Estamos procurando um autor para escrever sobre saúde do homem no PdH! Topa? Mais informações aqui.

Catupiry: uma catástrofe gastronômica

Quem me conhece ou me vê na rua sabe que eu sou um grande entusiasta da gastronomia. Gordo, se você preferir. Demorei alguns anos para me conformar que ficaria assim, e outros para me definir como gordo, tudo por um simples motivo: eu gosto muito de comida.

Explicações dadas, vamos em frente. Estou aqui para prestar um favor à humanidade, pois certos fatos precisam ser ditos sem pudor ou medo de represálias, por isso, enfatizo: que porcaria é o catupiry? Queijo ele não é, afinal, a Wikipédia, também conhecida como Deusa das Grandes Verdades Virtuais, o define assim:

"Muito embora o Catupiry não seja um tipo de queijo, devido a sua popularidade a palavra passou a ser sinônimo de um queijo muito cremoso, usado como complemento em variadas receitas da culinária brasileira, além de pizzas e pastéis."

Trocando em miúdos, o catupiry não tem a consistência exata de um queijo, e ao mesmo tempo é muito cremoso para ser considerado um requeijão, logo: que porra é essa?

Lembro-me de que na minha infância catupiry era apenas um charme, um gracejo dos meus pais quando vinha gente fresca em casa, daqueles que não gostavam de comer nada. Eles sempre pediam pizza de catupiry para agradar o paladar dos sem graça.

Os tempos se passaram, e aconteceu um fenômeno que eu costumo chamar de "epidemia do catupiry". O queijo fake passou a figurar em todos os lugares possíveis e imaginários, seja melecando o cheese burger que você pede, saindo de uma linguiça que você assa (sim, cena deplorável), nas bordas das pizzas de todo o Brasil ou estufando o famigerado cachorro quente da tia do calçadão de Osasco, que foi decaindo à medida que o catupiry foi se popularizando.

Sendo assim, encabeço uma campanha que julgo necessária, em nome de todos os verdadeiros apreciadores de junk food deste planeta, e peço para que ecoem este mantra em todo muquifo, carrinho, lanchonete onde você coma de hoje em diante:

"Tia, troca minha parte de catupiry por bacon, ok?"

publicado em 18 de Maio de 2011, 10:27
44f5cf4080a03fec6787de04ee5f9055?s=130

Luiz Gallo

Filho do seu Walter e da dona Leni, Luiz Gallo (@luiz_gallo) é jornalista, roteirista, odeia pés e não dispensa uma cerveja gelada num barzinho de esquina. Aqui no PdH dispara textos na série "Entre umas e outras".


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura