Carim Feres, 44, procurador do Estado de SP e comediante stand-up

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

"Ele é ator, advogado, ventríloquo, procurador do Estado e faz stand-up. Por que você não o entrevista para o PapodeHomem?".

Isabella Ianelli sugeriu e em poucas horas estava conversando ao telefone com Carim Feres, de quem consegui não apenas uma entrevista, mas um belo desconto para qualquer leitor PdH ver seu show de stand-up Vários em um, em São Paulo, fora os dois pares de ingressos que vamos sortear. ;-)

Qual sua história? O que fazia antes de ser procurador do Estado, ator e comediante?

Ingressei na faculdade de Direito com 16 anos e saí formado, em 1987, com 21. No ano seguinte, com 22 anos, fui aprovado em concurso pra Procurador do Município de SP, e logo em seguida (89) pra Procurador do Estado de SP.

Comecei a fazer teatro amador, sem qualquer pretensão profissional, mas alguns anos depois (93/94) um amigo que trabalhava em produtora de TV começou a me chamar pra fazer testes de comerciais. Aí comecei a fazer comerciais. Em 1996, o Multishow fez o 1º Prêmio Multishow do Bom Humor Brasileiro. Eu entrei fazendo um monte de bobagens de improviso e fui pra semifinal. Em 98, entrei de novo e peguei 3º lugar com um personagem caipira.

Carim, advogado e procurador

Aí eu já tinha começado a fazer teatro profissional e já estava fazendo shows em bares, misturando stand-up (que ninguém conhecida naquela época) com piadas e personagens. E hoje to escrevendo tudo isso aqui...

Quando se decidiu pela seriedade do Direito e quando nasceu o humor?

Eu tinha feito estágio na Procuradoria (86/87) e decidi que era isso que eu queria ser e o que eu queria fazer na vida. Só que depois, e aos poucos, o teatro foi me conquistando e o humor emergindo em mim, na minha vida, no meu jeito de ser.

Difícil foi assumir que advogado formado, aprovado em concurso publico, poderia também ter uma profissão tão diferente na forma, como a de humorista, pois uma é extremamente formal, e a outra, contrariamente, anárquica.

O que você faz atualmente? No que você é realmente bom?

Hoje faço as 2 coisas concomitantemente. O Direito continua presente há mais de 20 anos e o humor está resplandecendo e me tomando. Dentro do humor sou muito bom no improviso. Improvisar e brincar com as diferente plateias do meu show. Além disso, estou na procuradoria desde 1989 e já passei por alguns setores. Fiquei 5 anos na área de tributos, depois mudei para a judicial e agora estou na área consultiva.

Conte um pouco do seu cotidiano.

Meu cotidiano é muito corrido. Trabalho como advogado publico (procurador) durante o dia e à noite me divido entre apresentações, bolar textos novos e a parte mais prazerosa hoje em dia, que é brincar de monstro com meu filho.

Carim, ventríloquo

Uma história ou uma cena que fez todo o esforço valer a pena.

A plateia ao final aplaudindo e muitos dizendo que eu sou muito bom e engraçado e que deveria estar na TV, além de vários até duvidando que eu tenho 2 profissões – coisa que ocorre dos 2 lados, pois quem me conhece advogado publico duvida que eu seja bom comediante, e vice-versa.

Mas deixo claro que não faço TV por opção... deles que não me contratam! ;-)

Alguma história maluca que rolou durante um show...

Uma vez, em 97, logo que eu comecei a fazer show em bar, estava no Finnegan's Pub. Quando acabei uma piada, um bebaço levantou da mesa e veio me abraçar, já que o palco era baixinho, ficando de costas para o público e me tampando, e eu fiquei tentando falar pra ele que eu estava contando piadas profissionalmente e que ele estava atrapalhando (de modo suave).

Uma outra vez eu tinha feito uma paródia de uma música do rei Roberto Carlos (aquela do calhambeque), que chamei de "Minha perna". Entrei no palco de cadeira de rodas, pois tinha um trecho que falava "Eu com uma perna e 3 braços, tibirubirubirá...". A plateia não sabia se ria ou chorava. Ficaram atônitos...

No "Show do Tom", da Record, fui com outro nome, falso (Miro Sallum), de peruca, óculos e dentadura. E fingi o tempo todo que era esse cara, o Miro...

O que acontece nessas profissões que ninguém imagina?

O que ninguém imagina é que sérios juízes, promotores, advogados, procuradores podem sorrir, pois todos temos uma vida privada.

Agora o que ninguém imagina mesmo é que um advogado público (procurador) possa ter uma vida dupla e à noite fazer todos os outros rirem. Acho que aí também tem muito preconceito, pois as pessoas imaginam que ninguém pode fazer bem 2 coisas diferentes.

Carim, comediante stand-up

Stand-up funciona no papel? Experimente conosco.

Acho que stand-up não funciona no papel como no palco, mas posso dizer que abro meu show fazendo brincadeiras com o meu nome, pois ninguém acerta. Quando eu vou em portaria de prédio, o porteiro pergunta meu nome e...

Eu: "Carim"
Ele: "Carinho"
Eu: "Não, Carim"
Ele: "Carlinhos?"
Eu: "Não, não, Caaaariiim"
Ele: "Ah, tá, Ary?"
Eu: "É, isso, Ary. Fala que o Ary tá aqui embaixo"

Eu também gosto de brincar com palavras e expressões. A palavra "masturbação", por exemplo, me incomoda. Se é uma pessoa só, devia ser "masturbaé"...

Quais suas referências de humor?

Eu adorava Monty Python, Mel Brooks (as séries e os filmes), Groucho Marx e Seinfeld, que descobri e logo fiquei fanático... No Brasil, o Chico e o Jô.

Quais os erros de outros profissionais que deixam você com vergonha?

Errar é humano, mas corrupção e desonestidade não podem ser admitidas em nenhuma das 2 profissões, aliás, em nenhuma outra qualquer. Acho que esse é o maior erro do ser humano, que decide roubar a verdade.

Como concilia trabalho e relacionamento?

Olha, faço stand-up há mais de 10 anos e falo muito de relacionamento entre homem e mulher, pois é muito difícil. Os homem são mais racionais e as mulheres são mais passionais. Não acho que possamos generalizar e dizer que é melhor trabalhar com mulher ou longe delas... Tem pessoas que são mais agradáveis e outras menos.

Agora, estar perto e tentar argumentar, seja no trabalho, em casa, em negócios, com uma mulher que está sofrendo muito por conta da marvarda TPM... é fogo. Mas eu achei a solução, que conto no show. Acho que realmente meu maio desafio, atualmente, é conseguir conciliar o dia-a-dia de advogado público (procurador) com a profissão de humorista e com um casamento de quase 10 anos com a mesma mulher e um filho pequeno. A verdade é que... durmo pouco. ;-)

Link YouTube | Carim, ator: "Eu decidi que não vou beber mais..."

O que você diria para quem deseja ser procurador do Estado ou comediante stand-up?

Na vida não há mágica. Ninguém tem uma varinha mágica pra se tornar isso ou aquilo... As pessoas tem que avaliar o que realmente querem, e se querem isso do fundo do coração. Se essa resposta for encontrada e estiver em paz, nada é impossível.

Se alguém quer ser advogado, juiz, promotor, procurador, deve se aproximar dessas respectivas profissões e se esforçar para alcançar seus objetivos. E, principalmente, estudar muito para ser aprovado no concurso. Se quiser ser um comediante, o caminho não é muito diferente, pois o público vai julgá-lo e se não for bom não será aprovado. Acredito realmente que nada é impossível, basta querer (e isso muitas vezes não acontece).

O que você demorou muito tempo pra aprender e agora pode resumir em poucas palavras?

Que a vida passa rápido e que você tem de seguir, sempre, o seu coração.

Quais são os benefícios que seu trabalho como um todo gera para as pessoas próximas e para a sociedade?

Como advogado público, lido com vários tipos de assuntos, orientando a administração publica no sentido do melhor caminho.

Como comediante e humorista, trago o riso, o bem-estar, a alegria, pra quem vai me assistir.

Você deixaria a advocacia pra seguir a carreira artística?

Enquanto der pra conciliar, vamos levando, mas se aparecer uma oportunidade de levar mais humor, pra bastante gente, em projeto que se adeque aos meus anseios e for impossível conciliar as 2 atividades, deveremos ser bem criteriosos, mas o futuro... é mistério.

Quais seus outros interesses, práticas e habilidades?

Adorava filosofia, propriamente dita, mas quando fiz pos graduação na USP em 92/93 as aulas noturnas de filosofia me traumatizaram (textos estrangeiros, aquela coisa). Quanto a outras filosofias, todas me interessam. Aliás, a quantidade de assuntos que me interessa é infinita. Ainda mais agora que posso fazer piada sobre qualquer coisa...

Adoro andar de bicicleta e pretendo em breve ir pedalando para o trabalho. Amo viajar e ter contato com pessoas dos mais variados tipos... O mar e cachoeiras me renovam; sempre tento ir até eles. Adoro ler e ver filmes. Faço um pouco de malabares, toco um pouco de gaita, já pintei um pouco (abstrato) seguindo os passos do meu pai que era advogado e pintor...

Sou católico de nascimento e formação (Colégio São Luís), mas frequentei centro espírita. Acredito que todas as religiões são boas e tem pontos comuns, mas a melhor religião é ser bom e fazer o bem.

Link YouTube

Sorteio de ingressos e desconto aos leitores PapodeHomem

Curtiram a entrevista? Agora vem o bônus.

Para concorrer a dois pares de ingressos para o show Vários em um, do Carim, basta deixar um comentário abaixo sobre qualquer tema da entrevista. Se você não ganhar, é só chegar na bilheteria e dizer que foi indicado pelo PapodeHomem para comprar o ingresso com desconto, por R$ 10,00 (custa R$ 40,00).

Os pares de ingressos e o desconto valem apenas para os shows dos dias 23 e 30 de julho, as próximas duas sextas.

Vamos sortear os dois pares amanhã (via random.org) entre todos que deixarem um comentário. Se não for de São Paulo, informe no comentário que não quer entrar no sorteio, ok?

Vários em um - Carim Feres
Quando: Sextas, às 21h30, até 20 de agosto (sendo que o desconto e os ingressos sorteados no PdH valem apenas para os dias 23 e 30 de julho)
Onde:Teatro Juca Chaves - R. João Cachoeira, 899 – dentro do Extra Itaim Bibi – 2º piso.
Estacionamento gratuito (apresente o ingresso do teatro).

publicado em 22 de Julho de 2010, 11:34
Gustavo gitti julho 2015 200

Gustavo Gitti

Professor de TaKeTiNa, colunista da revista Vida Simples, autor do antigo Não2Não1 e coordenador do lugar. Interessado na transformação pelo ritmo e pelo silêncio. No Twitter, no Instagram e no Facebook. Seu site: www.gustavogitti.com


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: