A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Facebook atingiu 8 bilhões de visualizações de vídeos por dia, trapaceando

No primeiro trimestre desse ano, 725 dos 1000 vídeos mais vistos (ou 17 bilhões de visualizações) foram 'roubados' das plataformas de seus autores sem autorização

Quem trabalha com produção de conteúdo está mais que cansado de saber da força que tem o Facebook – poderíamos dizer que ele está entre as principais plataformas de divulgação e compartilhamento de material digital.

Por ser um hub de atenção e tempo de bilhões de pessoas e de boa parte dos consumidores de mídia online no mundo, a quantidade de olhos diferentes que pousam sobre sua tela por horas a fio todos os dias é gigante.

Isso significa, pros produtores, a possibilidade de se reinserir no fluxo mental de quem já consome seu conteúdo e de se apresentar a quem ainda não o conhece – especialmente se você investir uma graninha nisso.

Não faz tanto tempo que a rede social implantou o autoplay nos seus vídeos (reparou que, ao rolar a sua timeline por cima de um, ele começa a ser exibido automaticamente?). E aí que, recentemente, o Facebook anunciou que havia alcançado 8 bilhões de visualizações por dia em vídeos postados na plataforma.

Essa marca traria a plataforma para perto do tamanho do YouTube, que é uma ferramenta completamente dedicada a rodar vídeos – não fossem algumas controvérsias. Parece que a rede social está roubando no jogo.

Pra começar que não é muito difícil ser registrado como um viewer pela rede social – basta que 3 segundos de conteúdo rodem em sua tela, mesmo que você nem chegue a ligar o áudio.

Ou seja: você foi um viewer e entrou pra essa conta toda vez que, sim, assistiu a um vídeo postado na rede, mas também quando, distraída pela TV, deixou a tela parada, ocasionalmente, por alguns segundos em um vídeo. Ou quando o irmão chamou pra dar um recado e você abandonou o botão de scroll. Ainda quando foi responder a mensagem privada e parou a timeline em um vídeo.

Além disso, o Facebook é acusado por alguns de roubar conteúdo original pra fazer dinheiro.

O canal SmarterEveryDay fez um vídeo explicativo sobre isso, assim como o pessoal do In a Nutshell, cujo vídeo é de qualidade e tem legendas.

Sabendo de seu alcance de público e permitindo que seus usuários façam upload de vídeos de outros produtores, o Facebook ganha conteúdo de qualidade pra bombar suas páginas cheias de propagandas e ganhar dinheiro. E dificultando o processo legal de reapropriação desse conteúdo, a rede social ganha tempo pra que não só as visualizações cresçam, mas a publicidade embutida na página seja distribuída a mais pessoas e proporcione maior retorno financeiro – para o próprio Facebook.

As chances de que o autor do vídeo nem saiba que isso está acontecendo são enormes.

Mas a história não parou por aí. Matt Pakes, gerente de produtos da rede social, publicou em seu Medium uma carta de esclarecimento quanto ao que foi dito pelos produtores.

Me dei a liberdade de traduzir um trecho chave. Tirem suas próprias conclusões.

“A marca de visualização na curva de tempo assistido para um vídeo de dez minutos será bem diferente do que aquela para um Vine de seis segundos. Já que não há padrões de medição estabelecidos pela indústria, três segundos é um acordo a que chegamos que nos dá uma métrica válida para todos os vídeos no Facebook. Se você ficou em um vídeo por pelo menos três segundos, isso sinaliza pra nós que você não está só dando uma olhada no feed, mas mostrou intenção de assistí-lo.

Entretanto, nós também oferecemos métricas detalhadas e ferramentas que ajudam as páginas a entender melhor como as pessoas respondem ao seu material na rede social. Então, se uma página quer saber exatamente por quanto tempo seus usuários assistem seus vídeos, pode facilmente ver os dados sem ter que se basear somente no número de visualizações.

Finalmente, levamos a questão dos direitos autorais muito a sério. Temos usado o sistema Audible Magic há anos pra prevenir que conteúdo em vídeo não autorizado esteja no Facebook. Também provemos ferramentas para que os donos do conteúdo denunciem possíveis infringimentos de direitos autorais.

Ao passo que conteúdo em vídeo continua a crescer rapidamente no Facebook, estamos explorando outras soluções, desenvolvidas unicamente para nossa plataforma e ecossistema, que ajudem a identificar e lidar com conteúdos potencialmente ilegais.”

Como desativar o autoplay no seu Facebook

Já sabemos como ajudar produtores de conteúdo a recuperarem suas propriedades perdidas nas terras do nunca do Facebook. Agora, importante aprendermos como desabilitar a função do autoplay da nossa timeline – porque não somos obrigados.

É bem simples.

1) Logado na sua conta, localize a opção ‘Configurações’ no canto direito superior da tela.

2) Em ‘Configurações’, clique na seção ‘vídeos’ ao fim do menu à esquerda da tela.

3) Em ‘Reprodução automática de vídeos’, selecione ‘Desativado’. Pronto.

O processo é parecido no celular.

iOS
Android

 


publicado em 19 de Novembro de 2015, 15:46
10710799 10152759290008996 1807417555040828999 n

Marcela Campos

Tão encantada com as possibilidades da vida que tem um pézinho aqui e outro acolá – estuda Jornalismo na Universidade de São Paulo, mas também cursa Saúde Reprodutiva Holística no Justisse College. Compõe a equipe de conteúdo do PapodeHomem, modera uma comunidade de quase dez mil mulheres e não tem preguiça de bater um papo bom.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura