A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

Métodos de depilação corporal para homo sapiens

Dos mais básicos aos mais elaborados, saiba mais sobre cada modo de exterminar os pelos do corpo

Antes uma efetiva proteção contra fatores ambientais, os pelos corporais começaram a cair há cerca de 1,8 milhões de anos, com o surgimento do Homo erectus, grau de evolução que precedeu o Homo sapiens. Essa versão beta de nós mesmos controlava sua temperatura corporal através de um mecanismo biológico muito mais complexo: o suor. O cultivo de pelos, então, passou a ser um instrumento de comunicação do próprio status. Um Facebook neolítico.

Na Grécia Antiga, a barba era tida como símbolo de sabedoria. Em Roma, os meninos raspavam todos os pelos do corpo e ofereciam aos deuses quando atingiam a maturidade – e a barba estava associada à classe política. Os faraós egípcios usavam barbas postiças para se diferenciarem dos demais cidadãos. Para os vikings, a barba era sinal de respeito.

Perseguida pela Igreja Católica, que buscava distanciamento do visual dos judeus ortodoxos, a barba acabou sendo suprimida do visual. Na cultura corporativa do século XX, foi banida quase completamente dos altos escalões, mas voltou com força nos anos 60 e 70, como símbolo da contra-cultura hippie.

Nos dias atuais, o cultivo (ou não) dos pelos corporais continua sendo uma genuína forma de expressão. De hipsters – com suas barbas cheias ou bigodes penteados – a executivos, a forma como a pessoa lida com seus pelos é um importante signo, comunicando muito sobre a pessoa que os ostenta ou não. É a materialização de parte do "seu eu" em folículos pilosos.

Pesquisas e dados apontam que cada vez mais os homens se preocupam com essa questão. Um levantamento feito pela revista Alfa em 2010, que envolveu 5 mil homens através de uma enquete online, apontou que 66% dos homens brasileiros se preocupam em depilar ou aparar os pelos. A rede espanhola de fotodepilação Não+Pêlo, por exemplo, tem 43% da sua clientela composta por homens. Uma pesquisa realizada na Brown University, que contou com a participação de 360 homens com idade entre 18 e 44 anos, chegou à conclusão que 80,9% dos homens entrevistados se depilam – ainda que a maioria dos depilados seja mais jovem.

A depilação corporal ganhou força no começo dos anos 2000, com representantes como David Beckham, Justin Timberlake e Brad Pitt (Tyler Durden descendo a porrada em "Clube da Luta"  com o peito descabelado desconectou de vez a preocupação com a vaidade masculina dos estigmas sociais de virilidade).

clube da luta

Além dos fatores estéticos, para alguns a depilação está associada a uma preocupação maior com a higiene – embora não seja um consenso de que ter menos pelos auxilie na limpeza corporal.  Além disso, há fatores práticos em questão. Atletas como lutadores de wrestling, praticantes de atletismo e nadadores – que precisam de um coeficiente de atrito corporal baixíssimo – são adeptos da pele lisa.

Homens cujas profissões exijam um visual clean ou que briguem contra pelos encravados no rosto podem recorrer à depilação definitiva da barba. Raspar as pernas pode ajudar a prevenir as assaduras que aquela corridinha para manter a forma gera. Até aquela "limpadinha" nos pelos centrais das sobrancelhas (a famosa "monocelha", que Thierry Figueira eternizou na "Malhação" dos anos 90) é considerada uma forma de depilação e pode ser bastante útil.

Existem várias formas de usar a depilação. Separamos algumas das técnicas mais populares que estão por aí.

Pinça

pinca

É a técnica mais "caseira", comumente usada para tirar pelos indesejados das sobrancelhas, orelhas e até nariz (embora seja dolorido). Literalmente consiste em arrancar o mal pela raiz.

Com o auxílio de uma pinça metálica, você deve puxar o pelo até que ele seja removido. O grau de dor pode ser bem elevado. A vantagem da depilação com a pinça é a precisão: você elimina exatamente aquilo que está te incomodando. Porém, é impossível (ou masoquista demais) aplicar a técnica em áreas grandes do corpo.

Usando uma lâmina

lamina

A técnica foi a primeira aplicada pelo homem na remoção dos pelos. O Homo eretus utilizava pedras afiadas para raspar o corpo. O utensílio foi evoluindo para lâminas metálicas e navalhas.

Em 1770, o francês Jean Jacques Perret inventou a navalha dobrável, que dominou o mercado até 1904, quando foi inventada a lâmina de barbear.

É o mais simples de todos os métodos, ainda muito utilizado por homens que não se sentem à vontade para procurar uma clínica especializada.

Resume-se, basicamente, a cortar os pelos bem rente à raiz.

É rápido e barato, mas vai exigir que você repita o procedimento com frequência. Para realizar, ligue a água quente e espere os pelos amolecerem. Utilize um creme de barbear e, então, passe a lâmina em um sentido único, evitando pintas e verrugas.

Pode ser utilizado em qualquer parte do corpo e o grau de dor é quase nulo.

Aparador elétrico

aparador

São como os barbeadores elétricos, mas desenhados para percorrer o corpo inteiro. O preço médio desses aparelhos gira em torno de R$ 100,00. Opte por um que seja resistente à água, que permite que o desmatamento corporal seja feito no banho.

O uso do aparador elétrico é recomendado para grandes áreas do corpo, como o peito e as costas, e não há dor envolvida no processo.

O primeiro barbeador elétrico chegou ao mercado em 1931. O pai da criatura é o americano Jacob Schick, que inventou o aparelho ainda 1918.

Depilação com linha

linha

Também chamada de "depilação egípcia" ou "depilação asiática", essa técnica consiste em arrancar os pelos pela raiz, utilizando uma linha de algodão. O engraçado é que, apesar do nome que ganhou no Brasil, a depilação com linha tem sua origem atribuída a povos que habitavam a região da Índia á 6 mil anos.

Esse tipo de depilação é indicado para quem tem a pele sensível, pois é pouco agressiva (não há risco de inflamação ou cortes). Nos salões, o preço varia entre R$ 10,00 e R$ 100,00, dependendo da área escolhida. Como é um processo doloroso, recomenda-se que o método seja utilizado em partes menores do corpo.

Cremes depilatórios

creme

São facilmente encontrados em supermercados, farmácias e casas de beleza. Como existem várias fórmulas e marcas, é importante fazer um teste de alergia antes. Aplique o produto em uma pequena área do seu corpo e espere por 15 minutos.

Caso não apresente reação alérgica, espalhe o creme depilatório na região desejada e espere agir. Depois de remover os pelos, use água corrente para lavar e desinfete com álcool.

O segredo dos cremes é uma substância que amolece e dissolve a parte externa dos pelos.

O preço médio é de R$ 15,00.

Cera fria e quente

cera

A depilação com cera tem início no Egito Antigo, quando era usado um coquetel de argila, sândalo e mel para retirar os pelos indesejados do corpo. Essa mistureba evoluiu para as ceras que usamos hoje em dia.

A vantagem da cera fria é que pode ser feita em casa. A cera é vendida até em supermercados (os preços vão de R$ 15,00 a R$ 35,00). Basta aplicar o produto na área desejada, esperar agir e (ouch! a parte dolorosa) puxar o papel/pano.

O problema deste método é que, para os homens, é que os pelos mais grossos podem quebrar, diminuindo bastante a eficiência da depilação.

Em geral, a depilação com cera fria dura cerca de 20 dias.

A depilação com cera quente é mais indicada para os homens, pois amolece os pelos mais grossos e expande os poros, sendo assim mais eficiente. Ela também pode ser executada em casa, mas acertar a temperatura ideal da cera pode ser difícil.

Por isso, recomenda-se uma visita a um centro especializado em depilação.

O preço médio para regiões como as costas ou o peitoral é de R$ 30,00. Dura, em geral, 20 dias.

Depilação a laser

laser

A depilação a laser garante a remoção de 90 a 100% dos pelos. Por isso, é chamada por alguns de "depilação definitiva", embora exija manutenção, em média, duas vezes por ano.

A técnica consiste em emitir um raio de luz para o folículo capilar. Quando entra em contato com a melanina, o raio laser esquenta e destrói o esse folículo, inibindo o seu crescimento.  O aparelho LightSheer é o mais popular no Brasil.

Para fazer uma depilação a laser, é preciso ir a uma clínica especializada e passar por uma avaliação. O número de sessões vai variar de acordo com o tom dos seus pelos.

Em média, uma sessão de laser custa R$ 150,00.

IPL

É muito parecida com a depilação a laser. Porém, o tipo de luz utilizado é diferente. A Luz Pulsada Intensa (IPL) é considerada a forma mais moderna de depilação.

Seus resultados são extremamente duradouros e aparecem logo nas primeiras sessões. Para fazer a depilação por IPL, é preciso primeiro aparar os pelos e deixá-los com comprimento de até 3 mm.

O preço médio de uma sessão de fotodepilação gira entre R$ 65,00 e R$ 70,00.

* * *

Olha só: ninguém está dizendo que o seu corpo deve estar completamente liso ou que depilar-se é a solução de todos os seus problemas. Mas, num calor desses, até o Tony Ramos talvez esteja recorrendo a uma das técnicas acima.

Você já usou alguma delas? Pretende tentar? Compartilhe suas experiências nos comentários.

Para saber mais:

Alguns links que podem ser úteis para você:

Mecenas: Gillette ProGlide Styler

Link Youtube


  • 64% das mulheres preferem homens com as costas lisas;

  • 48% gostam de homens que aparam a virilha;

  • 64% gostam de um peitoral aparado.

Se você apara ou raspa qualquer parte do seu corpo, o Gillette ProGlide Styler é a opção mais versátil; aparelho 3 em 1 que apara, raspa, estiliza e serve tanto para o rosto como para o corpo.


publicado em 06 de Março de 2014, 08:28
C393d12537b2bce53ec2380eeabe8835?s=130

Guilherme Odri

Deslumbrado por música, futebol, cinema, fotografia e literatura – ou qualquer coisa que balance o cérebro. Entre Beatles e Stones, prefere Beach Boys. Adora escrever na terceira pessoa.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura