Como anda sua relação com o dinheiro? Suas respostas vão nos ajudar a fazer um especial sobre educação financeira. [PESQUISA]

Simplificando a porra toda: a vida em 4 pilares

Tenho uma teoria. Por mais simplória que possa parecer, ela tem me ajudado a definir prioridades e enxergar problemas em vários aspectos do meu dia a dia.

Basicamente, esta teoria enxerga a nossa vida como sendo uma casinha sustentada por 4 pilares:

1. Relações interpessoais: Este pilar diz respeito a como é a sua interação e inserção no seu circulo social. Aqui entram os seus amigos, sua família, seus amores, namoradas, conhecidos etc. É importante, porque afinal “nenhum homem é uma ilha isolada”;

2. Trabalho: Você tem um trabalho que te dá tesão pra levantar toda manhã ou é apenas algo pra preencher 8 horas no seu dia? Você tem um trabalho que ocupa a sua mente ou um que não exige muito intelecto? Coloco o trabalho num pilar separado, porque acredito que trabalhar dá gás pra tocar muitos outros projetos na sua vida. Embora nem todos tenham o trabalho que gostariam, estar desempregado gera muito mais angústias e frustrações;

3. Saúde: Tudo bem que você não é nenhum modelo de ‘geração saúde’ e tem preguiça até de pegar o controle remoto em cima da TV. Mas você pode ao menos caminhar, se locomover e fazer algum esforço? Pronto, então mãos à obra;

4. Dinheiro: O mais controverso dos pilares. Que os “bicho-grilo” não me escutem, mas acho que ter dinheiro é importante, sim. Não precisa ser muito dinheiro, apenas o básico pra poder sair com os amigos ou a namorada, ir ao dentista de vez em quando e conseguir chegar ao trabalho no horário. O dinheiro seria aquele que ajudaria a manter os outros pilares mais bem cuidados.

Trabalho, família, relacionamento estável, amigos... ele tem tudo

Dito isso, chegamos ao momento de enxergar como está a nossa "casa".

Se estiver com os quatro pilares, ótimo.

Agora percebam que se nosso teto for sustentado por apenas 3 pilares, ele ainda se sustenta, mesmo que com mais dificuldade.

Vamos aos exemplos:


  • A pessoa não tem saúde (ou saúde frágil), mas tem amigos/família, dinheiro e um trabalho? Stephen Hawking é um exemplo disso. Ele tem uma saúde muito frágil, mas tem amigos, ganha um bom dinheiro e tem um trabalho onde é reconhecido mundialmente;

  • Faltam amigos, mas temos dinheiro, trabalho e saúde? É só uma questão de mudança de atitude e rapidamente se consegue fazer novas amizades. Um exemplo seria o Tony Stark, personagem do Homem de Ferro;

  • Não temos dinheiro, mas temos trabalho, família/amigos e saúde? Forrest Gump mostrou que trabalhar duro e viver bem com as pessoas à sua volta traz o dinheiro como consequência.

  • O garoto não tem trabalho, mas tem família/amigos, dinheiro e saúde? É o caso de muitos herdeiros por aí. Pode parecer uma vida fútil, mas que segue bem do mesmo jeito. O Riquinho parece ser um ótimo exemplo disso.

Os maiores problemas começam quando duas ou mais pilastras estão desabando ou já não existem mais. Nessa hora é preciso fazer uma reforma completa na "casa", ver o que está faltando e correr atrás do prejuízo. Afinal, a casa tá caindo!


  • O cidadão não tem saúde e nem dinheiro, mas tem uma família pra sustentar e um trabalho - que pelo visto não remunera tão bem. Nesse caso a situação está complicada, mas ainda dá pra tentar resolver, indo a um posto de saúde pública ou procurando um emprego melhor – ou se alistar no exército e passar por uma experiência científica, no caso do Capitão America;

  • A pessoa não tem amigos, família, nem saúde, mas tem um trabalho e dinheiro. Isso me parece um trabalhador compulsivo que ganha um bom dinheiro, mas não tem com quem gastar e perde a saúde de tanto trabalhar. Que tal o Sr. Burns para este exemplo?;

  • E um caso extremo, onde o cara não tem saúde, dinheiro e nem trabalho, mas tem a família e os amigos. Nesse caso se encaixam os muito doentes, que não conseguem nem procurar emprego.

Dá pra montar infinitas combinações, mas de qualquer forma, gosto de reduzir as análises a estes quatro aspectos, pois assim fica mais fácil identificar pontos fracos e melhorias.

Felizmente, sou um cidadão de 4 pilares – lógico que nem todas as minhas pilastras têm a mesma altura ou a mesma força, mas estão lá – e posso levar uma vida bacana.

E você, está com a sua casa bem estruturada? Como você mede a qualidade da sua experiência de vida?


publicado em 16 de Janeiro de 2013, 07:12
Fd1af135a54533dd4c276d7f8f35b1d6?s=130

Marcos Bauch

Nascido na Bahia, criado pelo mundo e, atualmente, candango. Burocrata ambiental além de protótipo de atleta. Tem como meta conhecer o mundo inteiro e escreve de vez em quando no seu blog, o De muletas pelo mundo.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura