Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Sobre animais e comida vencida

Tenho 22 anos, estou namorando há cinco anos, porém, ultimamente tenho saído com amigos(escondido).

Pergunta: "Tenho 22 anos, estou namorando há cinco anos, porém, ultimamente tenho
saído com amigos(escondido), pois no inicio do nosso namoro nos acostumamos
só querendo viver um para o outro e esquecemos da vida, dos amigos, da
liberdade, enfim, na altura do campeonato em que estamos mudar tá dificil.

Então saio com amigos e eu sempre fui um cara muito timido para saber chegar em mulher.
Não foi o que aconteceu, após ler dicas e outras coisas, com ajuda de um pouco da bebida, eu estava no bar, encarei uma menina e saquei que ela percebeu.

Depois de um certo tempo, ela saiu com a amiga em direção ao banheiro, eu chamei um amigo e fomo ficar proximo ao banheiro. Quando ela saiu eu peguei na mão dela e me apresentei, conversamos um pouco e a convidei para ir para nossa mesa, ela disse que estava com uns amigos e que era para eu depois lá.

Fui para a minha mesa e ela para a dela... depois de uns 30 minutos aproximadamente eu e meu amigo fomos até elas. Eu fiquei conversando, consegui o número, ela disse que podia ligar para nos conhecermos melhor... ela namorou há nove anos e tava terminada a 5 meses.

Não sei se na conversa falei algo de errado, acho que o álcool me complicou um pouco. Antes de ir embora eu coloquei minha mão no cabelo dela, no pescoço atras da orelha, aquela tipica pegada que a mulher gosta, ela sorriu... ela disse que não ia me beijar pq tinha me conhecido naquele momento, e era pra ligar.

A história foi essa, isto aconteceu no dia 01/02/2008 e hoje são 03/02/2008. Minhas dúvidas são:

- Eu devo ligar ou será que ela meio que me descartou?

- Ela têm 26 anos e disse pra mim.. vc deve ter 23, 24 anos né? aí eu disse: é 23. Isso pode me complicar já que tenho 22?

- Como devo agir ao ligar? Já que tenho um relacionamento.

- Recentemente sinto prazer apenas beijando outras mulheres, quero sexo com outras mulheres, minha namorada percebeu que não procuro mais tanto ela como antes e que meus beijos não são a mesma coisas, mas levo no papo.

Acho que o costume, a familia, os anos, e o meu pensamento de nunca encontrar uma mulher que me queira, igual a minha namorada.

Para mim ela é um exemplo de mulher, não bebe, não fuma, têm uma criação e costumes
que se diferem de muitas mulheres de hoje em dia.

O que fazer? o que pensar? Isso me tortura há uns meses."

- Paulo

Caro Paulo,

como estou ausente da coluna há um bom tempo, vou começar a reentrada de leve, num clima mais compatível com o carnavalesco.

casal
Digam oi ao Paulo e sua namorada. Belo casal.

Única Informação Relevante de todo o cenário do bar

"ela disse que não ia me beijar pq tinha me conhecido naquele momento, e era pra ligar."

Suas Perguntas

"- Eu devo ligar ou será que ela meio que me descartou?"

Óbvio que você deve ligar, seu energúmeno. Ela expressou vontade de beijá-lo e deixou a instrução clara que você fizesse contato futuramente.

Mulheres são seres cheios de travas e preocupações com  a própria imagem. No meio de amigos, ainda mais numa roda de bar, costumam se segurar um pouco, faz parte da dança se valorizar.

Carregue isso contigo por toda a vida: o bote deve ser dado num local a dois sem presenças inconvenientes.

"- Ela têm 26 anos e disse pra mim.. vc deve ter 23, 24 anos né? aí eu disse: é 23. Isso pode me complicar já que tenho 22?"

Francamente, o que diabos passou pela sua cabeça para aumentar apenas 1 ano? Se vai mentir, que falasse logo 30.

Ok, não precisa responder. Sei que você é apenas um namorado típico que vive no cabresto, está louco para terminar, morre de medo e sai por aí como um covarde paquerando pela noite e ao primeiro sinal de receptividade, faz tudo que considerar necessário para faturar a garota, ter uma noite de sexo livre, refrescante e voltar para a oficial, com a qual não sente prazer nem ao menos no beijo.

"- Como devo agir ao ligar? Já que tenho um relacionamento."

O seu "relacionamento" hoje nada mais é que um monte de comida podre, cuja data de validade está vencida há uns dois meses. Vocês vivem do sonho de voltarem a ser como eram quando a embalagem saiu do supermercado, mas o tempo não tem tecla rewind.

Isso é muito comum. Ambos se tornam urubus, se habituam a comer alimento podre, fedido. Se vêem carne fresca, descartam acreditando que a carne fresca nunca vai ter o mesmo sabor da conhecida e amiga carne podre, que vem te nutrindo há tanto tempo. Patético.

Largue dessa idéia absurdamente covarde de que ELA é especial e não há nenhuma outra mulher como ela. Existem muitas outras mulheres no mundo e grande parte delas é bem melhor do que sua namorada. Usar as qualidades de sua (ex)amada como muleta para segurar o relacionamento é uma demonstração de medo e falta de confiança em si próprio.

Dessa maneira você realmente não vai conseguir atrair nada que preste.

Passo-a-passo pra sair dessa situação

1. Pegue seu telefone, ligue para sua namorada e marque de encontrá-la em algum lugar. Chegando lá, sente-se e diga que os dois estão cansados de saber que o amor acabou, diga também que vocês já viveram tudo que tinham pra viver.

Se ela for do tipo dócil-chorona, dê um beijinho na testa e diga tchau. Se ela for explosiva e começar a te estapear, você pode usar requintes de crueldade e completar com:

- Tá vendo? Eu sabia, não aguento mais isso. Adeus!

2. Após essa introdução, pegue o celular, ligue para sua nova amiga do bar e fale que está na hora de conhecê-la melhor. Marquem um local, hora e divirta-se.

Bem-vindo de volta à vida.

Dr. Love, consultor amoroso e cachorrão na horas vagas

ps romântico: não se iluda, ela provavelmente também já está te chifrando.


publicado em 03 de Fevereiro de 2008, 15:14
92e8d9697a8dd2faf3d0bc4f9d3a08fc?s=130

Dr. Love

Consultor amoroso e cachorrão nas horas vagas.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura