6 dicas de estilo para jovens

Os primeiros passos para quem começa a engatinhar na composição do próprio estilo.

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Asm selo png
  • 130x50 jpg

Olá, amigo!

Hoje escrevo para você, um jovem que está farto de não ser levado a sério pelas pessoas mais velhas. Que está em busca do primeiro emprego ou que já encontrou uma oportunidade, mas que ainda não se sente confortável para deixar sua camiseta do AC/DC para trás.

Aqui estendo uma mão amiga, para te ajudar nessa fase confusa e promissora. E lembre-se: a mudança é uma porta que só pode ser aberta por dentro.

Tudo pronto? Então vamos:

A arte da sutileza

Sei o que você deve estar pensando: "nada mais fácil do que se comunicar com alguém quando a frase já vem pronta estampada na camiseta, né?"

Não.

Vamos imaginar que você é aquele jovem revoltz, aspirante a engenheiro que não deixou a profissão matar aquela faisca rock'n roll interior.

Depois de muito Tinder pra lá, Happn pra cá, finalmente o encontro saiu. Você não quer perder tempo e quanto mais rápida for a leitura da pessoa a seu respeito, mais rápida será a identificação.

Pensando nisso você pega tudo que mais tem de rock no seu armário e veste sem dó:

Seguindo a tradução literal dos seus anseios você apenas representou alguém estereotipado. Muita informação de uma vez nos remete alguém inseguro com a necessidade de auto afirmação o tempo todo. Além de parecer caricato.

Não é o que queremos, certo?

Então olhemos com atenção a alternativa abaixo:

Favor desconsiderar a pose do rapaz.

Nesta segunda opção, nosso jovem amigo escolheu sabiamente cores escuras, fazendo com que a atenção se volte para sua face.

A camiseta estampada continua lá, porém agora de maneira discreta. Atenção para o leve desbotamento da peça (lê-se: tem muita história para contar)

Para fechar, a bota tem um papel estratégico crucial, uma vez que deixa toda a imagem mais madura, afastando qualquer pegada adolescente.

Tá sacando?

Partimos para a segunda dica.

Não dê tanta atenção à moda. Atenha-se a peças atemporais.

Conceitualmente, moda é o uso passageiro que rege, de acordo com o gosto do momento, a maneira de viver, de vestir etc. No vestuário, ela traduz uma resposta social a determinada situação e tempo vivido. Por exemplo, cores sóbrias em tempos escassos, saias curtas na ampliação do poder feminino ou roupas militares para homenagear soldados pós-guerra.

A vantagem de acompanhar a moda é que ela lhe trará uma sensação de atualidade na sua imagem e sabemos que estar em dia (ou à frente) com o que de mais novo acontece no mundo é algo desejado na Era da Informação.

Porém, seguir sucessões de tendências sem se preocupar se faz sentido ou não com o seu discurso fará com que você pareça sem personalidade, correndo o risco de se tornar apenas um reflexo da sociedade e não um agente ativo dela. Além de que você, jovem durango, pode não conseguir acompanhar financeiramente esse movimento.

Sendo assim, aconselho fortemente o investimento em peças clássicas, atemporais.

Clássicos são itens que permanecem elegantes ao longo do tempo. Em outras palavras, eles não refletem a época em que foram feitos, mas sim transcendem suas Eras, com pequenos ajustes e adaptações.

Em suma, eles nunca te desapontarão.

Exemplos: camiseta sem estampa, camisa, jeans sem lavagem, terno, calça /bermuda de sarja marinho, bege, marrom ou preta.

Use acessórios

Ao utilizar peças clássicas você estará jogando no certo, o que te trará uma certa tranquilidade.

Porém, não se engane, tudo que é bom também tem seu lado ruim. Limitar nossas opções, facilita a inserção em ambientes que não dominamos, mas também nos enquadram em modelos pré-estabelecidos, podendo tornar nossa imagem tediosa demais.

Dica: combine acessórios com sua vestimenta basicona e passe sua informação de maneira sutil.

Exemplos:

Adeus às roupas largas!

Essa sua mania de usar roupas maiores do que você começou há muitos e muitos anos atrás, quando sua mãe comprava roupas um pouco maiores pra garantir que as peças fossem usadas por mais tempo.

Você, sem mesmo notar, foi acostumando com a ideia e durante a pré-adolescência via até uma certa qualidade nesta característica. Afinal, roupa mais larga era estar “nem aí” e estar nem aí era “rebelde” e todo carinha de 15 anos queria ser um incompreendido com seu moletom largo.

O que ninguém te contou é que roupas largas "deformam" as proporções do seu corpo. E você, que poderia estar mostrando todo seu potencial em forma de físico harmônico, está aí  dentro de um saco de batatas.

Então, como escolher peças que tenham caimento ideal?

Em princípio você deve atentar sobre sobras ou falta de pano. Digo, se conseguir puxar por volta de 2 ou 3 centímetros de tecido é um bom sinal. Mais ou menos do que isso, pode ser alerta que a peça esta apertada ou folgada demais.

Não me estenderei muito neste questão, pois há tempos escrevi um compiladão salva-vidas que fala justamente sobre o caimento de vários itens (camiseta, pólo, bermuda, calça, etc.). Vale a consulta.

Trocas inteligentes: mais botas, menos tênis. Mais camisas, menos camisetas

Rambo usa botas. Wolverine usa botas. Jack Burton usa botas. Onde tem testosterona explodindo, tem alguém de botas.

Brincadeiras a parte, um bom par de botas tem o poder de deixar a sua imagem mais adulta e é o que buscamos desde o princípio com este artigo, certo?

Como existem vários estilos de botas, você pode estar um pouco confuso sobre qual escolher. Indico então este compiladão que fiz sobre o tema tempos atrás.

Agora, falando sobre camisas. Diferente da camiseta, já emitem um ar mais sério. Então, é uma possibilidade acrescentar cores e estampas diferentes sem parecer meninão demais.

Não esqueça do cabelo

Normalmente, quando se é jovem, caimos na cilada de imitar cabelos de personalidades da nossa idade ou de simplesmente não ligar muito e acabamos por aparentar infantis ou preguiçosos demais.

Exemplo:

Cabelo de homem x cabelo mamãe arrumou

Minha dica é olhar atores famosos em premiações e verá cabelos formais, sem parecer tiozinho. Este contraste de um cabelo mais adulto, com a sua lata jovem deixará sua imagem mais atual e adulta.

E chegamos ao fim de mais um artigo.

Ficou alguma dúvida ou quer sugerir uma pauta? Nos vemos nos comentários!

Já conhece a Conto Figueira?

Para quem é novo por aqui, a Conto é minha marca masculina, junto com Bruno Passos. Lançamos 12 novos modelos de camisas e ficamos extremamente orgulhosos com o resultado.

Todas as camisas da Conto são feitas de tecido 100% algodão, modelagem slim fit (ajustada, porém não colada ao corpo) e são compostas por, no mínimo, duas combinações de tecidos. Além de motivos estéticos, criamos para poder oferecer uma peça única, dando a você a garantia de comprar uma marca que realmente se preocupa com o que está nos detalhes, e principalmente, além dos olhos.

Toda a coleção pode ser vista aqui.

Abaixo, o Instagram da marca:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Conto Figueira (@contofigueira) on

 


publicado em 26 de Outubro de 2018, 11:45
Camilapdh jpg

Camila Simielli

Proprietária da marca masculina Conto Figueira.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: