"Imagina na copa" não precisa ser uma expressão ruim

Querer mudar o mundo é papo sério. E se existe uma dica pra esse tipo de situação, é essa: diz logo que é sério. As pessoas podem achar que você está brincando. Ou que endoidou.

Não é vontade que dá e passa, essa coisa de mudar o mundo. É coisa que transforma a vida do sujeito. Cochicha no seu ouvido quando você acorda de manhã. Batuca no seu volante quando você está preso no trânsito. Desvia sua atenção quando seu chefe está te contando algo que você deveria considerar importante. É um eterno Nissim Ourfali na sua cabeça. Você acha que superou, mas a vontade volta, quando você menos espera.

A boa notícia é que você não está sozinho. Mesmo. Faça o exercício: conte para uns amigos o que você anda pensando. Os mais reservados podem até se esquivar de dizer algo na hora, vão só balançar a cabeça. Os mais céticos vão achar que você virou hippie, ou que cansou de ganhar dinheiro, já ficou rico. Mas não importa. Invariavelmente chega o e-mail:

“Cara, eu fiquei pensando naquela parada que você disse...”

Link Vimeo

Foi isso o que aconteceu no caso do Imagina na Copa. Duas amigas começaram a trocar ideia sobre o que poderiam fazer para usar o conhecimento que já tinham e mudar o país pra melhor. “Se a gente não começar a fazer alguma coisa agora, quando vai ser a hora?” “E o povo todo dizendo ‘Imagina na Copa’... A gente precisa imaginar que vai ser bom. E digo mais! A gente precisa fazer parte disso!”

Foi aí que deu o estalo para o projeto: se é pra imaginar, tem que ser coisa boa.

Melhor ainda do que imaginar é fazer. E já tem tanta gente fazendo: são os meninos do “Que Ônibus Passa” adesivando ponto de ônibus em Porto Alegre pra ajudar as pessoas a se encontrarem no transporte público da cidade. É a galera do “Bike Anjo”, que já está em mais de 20 cidades, ensinando as pessoas a andarem de bicicleta, com segurança e respeitando as leis de trânsito. São os cariocas do “Benfeitoria”, uma plataforma de crowdfunding para projetos que provoquem impacto positivo na sociedade.

Inspirado nessa galera que já está virando o jogo pro Brasil, o Imagina na Copa nasceu como uma plataforma para engajar mais jovens em projetos de impacto social, por todo país. A ideia é preparar o país. Não só pra Copa, mas para os próprios brasileiros!

Clique para ver maior

A missão era tão irresistível que a Fernanda Cabral e eu, as duas idealizadoras do projeto, nos demitimos dos nossos empregos para investir nele. O Tiago Pereira e a outra Mariana, a Campanatti, foram logo depois alistados e também fazem parte do time.

Hoje o Imagina na Copa está prospectando recursos para sair do papel da melhor forma possível, através da página Catarse.me/imaginanacopa. Dê um pulo lá, conheça, assista aos vídeos e, se acreditar na ideia, patrocine. Você também pode fazer parte disso.

A gente quer imaginar que, na Copa, o Brasil vai ser melhor ainda.


publicado em 20 de Setembro de 2012, 14:36
File

Mariana Ribeiro

Carioca em roaming nova iorquino. Jornalista de formação, gestora de marca por oportunidade, empreendedora social de propósito. Foi cofundadora do Imagina na Copa, com o qual viajou o Brasil para documentar histórias de jovens que estão transformando o país para melhor. Adora tapioca, cafuné de avó, cervejinha com os amigo, pisar com o pé na terra, o eterno namoro com o Rio de Janeiro, as saudades de São Paulo, abraçar estrangeiros, meia pros dias frios, ventilador pros dias quentes e escrever. Ah, fica mais feliz quando perto do mar.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura