Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Aspirante a desenhista: como aprender a desenhar certo com linhas tortas

Quando digo que sou quadrinhista muita gente já pensa que desenho e produzo tudo nas minhas HQs. Porém, apesar de ter uma boa noção de desenho, decidi me dedicar aos roteiros e a edição de quadrinhos. Mesmo assim, muita gente me pergunta: como faço para virar um desenhista profissional?

A resposta não poderia ser mais óbvia: desenhe 24 horas por dia e estude muito. Como toda atividade que exige desenvolvimento de técnica, o desenhista precisa praticar constantemente e conhecer diversas formas de representação gráfica de uma ideia, cena ou figura.

Os irmãos Fabio Moon e Gabriel Bá, desenhando sempre que podem

Muitos colegas costumam dizer que, para desenhar, precisamos dominar apenas duas coisas, anatomia e perspectiva. Por outro lado, acho isso uma grande bobagem, pois é extremamente importante desenvolver luz e sombra, estilo, pintura, artefinalização, anamorfose, tratamento de imagem, colorização e uma série de outras técnicas.

Existem desenhistas que não precisam fazer nenhum tipo de esboço e desenham direto com o mesmo material que utilizam para finalizar. No entanto, a maioria faz esboço a lápis, desenha, finaliza (com tinta ou digitalmente) e, se for o caso, colore usando alguma técnica (ecoline, aquarela, guache, digital e outras).

Sempre que alguém me mostra seu trabalho e pede algum tipo de ajuda, a primeira coisa que costumo fazer é indicar uma boa escola de desenho. Aqui em São Paulo é fácil, temos a Quanta Academia (também em Porto Alegre), a Impacto (tem unidade no Rio), a HQ em Foco e um monte de outras instituições bacanas. Para quem mora em outros estados é só dar uma pesquisada na internet ou perguntar para desenhistas renomados de sua região.

A melhor forma de avaliar se a escola tem tudo o que você precisa para desenvolver seu traço é vendo se atende as suas necessidades. Por exemplo, se você tem facilidade com traços mais cartunescos e o professor forçar a mão pra você imitar o Alex Ross, tem algum problema aí. Porém, muitos desenhistas querem desenhar super-heróis, mas seu traço fica muito melhor em outro estilo. Quem estiver te ensinando deve estar preocupado em lhe passar as técnicas básicas e te ajudar a ser mais você mesmo em seus desenhos.

Outra coisa importante é comprar (e ler) muitos livros de arte e técnica para ilustração. Uma rápida pesquisa em livrarias virtuais te dará um ótimo leque de opções, mas na dúvida sempre dê uma folheada antes de levar. Existem excelentes obras para os mais diversos estilos e gostos, basta ter paciência de procurar. Gosto muito dos trabalhos de Bruce Blitz e Andrew Loomis.

Robert Crumb fazendo o que faz de melhor: desenhando pra cacete e impactando o leitor

De todas as dicas, as duas mais importantes para um desenhista iniciante são:

1. Desenhe tudo e o tempo todo. Não deixe de desenhar em todos os seus momentos de folga, pois grandes nomes como Robert Crumb e Paulo Caruso não param de fazer isso nem para tomar banho. Outra coisa importante é tentar sempre desenhar coisas que esteja vendo ou imaginando.

Para isso, carregue sempre caderno (não precisa ser Moleskine, se você ainda não sabe desenhar só vai queimar papel de qualidade) e caneta. Observar uma cena e aprender a representar aquela imagem no papel é a alma do negócio.

2. Mostre para alguém com senso crítico. Não adianta nada receber toneladas de elogios dos seus familiares e amigos. Isso não te faz um desenhista melhor, apesar de massagear seu ego. Encontre alguém de confiança com um senso crítico apurado e bons conhecimentos na área para que essa pessoa te ajude a corrigir seus erros e vícios.

As principais vítimas desse tipo de colaboração são editores de quadrinhos (só eu sei quantas vezes isso acontece por dia) e outros desenhistas mais experientes. Toda vez que alguém reclamar de algo no seu trabalho encare isso como um desafio e tente superar essa limitação.

“Procure sentir a cena e exagerar o acontecimento. Isso te ajuda a aprender a compor uma cena com mais impacto. Por exemplo: se for um cara abrindo um pote de azeitona faça parecer o fim do mundo”
Preciosa dica do desenhista Elias Silveira.

Para ilustrar a matéria, peguei exemplos de esboço, lápis, finalização e colorização de Ditadura No Ar, uma história em quadrinhos que faço em conjunto com o desenhista Abel.

Os esboços que prometi lá em cima. Dá pra ver que trabalho é o que não falta

Espero ter ajudado vocês a entender um pouco sobre qual é o caminho das pedras para se tornar um bom desenhista.


publicado em 05 de Outubro de 2011, 05:08
34248f1a3b00d4b22532491a9efa8a31?s=130

Raphael Fernandes

Formado em história na USP, decidiu jogar seu diploma fora trabalhando como editor da revista MAD. Atualmente, também é analista de mídias sociais, roteirista e redator. Perde mais tempo lendo e escrevendo do que contando dinheiro. Twitter: @raphafernandes. Blog: www.contraversao.com.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura