Como ter sua cota de adrenalina mesmo na cidade

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Vivara130x50 jpg
  • Selo dorel jpg

adrenalina
a.dre.na.li.na
sf (ad-renal+inaFarm Produto oficinal cujo nome confundiu-se com o da adrenina, princípio ativo e hormônio principal elaborado pela parte medular das glândulas suprarrenais e libertado pela excitação das fibras nervosas simpáticas pós-ganglionares. É um potente vasoconstritor e hipertensor; adnefrina, epinefrina.

Normalmente, existem duas formas de reagir ao medo: nos retraímos ou sentimos uma explosão de euforia. Em perigo, sabemos que tudo pode acabar a qualquer instante. O cérebro dispara. A pressão arterial começa a subir, a cabeça fica pesada, o corpo aumenta a irrigação dos músculos e reduz a da pele. O calafrio surge. Os músculos se contraem chegando a tremer, enquanto seus pulmões se expandem e uma quantidade maior de ar começa a entrar.

Uma das tarefas mais difíceis que enfrentamos em qualquer discussão moderna é definir o que nos faz humanos. O que nos torna diferente de todos os outros animais que andam na superfície dessa esfera azulada?

No livro You are not a Gadget, do Jaron Lanier, ele aborda a tendência moderna de simplificar as coisas e usa, como exemplo, o arquivo de áudio MIDI, criado no fim dos anos 70 como a representação da música para computadores.

O MIDI foi feito como um modelo simplificado, removendo máximo de detalhes apenas para representar músicas de forma bem rasa. Seguindo este raciocínio Lanier, chega aos dias de hoje, momento em que os seres humanos estão criando seus avatares online, simplificando suas personalidades assim como antes fizemos com algo tão profundo, a música. Uma música vai muito além das notas que o tecladinho da churrascaria consegue representar. Um humano é muito mais do que fotos e palavras num perfil online conseguem expressar.

Simplificar as coisas gera um grande problema a longo prazo. Tudo o que desenvolvemos e usamos influencia em nosso comportamento. Se para nos representar precisamos apenas de um perfil online, começamos a nos comportar de uma forma que apenas preencha aquelas lacunas disponíveis em nosso perfil.

Passamos a viver experiências apenas para mostrar aos outros que as estamos vivemos. Fazemos só o suficiente para preencher as lacunas que os espaços online fornecem para nós.

Mas essa redução de comportamento vêm de todos os lados. Os humanos estão cada vez mais domesticados. Seguimos caminhos predefinidos, subimos escadas segurando em corrimão, não passamos para o outro lado da linha amarela pintada no chão. Nos misturamos aos milhares outros seres padronizados numa marcha cega.

Uma nação de ovelhas seguindo cegamente umas as outras através de barreiras imaginárias. As empresas também nos empurram para essa padronização. Se esforçam para anular todo traço de singularidade que resta em nós. Código de vestimenta, vocabulário específico, títulos e cargos que nada significam.

A sociedade moderna sufoca o animal raivoso e descontrolado que existe dentro de cada um de nós.

Mas algumas pessoas optam por seguir um caminho diferente. Utilizar o espaço público de uma forma não usual, com aplicações engenhosas para saciar nossa sede de aventura.

Algumas pessoas fazem a experiência de ser uma pessoa, ser incrível.

Link YouTube

Esporte é uma excelente forma de expressão pessoal. Descobrir o prazer de liberar adrenalina fazendo coisas que nunca antes imaginou. Sair do obvio e se encontrar em algo que ninguém mais consegue explicar, mas para você, naquele momento, isso pouco importa.

Escolhi alguns dos esportes mais emocionantes que consigo listar, todos eles são bem acessíveis para serem iniciados, então escolha o seu e vá fundo.

1. Agressive Inline

Link YouTube

Andar de patins é algo bem comum. Basta ir aos parques para ver a quantidade de pessoas que existem patinando tranquilamente pelas pistas. Mas não é disso que estamos falando por aqui. Estamos falando de usar partes das cidades de forma diferente, com um propósito que não foi pensado em sua construção.

Agressive Inline é como chamamos o modelo de patinar utilizando a cidade como playground. Deslizar sobre um corrimão, saltar sobre escadas e utilizar a engenhosa arquitetura da cidade a seu favor. Tudo isso utilizando botas com rodinhas. Comprei meu patins faz 4 dias, e confesso que tem sido uma das experiências mais divertidas já vivi.

2. Bike Trial

Link YouTube

A bicicleta é algo que todos usam de forma simplificada, raramente vemos pessoas pedalando fora das pistas ou calçadas. Acho que estamos subutilizando todo potencial que aquelas duas rodas podem proporcionar.

O Bike Trial é a modalidade que utiliza bicicletas para fazer manobras e interagir com obstáculos. Não consigo pensar em nada tão emocionante de se ver. Cada movimento precisamente executado é de perder o fôlego. É realmente incrível o que dá pra fazer com essas bicicletas.

3. Longboard Downhill

Link YouTube

Longboards estão dominando a cidade. Todos os parques podemos ver gente remando com suas grandes pranchas. Eu acho esse modelo um pouco monótono, mas da pra melhorar a utilização desse Skate. Se você encontrar uma boa ladeira e utilizar a proteção certa, o Longboard pode se transformar numa aventura e tanto.

Esse belíssimo documentário sobre Longboard Downhill mostra as ruas do nosso país como um cenário fantástico para a prática. Vale muito a pena.

4. Airsoft

Link YouTube

Eu adoro filmes de guerra. É muito empolgante o momento em que os soldados se equipam, montam suas estratégias e vão para o campo de batalha cumprir sua missão. Por muitos anos pensei em ser da polícia tática, até me dar conta que na vida real, a pessoas morrem de verdade.

Então encontrei no Airsoft a chance de alcançar toda essa energia e tensão de uma guerra, com a segurança de ser apenas uma simulação com bolinhas de plástico. O Movimento do Airsoft ainda é bem novo no Brasil. Por ter equipamentos um pouco caros, acaba limitando um pouco o acesso, mas grandes eventos alugam os equipamentos para quem quiser participar.

Os modelos de jogos podem variar bastante, desde eventos enorme, com carros, tanques e tudo que é equipamentos até um modelo competitivo mais ágil e dinâmico. Com a proteção devida, só sobram emoção e adrenalina.

5. Escalada Indoor

Link YouTube

Posso dizer que escalada indoor é uma das atividades mais subestimadas que conheço. É um dos esportes que só entendemos quando praticamos.

O prazer de escalar as paredes através de vias complicadas, tentando aquele movimento que exige a combinação exata de força e agilidade, que as vezes demora meses para vir, mas quando vêm, acompanha um inigualável sentimento de realização.

Escalada indoor cresceu de tamanho no Brasil e existem inúmeras escolas, com preços bem acessíveis. Além de ser um excelente esporte pela emoção da prática, é uma das atividades físicas que mais trabalham o corpo.

6. Paraquedismo

Link YouTube

Eu não ia colocar paraquedismo na minha lista. Talvez porque considero um esporte em que as pessoas falam muito, mas pouca gente tem coragem de praticar. Entretanto, enquanto escrevia esse texto fiz uma enquete com meus amigos do facebook, perguntando qual esporte mais gostariam de praticar, e a resposta foi unanime.

Paraquedismo.

Saltar de paraquedas uma vez é uma experiência segura e relativamente barata. Na primeira vez você salta com um instrutor, apenas para sentir aquela emoção de sair de um avião no ar e ver o chão chegando cada vez mais rápido.

Com os cursos necessários você desenvolve a habilidade de saltar sozinho e controlar melhor seu voo. Depois disso existem muitos caminhos. Nas respostas que obtive em minha pesquisa, alguns inclinavam para o Base Jump, nada menos do que saltar de paraquedas partindo de uma base estática, como um prédio alto ou até mesmo um balão. Outros foram mais longe e queriam mesmo voar de Flying Suit.

Acho que a vontade de voar é realmente presente nos sonhos de todos nós humanos.

E você? Como foge da rotina? Como descarrega todo essa energia que a vida moderna acumula, presa dentro de você?


publicado em 22 de Dezembro de 2013, 22:00
12596172 10153389055960906 1551523976 n

Alberto Brandão

É analista de sistemas, estudante de física e escritor colunista do Papo de Homem. Escreve sobre tudo o que acha interessante no Mnenyie, e também produz uma newsletter semanal, a Caos (Con)textual, com textos exclusivos e curadoria de conteúdo. Ficaria honrado em ser seu amigo no Facebook e conversar com você por email.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: