Mais de 15.000 homens estão fazendo nosso curso online de estilo, para cultivar uma relação de mais confiança e liberdade com suas roupas. Inscreva-se também, é gratuito.

O que fazer da minha vida a essa altura do campeonato?| Mentoria #61

"Preste a chegar aos 40 anos não tenho independência financeira, sofro com transtornos psicológicos, detesto meu trabalho e não vejo sentido na vida."

"Olá, boa tarde

Tenho 38 anos e uma série de questões que a cada dia vão minando minha energia e me deprimindo cada vez mais.

Na adolescência, mais especificamente aos 15 anos sofri um período com a depressão, na época nem eu nem minha família, por falta de informação, sabíamos que eu tinha, chorava sem motivo, vivia triste pensava muito na finitude da vida, na mortalidade, o que me causava crises de pânico. 

Esse período culminou com o desenvolvimento de uma grave fobia social, também não identificada à época, que se estendeu até os meus 19 anos. Foi um período difícil, no colégio fazia relativo sucesso com as meninas mas, em razão da extrema timidez fugia de qualquer aproximação. Em decorrência disso sofria bullying, era chamado de "bicha" e coisas do tipo.

Por volta dos 19 anos decidi que era hora de mudar, com forças tiradas não sei de onde comecei a enfrentar o medo de me expor, assim, dei o primeiro beijo, conheci pessoas novas, novos amigos, namoradas, e enfim começou um roteiro melhor.

Contudo, rolou uma adolescência tardia. Eu não pensava em nada além de aproveitar o que não vivi na adolescência, eram muitas festas, drogas, bebedeiras e assim segui por alguns anos.

Nesse período todo de adolescência tardia, trabalhei em um negócio do meu pai mas não era muito dedicado ou responsável, decidi me mudar do interior pra capital para estudar. Cursei Direito, e também nesse período passei a conviver com crises de pânico. Fui diagnosticado com transtorno de ansiedade generalizada e TOC,  o que afetou muito minha qualidade de vida, aumentando ainda mais minhas inseguranças em relação á vida e a morte.

Por volta dos 31 anos comecei a diminuir o ritmo, conheci minha atual namorada e passei a ser mais caseiro, trabalhava em um escritório e concluí a faculdade. Hoje, aos 38, continuo no mesmo escritório, mas decidi que não iria seguir a carreira na área Jurídica.

Não gosto da ideia de viver confinado em um escritório de terno e gravata, o que criou uma situação patética: sou Bacharel em Direito, trabalho em um escritório de advocacia, não quero seguir carreira de advogado e ganho menos do que poderia em razão de não ser advogado.

Contudo, não vejo nenhum caminho a seguir, fiz curso de cinema e de fotografia mas me acho totalmente incapaz de desempenhar esses ofícios como profissão. As crises de ansiedade e pânico, mesmo com medicamentos, estão sempre presentes.

Ganho pouco e meu pai ainda me ajuda com uma grana, isso me deixa profundamente envergonhado. A psicologia aponta pra um pai autoritário e uma mãe que reforçou padrões de insegurança e sensação de incapacidade como causa.

O fato é que, preste a chegar aos 40 anos, não tenho independência financeira, sofro com transtornos psicológicos, detesto meu trabalho e não vejo sentido na vida."

Como responder e ajudar no Mentoria PdH

(leia para evitar ter seu comentário apagado):

  • comentem sempre em primeira pessoa, contando da sua experiência direta com o tema — e não só dizendo o que a pessoa tem que fazer, como um professor distante da situação
  • não ridicularizem, humilhem ou façam piada com o outro
  • sejam específicos ao contar do que funcionou ou não para vocês
  • estamos cultivando relações de parceria de acordo com a perspectiva proposta aqui, que vai além das amizades usuais (vale a leitura desse link)
  • comentários grosseiros, rudes, agressivos ou que fujam do foco, serão deletados

Como enviar minha pergunta?

Você pode mandar sua pergunta para posts@papodehomem.com.br .

O assunto do email deve ter o seguinte formato: "PERGUNTA | Mentoria PdH" — assim conseguimos filtrar e encontrar as mensagens com facilidade.

Posso fazer perguntas simples e práticas, na linha "Como planejo minha mudança de cidade sem quebrar? Como organizar melhor o tempo pra cuidar de meu filho? Como lidar com o diagnóstico de uma doença grave?" ?

Queremos tratar também de dificuldades práticas enfrentadas por nós no dia-a-dia.

Então, quem tiver questões nessa linha, envie pra nós. Assim vamos construindo um mosaico mais amplo de assuntos com a Mentoria.

Essa Mentoria é incrível. Onde encontro as perguntas anteriores?

Basta entrar na coleção Mentoria PdH.

Um presente pra você:

Vamos te enviar por email o ebook "As 25 maiores crises dos homens — e como superá-las", produzido pelo PdH.

Se deseja adquirir ou presentear alguém que possa se beneficiar, compre a sua edição aqui.

Para conhecer mais sobre o conteúdo do livro e tudo que vai encontrar lá dentro, leia esse texto.

Ao comprar o livro, você também ajuda a manter o PapodeHomem vivo.

Nosso rendimento com anúncios caiu drasticamente nos últimos dois anos, assim como aconteceu com toda a indústria jornalística, no Brasil e no mundo (a verba agora se concentra no Facebook e no Google). Como o que fazemos é para vocês e não para gerar o maior número de clicks com textos vazios, essa ajuda é essencial para nossa sustentabilidade.


publicado em 16 de Setembro de 2019, 06:00
Logo pdh png

Redação PdH

Mantemos nosso radar ligado para trazer a você notícias, conversas e ponderações que valham o seu tempo. Para mergulhar na toca do coelho e conhecer a visão editorial do PdH, venha por aqui.


Puxe uma cadeira e comente, a casa é sua. Cultivamos diálogos não-violentos, significativos e bem humorados há mais de dez anos. Para saber como fazemos, leianossa política de comentários.

Sugestões de leitura