A conversa sobre paternidade é uma das mais importantes do nosso tempo. Venha para o PAI: Os desafios da paternidade atual, discutir e colocar em prática o tema.
Compre já o seu ingresso!

O que é esse negócio de estilo vintage?

Vamo se ligar nisso e parar de fazer feio quando for a hora de se vestir.

Alô, leitor das antigas! Esse é pra você.

Hoje falaremos sobre a diferença entre vintage, retrô e clássico, e como tirar proveito de tudo isso para se comunicar melhor. Afinal, antes mesmo de abrir a boca, você já foi lido e relido por todos ao seu redor.

Mas, afinal, que raios é o “Vintage” que a gente tanto fala e nunca sabe muito bem do que se trata? É Retrô? É Clássico? Não é tudo a mesma coisa?

Vintage x Retrô x Antigo x Clássico – A TRETA LOCA

O termo "vintage" é utilizado para descrever itens originais que refletiram fortemente estilos e tendências associadas a determinadas épocas (que vão de vinte a cem anos atrás) e sobreviveram para contar a história. Eles trazem consigo um caráter nostálgico e podemos dizer que foram os ícones de determinadas épocas.

Aproveitando o gancho do tempo, itens com mais de 100 anos e que não são mais utilizados (como a peruca do imperador), são classificados como Antigos.

E o que seria o Retrô? Este é ainda mais simples do que parece, se trata apenas de uma releitura atual de peças icônicas de determinadas épocas, sem necessariamente ter 'cara de vó'.

“Entendi! E que diabos é o Clássico então?”

Clássicos são itens que permanecem elegantes ao longo do tempo. Em outras palavras, eles não refletem a época em que foram feitos, mas sim transcendem suas Eras, com pequenos ajustes e adaptações. O terno é um excelente exemplo de peça Clássica.

Conceito derramado, tiramos a primeira conclusão: a maioria das combinações que vemos hoje em dia utilizam peças retrô, não vintage. E a imagem que esta vestimenta passa é exatamente o que o conceito propõe – uma forma atual de apresentar algo histórico.

Para ilustrar, selecionei o modelo MA-1, da jaqueta bomber. Esta jaqueta foi desenvolvida em 1960 a partir do modelo B-12, utilizada por aviadores durante a Segunda Guerra Mundial. A peça original (vintage) é essa daqui:

E abaixo alguns exemplos de combinações atuais, utilizando uma releitura da jaqueta:

Perceba que a peça retrô tem forte caráter de moda. Ou seja, tem uma característica temporal. Por exemplo, se hoje a moda é usar jaquetas mais rente ao corpo, você encontrará nas lojas uma releitura da jaqueta MA-1 mais justa, refletindo o que usamos na atualidade. No momento atual pode parecer bacana, mas o amanhã a Deus pertence.

Retrô, foi!

* * *

Continuando nossa saga, chegou a hora de falarmos de peças Vintage.

É possível usar uma peça original de determinada época sem parecer obsoleto?

Parcimônia, irmão. Esta é a chave.

Se você utilizar muitos objetos vintage juntos, parecerá que esta fantasiado. Mas usando apenas um, você trará um equilibrio para a vestimenta, adicionando carga histórica e tradicional de um certo período, deixando mais claro a mensagem estética que deseja passar.

E para ilustrar melhor esta questão, trouxe a mesma jaqueta bomber, agora na sua versão de 1930, a A-2:

Agora que está familiarizado com a peça, podemos seguir para o exemplo de como utilizar uma peça vintage sem parecer seu avô.

Olhe bem a imagem abaixo:

Claro que não posso afirmar 100% que esta é uma jaqueta original da época. Na verdade é muito provável que não seja, visto a conservação da peça. Mas como é bem difícil encontrar na internet bons exemplos de combinações com itens originais, escolhi o exemplo acima pela fidelidade com a legítima.

Uma peça vintage, ao contrário de uma retrô, não sofre oscilações da moda. Aqui a característica principal é a homenagem a um determinado momento histórico. É uma demonstração de respeito e também apreço ainda mais intenso do que se estivesse usando somente uma releitura.

* * *

E, por fim, chegamos ao Clássico.

Ao utilizar peças clássicas você estará jogando no certo, o que te trará uma certa tranquilidade.

Porém, não se engane, tudo que é bom também tem seu lado ruim. Limitar nossas opções, facilita a inserção em ambientes que não dominamos, mas também nos enquadram em modelos pré-estabelecidos, podendo tornar nossa imagem tediosa demais:

Tá bem vestido? Tá bem vestido. Mas alguém aí lembrará desse cara na manhã seguinte?

Para aqueles que querem usar peças clássicas e também sair do senso comum, sugiro que utilizem acessórios ou desconstruam a imagem com algum item fora do esperado, mas sempre mantendo a coerência  com a sua personalidade.

Exemplos:

Conclusão

Agora que você entendeu a diferença entre Vintage, Retrô e Clássico, poderá utilizar suas características para se comunicar melhor.

Quero dizer, pegar aquela peça do guarda-roupa do seu avô e ficar no estilo, sem parecer que saiu da novela das seis. Ou comprar uma releitura de algum item bacana e passar a sensação de atualidade na sua imagem. Afinal, sabemos que estar em dia com o que mais de novo acontece no mundo é algo desejado na era da informação.

Mas não se esqueça. O discurso da moda atual pode não estar alinhado à sua personalidade. Então, fique atento para não reproduzir tendências que não tem a ver com você.

Abraços e até a próxima!

Mecenas: Vivara Watches

Você curte e se identifica com o estilo vintage? Então, a linha "Vintage Aviator" da Vivara foi feita para você.  

São relógios com design moderno e clean que foram criados à partir de referências à aviação vintage e são versáteis para diversas ocasiões.

São modelos em aço e couro que vêm com função taquímetro e com aro interno giratório.

Além da coleção "Vintage Aviator", estão disponíveis as coleções Dakar Rally, inspirada nas corridas de velocidade, e a coleção Soldier, com a temática militar, estará disponível em meados de janeiro.

Confira todos os modelos lá no site da Vivara.


publicado em 23 de Janeiro de 2018, 00:00
Camilapdh jpg

Camila Simielli

Proprietária da marca masculina Conto Figueira.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura