Eu faço geladeiras

  • Nossos atuais Mecenas:
  • Selo dorel jpg
  • Vivara130x50 jpg

"Eu faço geladeiras"

Pois é, quando alguém nos pergunta o que fazemos, é isso que a gente responde. Não somos formados em design de produto, não somos engenheiros, mas decidimos usar nossa paixão por eletrodomésticos antigos para criar uma fábrica de geladeiras com design retrô: Adélia Works.

Eu e o Tiago nos conhecemos há 5 anos, na faculdade. Ele estudava publicidade e eu, relações públicas, mas nunca chegamos a imaginar que um dia fabricaríamos nossas próprias geladeiras, artesanais, nacionais e com design próprio. Quando começamos a namorar, ficou evidente que não éramos um casal convencional, colecionando geladeiras antigas, roubando telhas velhas da caçamba de lixo e comprando câmeras analógicas em brechós, entre muitas outras tranqueiras, digo, relíquias.

Criamos o Vá de Vintage, um blog que fala do universo retrô & vintage. O blog foi ficando conhecido e, com isso, decidimos ganhar dinheiro de alguma forma. Descobri o dom do Tiago para reformar eletrodomésticos antigos, especialmente geladeiras, e aí surgiu a brilhante ideia:

“Vamos vender isso aí no blog!”

Vendemos pouco, bem pouco... foi triste. O valor justo pelo enorme trabalho que tínhamos era alto, e cobrar pouco não compensava. Então desencanamos de vender e continuamos o blog por diversão, retratando o nosso universo e tudo o que víamos por aí. Nesse meio tempo, o Tiago criou na cabeça dele a Adélia Works e, 2 anos depois, o projeto já existia no papel. Começamos a criar os moldes, protótipos e a fábrica. Finalmente, em julho de 2012, lançamos a marca e começamos a vender.

Bom, e o que a gente faz? Fabricamos geladeiras novas, do zero, 100% nacionais e artesanais. São 3 modelos, todos conversíveis em adega, com várias opções de cores, acabamento e detalhes, tudo bem tailor-made.

Nosso conceito, além do vintage, que está no design das peças e na durabilidade dos produtos, é o Slow Product. Esse movimento surgiu com o movimento Slow Food, focado somente em alimentos, e com o tempo acabou se espalhando pelo mundo, e para outros segmentos de produtos. Pensar slow é pensar em utilizar insumos locais, mão de obra e produção sustentável em toda a cadeia do negócio.

Nossos fornecedores estão em um raio de 20km da fábrica, o que diminui a emissão de CO2. Trabalhamos com materiais reciclados e recicláveis, como alumínio, aço inox, poliestireno, cobre, entre outros. Fora o nosso estilo de vida e cotidiano de trabalho: nossa fábrica é um galpão montado a partir de móveis, ferramentas e utensílios usados e reformados (nossa casa também).

O Slow Product talvez seja uma ótima resposta à sociedade para um crescimento e consumo desmedido. É uma forma de valorizar o Lowtech, a manufatura e especialmente as pessoas que colocam tanto esforço e paixão em criações das mais diversas áreas artesanais.

Estamos bem no comecinho. Ainda é surreal ver que esse sonho maluco finalmente virou realidade e é difícil encarar os olhares inconformados quando dizemos que “fazemos geladeiras”. Recebemos muitos e-mails pedindo orçamentos de reformas de geladeiras, balanças, relógios, tudo o que se pode imaginar. Também tem gente que não acredita que nós fabricamos as geladeiras, mas quando a pessoa vai na fábrica, fica encantada.

Não foi fácil chegar até aqui e apostar todas as fichas no projeto, mas realmente é muito gratificante trabalhar com uma coisa que você gosta, que não é forçada, e também é divertido por ser algo tão peculiar e “esquisito”. Agora somos um pouco designers, engenheiros, administradores, marqueteiros, recepcionistas, vendedores, tudo isso. Em breve queremos ampliar não só a equipe, mas também a linha de produtos e possibilidades de personalização.

Queremos manter viva a nostalgia da casa das nossas avós e o senso de consumo sustentável. Pegue tudo isso e misture com de cheiro de poeira: é a Adélia Works! Que, ironicamente, remete ao passado, mas pensa em um futuro melhor.

Mas como fazemos geladeiras?

Por Tiago de Carli



Na época em que o VDV começou a ficar famoso, os pedidos de reforma aumentaram e em pouco tempo estávamos reformando refrigeradores. Foi nesta fase que tive uma imersão estética e mecânica daquelas peças maravilhosas, cheias de detalhes, robustez, brilho, cromados e funcionalidade. Rapidamente comecei a conhecer o funcionamento e estudar mais sobre princípios de refrigeração para poder oferecer um serviço de qualidade.  Em dois anos já acumulava 20 refrigeradores antigos e outros tantos de clientes.


Para reformar uma geladeira eu a desmontava completamente, dos parafusos ao compressor e catalogava as peças para não me perder na hora da montagem. Analisava tudo para descobrir se precisava ou não restaurar algum componente seja mecânico ou de acabamento. A carcaça da geladeira ficava “pelada” ou só na lataria. Depois de muito trabalho com lixadeira e esmeril a lataria volta a ser lisa e crua, sem pintura e no metal virgem. Após este processo, possíveis ajustes eram feitos, funilaria com soldas e massa plástica eram bastante comuns pois nem toda geladeira passou 60 anos com todo o cuidado que mereciam.


Do desmonte ao preparo chega a hora da pintura e depois de longos 4 a 6 dias de etapas de pintura já podemos montar a geladeira novamente. No meio tempo da pintura todas as peças que foram desmontadas e precisavam de uma atenção especial eram trabalhadas.
A parte mecânica com seus devidos ajustes e substituições era posicionada e depois da montagem fazíamos tudo aquilo ganhar vida de novo!
Para criar uma geladeira Adélia works hoje o processo não é muito diferente, a maior mudança foi não termos surpresas durante a montagem. Já conhecemos cada milímetro das Adélias e isso facilita bastante nosso trabalho, mas confesso que sinto saudade de descobrir as particularidades de cada refrigerador.

Ao mesmo tempo em que era muito prazeroso lidar com aquelas peças, existia um outro lado que me incomodava demais e serviu como um “empurrão” na hora de decidir criar a Adélia works.




Alguns clientes são melhores que outros. Essa foi a triste conclusão que cheguei quando mesmo depois de uma reforma, alguns poucos clientes ainda criavam problemas por não estarem satisfeitos com certos detalhes que fugiam ao meu controle.


Vidros, acrílico, esmaltados, plásticos e outros materiais são muito difíceis, se não impossíveis de serem reformados, tudo dependia do estado de cada peça, algumas geladeiras eram feitas em 3 semanas enquanto outras tomavam dois meses.


Toda essa falta de controle dos detalhes e a minha vontade de criar algo 100% confiável e controlável me incentivaram a começar a pensar em uma linha de produtos própria, porém que respeitasse tudo que havia visto até o momento.


Tirando toda parte burocrática de lado, pois demorou mais de um ano para ser concluída, a Adélia já estava sendo moldada ao menos em seus produtos;


Busquei parceiros, fornecedores, materiais especiais e produzi  alguns protótipos de nossa primeira geladeira, a Aurora 300L. Após 6 meses de desenvolvimento para o primeiro modelo, o segundo e terceiro foram desenvolvidos em 3 meses simultaneamente. Aprendi na marra e ainda estou aprendendo a produzir refrigeradores da melhor maneira possível, é um exercício mental!




Desenvolvemos cada geladeira em bancadas de madeira rústica e castigadas pelo tempo. Furamos, posicionamos, montamos cada peça e depois tudo é desmontado para ser pintado. Após a pintura a segunda montagem é feita novamente e finalmente a parte mecânica é instalada. Depois deste processo toda geladeira passa o mesmo tempo de produção em testes de funcionamento, algo que gira em torno de duas semanas. As etiquetas com o nome do cliente e a assinatura de quem produziu são instaladas, e a peça é embalada. Cada peça é feita para seu dono com suas especificações, nosso estoque é bem pequeno (mais para atender eventos e ficar no showroom).
Um aspecto que sou fascinado nesse negócio é poder construir algo do zero, que funcione e tenha mais que uma utilidade estética para as pessoas. Juntar o compressor, fazer algumas soldas, puxar o vácuo, adicionar gás e finalmente ligar o sistema mecânico pela primeira vez é algo que sempre me faz feliz  como criança em noite de natal.

Naquele momento em que a geladeira funciona pela primeira vez sinto que criei meu próprio Frankenstein que de alguma forma esta pulsando, vivo, jogando gás refrigerante pelas entranhas da geladeira e quase como mágica o evaporador começa a gelar e a partir deste momento eu sei que está tudo bem!


publicado em 04 de Outubro de 2012, 21:00
Bdb1facdf0700a50bee4c7ece268475b?s=130

Thabata Guerra

Thabata (com H, por favor) é viciada em cerveja, Instagram, bacon e no cannoli do Seu Antônio, que conheceu indo aos jogos do seu time: Juventus. É ruiva e gosta de tudo que é vintage e vermelho. Junto com seu namorado Tiago (sem H), mantém a empresa Adélia Works, que fabrica geladeiras retrô.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Nossos atuais Mecenas: