o time inglês, ao lado de sua torcida reuniu forças e conseguiu protagonizar uma virada histórica daquelas com direito a gol de cabeça aos 45 minutos do segundo tempo. Resultado final: 4 a 3 para o Liverpool, classificado para a semifinal da competição e uma daquelas partidas em que os narradores costumam dizer que valeria a pena sair, comprar outro ingresso e voltar pra assistir.

Mais do que isso.

A sucessão de fatos no Anfield vem para recuperar a nossa fé, renovar nossas esperanças e impulsionar novas paixões que um dia serão as responsáveis pela manutenção da popularidade desse esporte. Precisamos de mais momentos como o protagonizado na Inglaterra na última quinta-feira. Momentos onde o esporte é mais que um jogo.

* * *

A 'Mais que um Jogo' é uma série nova do PdH que depende da sua colaboração. Nossa intenção é reunir boas histórias que permeiam ou se aproximam do esporte, mas que o extrapolam e oferecem doses de esperança e lições de superação para todos nós. Foram anos batendo cabeça para encontrar um fórmula perfeita. Meses fazendo tentativas e testes do que rodava melhor. Semanas matutando o que finalmente poderíamos fazer. E uma única noite para decidir que agora é a hora. Chegamos a conclusão que nesse caso, assim como em quase todos os outros, ou a gente coloca as coisas pra funcionar mesmo sem ter certeza de que vai dar certo ou simplesmente as coisas nunca acontecem.

Porém, para que as coisas funcionem bem, mais do que nunca estamos interessados em ouvir o que vocês têm a dizer. O que vocês têm de diferente para nos contar. Precisamos disso. E eu como caseiro e curandeiro desse nosso novo filhote, estarei mais atento do que nunca às críticas e sugestões que vierem.

Por isso cada caixa de comentários dessa série é também uma caixa de sugestões e o meu email breno@papodehomem.com.br está mais aberto do que nunca para recebê-los.


publicado em 19 de Abril de 2016, 15:58
Breno franca jpg

Breno França

Editor do PapodeHomem, é formado em jornalismo pela ECA-USP onde administrou a Jornalismo Júnior, organizou campeonatos da ECAtlética e presidiu o JUCA. Siga ele no Facebook e comente Brenão.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura